homeopatia1

Doença benigna a não negligenciar devido às suas complicações, excecionais mas graves.

Diagnóstico

A urticaria define-se através da erupção fugaz de pápulas ou borbulhas edematosas rosadas ou esbranquiçadas – parecidas com picadas de urtiga – que causam muita comichão e mudam de lugar com frequência. É muitas vezes de origem alérgica.

Principais complicações

  • Edema de Quincke, ou seja, um edema que dói e causa comichão nas pálpebras, nos lábios e por vezes no rosto todo. A sua gravidade reside no risco de aparecimento de um edema na garganta que pode bloquear a respiração. É uma verdadeira urgência médica.
  • Choque anafiláctico com risco de morte em menos de uma hora (um caso em cada dois milhões). Nunca hesite em consultar um médico à mais pequena inquietação.

Prevenção

Tente eliminar os fatores que a desencadeiam:

  • alguns medicamentos, tais como, por entre os mais conhecidos, a aspirina, a penicilina, as sulfamidas, a insulina, e os produtos iodados radiológicos;
  • alimentos: as nozes, o marisco, os moluscos, os peixes, os morangos, as framboesas, os pêssegos, os tomates, o chocolate.

Tratamentos

Posologia: 2 granulos de cinco em cinco minutos de uma maneira repetida, depois espace os medicamentos logo que haja melhoras.

Acrescente

Apis mellifica 7CH, se a urticária melhorar com aplicações frias.
Urtica urens 7CH, se, ao contrário, o calor acalmar a comichão e se as aplicações frias a agravarem.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos de cinco em cinco minutos de uma maneira repetida, depois espace os medicamentos logo que haja melhoras.

Não hesite em consultar um médico se os problemas persistirem.

Originally posted 2014-03-27 09:58:38.

Comments

comments