13949perola - Hepar sulfur

Hepar sulfur

Origem

Hepar sulfur é um medicamento concebido por Hahnemann, contendo em partes iguais calcário de ostras (Calcarea carbónica) e flor de enxofre purificado (Sulfur).

Resulta daí um pó cinzento amarelado, quase insolúvel na água e no álcool, que se decompõe facilmente ao ar. A substância é preparada com lactose até á 2CH, depois com tintura-mãe a partir da 3CH.

Composição

A tintura-mãe contem principalmente enxofre sublimado lavado, carbonato de cálcio, sílica, matérias orgânicas e metais pesados.

Indicações

O pus está mal ligado, as zonas inflamadas têm edemas, são muito dolorosas, com a de uma lasca enfiada.

Supurações agudas

Da pele

Abcessos, furúnculos, eczema purulento, acne purulenta.

Da esfera ORL

  • Rinofaringites com corrimento de pus pelo nariz e na garganta.
  • Traqueítes, bronquites desencadeadas pela mais pequena corrente de ar ou too, o sujeito se destapa. A tossem primeiro seca, toma-se rapidamente grossa.
  • Anginas com supuração das amígdalas.
  • Laringite aguda típica na criança, que aparece quando esta última apanhou frio.
  • Otites, sinusites.

As conjuntivites

Com corrimento de pus e pálpebras inchadas

Supurações crónicas

Da esfera ORL

  • Rinofaringites a repetição.
  • Sinusites crónicas
  • Otites crónicas com tímpanos abertos

De qualquer origem

Perturbações do carácter da criança

Que aparecem nas crianças que respondem bem.

Laringite

Que aparece depois de lermos apanhado frio. com modificação da voz e tosse seca, rouca, dolorosa.

Diarreia da criança

Quando as fezes brancas ou esverdeadas, com um cheiro ácido ou azedo, pioram com as bebidas frias.

Contra-indicações:

Hepar sulfur é contraindicado nos processos supurativos das cavidades fechadas: cavidade sinuosa, dentes, ouvidos.

Hepar sulfur convém se

Os fatores desencadeantes forem:

  • As correntes de ar.

As modalidades forem:

  • Uma agravação com o mais pequeno contacto, com o frio, local ou geral (o Inverno), com as correntes de ar.
  • Melhoras com o tempo húmido e ameno.

Os sujeitos que respondem bem a Hepar sulfur

Os sujeitos linfáticos, friorentos, hipersensíveis à dor. A sua indolência e a sua moleza fatal fazem contraste com a sua precipitação habitual. O adulto é descrito como um emocional instável, insatisfeito crónico e amuado. A sua extrema irritabilidade é geradora de fúrias súbitas e violentas.

A criança e indolente, hipersensível e irritável, mas precipitada na ação: tem tendência para fazer tudo rapidamente e para responder através de impulsos e tunas violentas e matas. Por vezes é má, procurando lesar e fazer mal.

Crianças ou adultos estão sujeitos as rinofaringites a repetição. Nestas pessoas, a mais pequena fenda supura durante muito tempo e cicatriza lentamente. Têm numerosos gangliões. São atraídas pelo vinagre, os alimentos ácidos ou muito picantes, não gostam de alimentos gordurosos.

Posologia

Atenção: Nas supurações, a utilização de Hepar sulfur requer grandes precauções:

  • Para fazer amadurecer e supurar um abcesso: Hepar sulfur 5 CH, 2 grânulos 5 vezes por dia, depois abrandar as doses quando a supuração começa a atenuar-se.
  • Para parar um abcesso logo ao princípio: Hepar sulfur 30CH, uma dose.

Nas laringites: Hepar sulfur 30CH, uma dose ao deitar

Originally posted 2014-04-10 08:44:49.

shutterstock 52361635 - Pequenas queimaduras

Pequenas queimaduras

Este parágrafo refere-se às queimaduras superficiais, locais e pouco espalhadas, que no melhor dos casos provocam uma vermelhidão difusa na pele e no pior bolhas (flitenas) muito dolorosas

Aviso

Vá a uma consulta se as queimaduras

  • Atingirem o rosto ou a bacia, seja qual for a sua importância;
  • Estiverem espalhadas até às mãos e aos pés;
  • Atingirem um braço inteiro ou uma perna por exemplo;
  • Atingirem as crianças com menos de dez anos ou as pessoas com mais de sessenta anos;
  • Tiverem pus ao fim de quarenta e oito horas.

Não aplique

  • Manteiga ou outros produtos gordurosos;
  • Eosina, porque esconde o especto da queimadura;
  • Biogás na criança pequena (até aos seis ou oito anos), porque contém cânfora que pode provocar convulsões;
  • Pomadas com corticoides que atrasam a cicatrização;
  • Pomadas com antibióticos na origem de efeitos secundários e que, para além disso correm o risco de selecionar um germe.
  • Verifique se a vacina antitetânica está em dia.

Tratamento

Localmente

Atue:

  • Retire as roupas se forem de tecido natural. Deixe em contacto com a pele as roupas de fibras sintéticas, porque ao tirá-las correria o risco de agravar as lesões.
  • Passe imediatamente a parte queimada sob água fria (a 10 cm da pele) entre 8 e 25°C (água da torneira entre 8 e 15°C), durante pelo menos dez minutos (é muito tempo!), ou seja, até sentir uma paragem da dor e uma sensação de bem-estar. Há estudos que mostraram que pôr água a correr por cima diminuía a profundidade da lesão, o edema, a dor e até mesmo a mortalidade em queimaduras graves.
  • Aplique na queimadura três vezes por dia uma pomada de Calendula por digestão.

Tratamentos homeopáticos

Tome:

  • Arnica montana 5CH, e para prevenir a infeção, Pyrogenium 5CH
  • Associe, conforme o aspeto da queimadura, um dos medicamentos seguintes
  • Belladonna 5CH, nas queimaduras superficiais pouco espalhadas que se manifestam através de uma intensa vermelhidão da pele e uma dor que melhora com a água fria.
  • Apis mellifica 5CH: a pele apresenta um ligeiro edema cor-de-rosa avermelhado acompanhado por dores como se fossem picadas e ardores, que melhoram com as aplicações de água fria.
  • Cantharis vesicatória 5CH, se, ao contrário, a queimadura for acompanhada por vesículas largas (bolhas).

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos dos medicamentos indicados de 10 em 10 minutos logo a seguir à queimadura.
Depois espace as doses à medida que a dor diminui. Continue ao ritmo de 5 vezes por dia durante alguns dias.
Verifique se a vacina antitetânica está em dia.

Originally posted 2014-04-07 15:24:04.

febre - Tratamento dos Vómitos da Criança

Tratamento dos Vómitos da Criança

Regurgitações

Após o biberão, coloque o seu bebé na posição vertical encostado ao seu ombro e dê-lhe pancadinhas nas costas para favorecer o arroto. O seu bebé pode e deve dormir deitado de costas.
Escolherá entre:

  • Aethusa 5CH, se o jato de leite coalhado for acompanhado por fezes líquidas a seguir à mamada.
  • Sanicula 5CH, se o jato de leite coalhado acontecer logo a seguir à mamada.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos antes de cada mamada, depois espace
a dose logo que começam a aparecer melhoras.

Refluxo gastroesofagiano

É uma afeção extremamente frequente: de facto, a análise dos balanços de saúde das crianças seguida pela Caixa de Segurança Social de Paris mostra que cerca de 20% das crianças têm, no seu primeiro ano, um refluxo gastroesofagiano.

Tratamento postural indispensável

Quando o bebé está acordado, deve ser instalado meio-sentado a quarenta e cinco graus numa cadeira comprida com as costas rígidas ou numa cadeira normal, se for capaz de se manter sentado.

Para o fazer dormir, se o refluxo for severo, ou seja, se o bebé estiver mal disposto, o seu médico decidirá qual atitude adotar.

Se o refluxo for benigno, o bebé pode dormir de costas, como é recomendado, atualmente, para prevenir a eventualidade de morte súbita do bebé.

Algumas regras simples

  • Evite dar de beber ao bebé fora das refeições e ao deitar.
  • Suprima os sumos de frutos que são ácidos e provocam irritações do esófago quando sobem do estômago.
  • Não lhe vista roupas ou fraldas muito apertadas.
  • Também deve engrossar o leite com Gumilk ou Gelepectose, ou dar-lhe leites especiais (Enfamil) concebidos para este uso.

Tratamento homeopático

A dificuldade do tratamento homeopático nesta indicação vem do facto de a criança não poder exprimir os sintomas que sente. A observação dos sinais que podem orientá-lo é portanto fundamental.

  • Sulfuricum acidum 7CH, se a criança chorar durante as regurgitações; portanto, os vómitos são dolorosos e, por conseguinte, provavelmente ácidos.
  • Iris versicolor 7CH: também aqui, no bebé, os vómitos são ácidos, mas a possibilidade de diarreias muito dolorosas que o fazem sofrer permite por vezes fazer a distinção com Sulfuricum acidum.
  • Robinia pseudo-acacia 7CH, se o refluxo aparecer durante a noite e acordar a criança.
  • Magnesia carbónica 7CH, nos bebés intolerantes ao leite artificial, com regurgitações dolorosas que provocam choros.

A associar a um tratamento clássico, enquanto não for a uma consulta:

  • Cadmium sulfuricum 7CH, se os vómitos começarem logo a seguir ao biberão e se o bebé fizer pausas respiratórias durante o sono.
  • Lobelia inflata 7CH, se as regurgitações forem acompanhadas por mal-estar.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos antes de cada biberão.

Originally posted 2014-04-03 10:36:14.