Senior female doctor examining happy child, smiling.

As causas dos vómitos são evidentes na maioria das vezes. O carácter de alguns vómitos (em jato e fáceis, ou quando aparecem em circunstâncias precisas – bater com a cabeça no chão por exemplo) deve incitá-la a consultar o seu médico.

Diagnóstico

O vómito é a expulsão abundante de alimentos a seguir a esforços gástricos involuntários e náuseas. É um sintoma do qual é necessário encontrar as causas:

  • As mais evidentes são as gastroenterites, as rinofaringites, as bronquites. A mais estudada é o refluxo gastroesofagiano, ao qual voltaremos mais adiante.
  • A mais benigna, normalmente, é a crise de acetona ou a indigestão
  • Existem duas outras causas relativamente frequentes: a estenose do piloro e a picatura gástrica, que abordaremos mais adiante.

Os vómitos também podem ter causas extra-digestivas: rinofaringite, otite, infeção urinária ou meningite, por exemplo.

Atenção!

Não confunda:

  • a regurgitação alimentar do bebé. que consiste na subida de uma pequena quantidade de leite, muitas vezes durante o arroto, portanto logo a seguir ao biberão. As regurgitações não têm qualquer incidência sobre o aumento de peso, não impedem a criança de crescer normalmente e param por volta dos cinco ou sete meses,
  • o refluxo gastroesofagiano. que se manifesta através de uma expulsão alimentar mais ou menos abundante — sem esforço de vómitos—do conteúdo do estômago Acontece longe ou fora das refeições e/ou durante o sono. O refluxo gastroeso-fagiano repercute-se sobre o peso da criança: deve ser procurado nos bebés com:
  1. vómitos com pequenos fios de sangue que traduzem a irritação do esófago (esofagite) durante a subida dos alimentos ácidos do estômago:
  2. rinofaringites ou otites a repetição;
  3. tosses persistentes rebeldes, asma:
  4. sintomas mais inquietadores tais como indisposições.

No geral, continua até à idade de dois ou três anos, até mesmo mais.

Procure erros dietéticos

Saiba que os erros de dieta no bebé são extremamente frequentes:

  • uma criança demasiado alimentada pode ter vómitos. A única maneira de se aperceber consiste em pesá-la regularmente e comparar o seu peso ao das curvas estandardizadas;
  • reconstituiu mal o leite sintético, pôs leite-em-pó de mais. ou o leite-em-pó antes da agua mineral.
  • a introdução da dieta diversificada foi demasiado brutal ou demasiado rápida;
  • a criança come muito depressa e engole muito ar.

Se tiver a impressão de que a criança digere mal o leite, vá consultar o seu médico, porque pode tratar-se de uma intolerância às proteínas de leite de vaca.

Principais complicações

Estão ligadas à origem dos vómitos

Atenção!

Vá imediatamente ver o seu médico, se a criança tiver vómitos:

  • em jatos fáceis ou associados a uma febre isolada. Podem ser os primeiros sintomas de uma meningite;
  • a seguir a ter caído com a cabeça no chão: hematoma subdural;
  • a seguir à absorção de produtos tóxicos ou medicamentos;
  • que impedem a criança de se alimentar e estão associados a uma diarreia;
  • se a causa não lhe parecer evidente.

Vá também a uma consulta rapidamente:

  • se verificar que o bebé de três ou quatro semanas, que se mantém alegre e contente, já não está a engordar e tem vómitos que aumentam progressivamente. Isto é provocado pelo engrossar do piloro, canal situado entre o estômago e o intestino, que entrava a saída dos alimentos para o intestino. O que tem por consequência uma estenose hipertrófica do piloro e necessita de uma intervenção cirúrgica benigna;
  • quando a criança come pouco e torce-se rapidamente depois de ter bebido o biberão. É a consequência de uma plicatura gástrica, ou seja, de um estômago que desce muito para baixo no abdómen e forma duas bolsas. Os alimentos têm então dificuldades para passarem de uma para a outra. A cura acontece muitas vezes quando mudamos para uma alimentação diversificada.

Originally posted 2014-04-03 09:32:53.

Comments

comments