shutterstock 13330168 - Tosse

Tosse

No adulto, as tosses têm origens diversas. A persistência de uma tosse para além de três semanas deve levá-lo a consultar um médico, que decidirá, em função do contexto clínico, praticar ou não exames complementares.

As causas mais frequentes de tosses persistentes são: um corrimento nasal tenaz a seguir a uma constipação, a asma, a bronquite crónica, o refluxo gastroesofagiano. Estas últimas aumentam com o tabagismo e a poluição.

É evidente que se estiverem presentes outros sinais – dificuldades para respirar, escarros de sangue, febre persistente -. deve ir a uma consulta antes deste prazo.

A tosse grossa é aquela que, por ocasião de esforços de tosse, traz escarros; é fácil de por em evidência no homem, mas muito mais delicada de reconhecer na mulher que raramente sabe escarrar, ou antes, detesta fazê-lo, e na criança que ingurgita os escarros em vez de os expulsar.

Para mais pormenores, consulte os capítulos seguintes: a “tosse”, as “Rinofaringites” do adulto que são tratadas com as “Rinofaringites da criança”, o “Refluxo gastroesofagiano”, as “Sinusites agudas”, as “Laringites”, a “Asma”, e a “Bronquite crónica”.
Se a sua temperatura estiver alta, consulte também o capítulo sobre as febres da criança.

Originally posted 2014-03-27 15:48:54.

875113852 - Tratamento de Otites

Tratamento de Otites

No bebé com menos de três meses

A paracentese (pequena incisão no tímpano) é praticada quase sistematicamente.

Na criança mais crescida

De uma maneira sistemática, logo que suspeita uma otite, pode dar:

  • Capsicum 5CH e Pyrogenium 5CH, associados a:
  • Belladonna 5CH, no caso de febre alta de face vermelha.
  • Ferrum phosphoricum 5CH, no caso de febre moderada e face pálida.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos todas as horas no primeiro dia, depois 5 vezes por dia nos 2 dias seguintes e a seguir 3 vezes por dia durante 3 dias.
Na ausência de melhoras nos dois dias que se seguem, vá a uma consulta com a criança.

Tratar a rinofaringite

Trate a rinofaringite habitualmente associada e sobretudo desentupa o nariz da criança, fazendo instilações nasais de soro fisiológico acondicionado em fraco unidose.

Originally posted 2014-04-02 10:07:39.

1dandelion3 - Inchaços e Tratamento Parte I

Inchaços e Tratamento Parte I

Diagnostico

  • Os inchaços dão uma impressão de dilatação do estômago e do abdómen. Traduzem muitas vezes um meteorismo — que o médico sabe reconhecer através de um exame – ou seja, um aumento de volume do abdómen provocado por um excesso de gases nos intestinos.
  • Podem passar despercebidos em certos sujeitos e, noutros, provocar dores abdominais importantes, eructações e gases intestinais abundantes e/ou nauseabundos.

Regas dietéticas

  • Diminua os feculentos.
  • Previna e/ou limite a aerofagia.

Tratamentos

Conforme a localização

Inchaço de todo o abdómen

  • Aloe 5 CH 6 um medicamento de meteorismo importante de todo o abdómen dos sujeitos obesos, sedentários, que comem muito com predisposição para as colites e sujeitos a diarreias.
  • China rubra 5CH é indicado quando o abdómen está esticado, muito doloroso, ruidoso, com borborigmos e um sabor amargo na boca. Os inchaços não melhoram com a emissão de gases ou de eructações. Muitas vezes, são acompanhados por uma diarreia pós-prandial quando bebemos leite, ou no Verão depois de uma ingestão excessiva de frutos.
  • Kalium carbonicum 5CH, no inchaço de todo o abdómen que aparece durante ou logo a seguir a uma pequena refeição. É acompanhado por aerofagia com eructações azedas e regurgitações todas na boca.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos antes do almoço e do jantar.

Inchaço localizado por cima do umbigo

  • Carbo vegetabilis 5 CH, se o meteorismo for desencadeado ou agravado com a absorção de alimentos gordurosos ou de álcool, e aparecer logo a seguir ás refeições. As perturbações agravam-se se o sujeito se deitar, e melhoram com as eructações e com os gases
  • Nux vomica 5 CH e indicado para o inchaço epigástrico que aparece uma ou duas horas depois das refeições nos sujeitos que ficam sonolentos com a digestão. A sua língua, característica, fica coberta por um revestimento esbranquiçado na parte posterior. Para se sentirem melhor, desapertam o cinto das calças ou da saia e fazem, se puderem uma boa caminhada.

Posologia (para todos estes medicamentos) 2 grânulos antes do almoço e do jantar.

Inchaço localizado por baixo do umbigo

  • Lycopodium clavatum CH convém aos sujeitos cujo inchado é desencadeado ou agravado com a mais pequena refeição ou mudança de hábitos alimentares. E acompanhado por regurgitações ácidas e por cefaleias. Agrava-se logo a seguir ás refeições, depois das 16 às 20 horas. Não acalma com os gases e as eructações, mas melhora quando desapertamos o cinto das calças ou do vestido Estas pessoas digerem muito mal as ostras, os doces, as cebolas.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos antes do almoço e do jantar.

Inchaços não especificas

Ou seja, sem localização precisa, ou, mais exatamente, quando a localização pode variar

  • Bryonia alba 7CH. quando o inchaço, mais do lado de cima do abdómen, é acompanhado por uma sensação de peso no estômago
  • Thuya occidentalis 9CH, no inchaço com o qual pessoa tem a impressão bizarra de que algo mexe nos seus intestinos. No geral, o abdómen está completamente esticado e faz muitos ruídos.

Posologia para Bryonia alba, 2 grânulos antes do almoço e do jantar; para Thuya occidentalis 2 grânulos ao levantar.

Originally posted 2014-03-28 10:37:46.

mozg - Neurologia, psiquiatria

Neurologia, psiquiatria

Expecto nas doenças neurológicas ou psiquiátricas graves, a maioria de entre nós tem perturbações “nervosas”, sentidas mais enquanto incómodo ou desconforto do que como doença. Não dormimos bem, temos dores de cabeça, sentimo-nos ansiosos, angustiados, com stress, somos pentes do nosso tempo.

Por vezes, recorremos, em mais ou menos tempo, mais ou menos intensivamente, a soníferos, antálgicos, calmantes, que criam uma dependência e fazem-nos entrar na doença nervosa. Para o professor E. Zarifian, pagamos o preço do bem-estar e a medicação da mais pequena ponta de tristeza, porque, em França, consumimos entre duas e quatro vezes mais de medicamentos psicótropos (ansiolíticos ou tranquilizantes, anti depressores. hipnóticos ou soníferos, neurolépticos) do que nos países vizinhos.

A indústria farmacêutica não é alheia a este fenómeno, porque cria noções falsas que culpabilizam o médico, como: 50 a 70% dos suicídios seriam provocados por depressões não
tratadas, 50% no mínimo dos depressivos não são tratados com anti depressores, há uma recaída na “doença depressiva”, então são necessários tratamentos prolongados ou preventivos, etc.

Procura eliminar qualquer terapêutica que não dependa da sua prescrição medicamentosa fustigando subtilmente a psicanálise.
É o reino do pensamento único no qual o discurso académico universitários, científicos segue o discurso promocional dos laboratórios em vez de o perceber. É o reflexo da nossa sociedade, a predominância do poder (marketing, lucro) sobre o saber (atos intelectuais, investigação).

E Zarifian observa — sem fazer juízos — que em França, contrariamente aos outros países da Europa tudo o que não é medicina oficial não é ensinado aos futuros médicos, porque é considerado não cientifico, portanto sem qualquer valor.

Ao passo que na Alemanha, por exemplo, a familiarização com as medicinas não convencionais é obrigatória, e as perturbações psíquicas menores são principalmente tratadas com a fitoterapia, sem que isso altere de maneira alguma a saúde psíquica das respetivas populações.

Esta relação permite recentrar o debate e encarar com serenidade a terapêutica homeopática, numa época em que a indústria farmacêutica tentará provavelmente, num futuro próximo, transformar a timidez em doença.

Originally posted 2014-03-31 15:46:44.

875113852 - Tratamento das dores abdominais das criança

Tratamento das dores abdominais das criança

Tratamento

Dores abdominais de origem digestiva

Provocadas por uma gastroenterite (sem vómitos)

A escolha do medicamento depende de duas modalidades:

  1. se a criança se sentir melhor dobrada ao meio:
  • Colocynthis 5CH: se a criança sofrer de dores tipo cãibras, de espasmos (que melhoram quando se dobra ao meio. com o calor, com a pressão no abdómen) e de uma diarreia muito dolorosa.
  • Cuprum metallicum 5CH: dores tipo cãibras que começam e acabam brutalmente, melhoram temporariamente com bebidas frias, e são acompanhadas por uma diarreia líquida.
  • Magnesia phosphorica 5CH, a associar a Colocynthis quando as dores apresentam as mesmas modalidades.
  1. se a criança se sentir pior dobrada ao meio:
  • Dioscorea villosa 5CH: as dores melhoram quando se inclina para trás e são acompanhadas por uma diarreia matinal e inchaço.

Posologia: pelo menos 5 vezes por dia durante 2 dias e a seguir a cada cãibra abdominal: espaçar sempre os medicamentos togo que a frequência das crises dolorosas diminuir.

Provocadas por lombrigas

Os oxiúros revelam-se na maioria das vezes através de comichão no ânus e/ou na vagina na menina. Por vezes, estão na origem de dores abdominais ou insónias.

É uma infestação intestinal benigna que ataca cerca de 20% da população infantil; as regras de higiene (lavagem meticulosa das mãos, unhas curtas) parecem ter pouco eleito sobre esta parasitose:

  • Cina 9CH, nas crianças regularmente infestadas pelas lombrigas, que sofrem de cólicas que se acalmam quando estão deitadas da barriga para bano e de comichão no ânus ou no nariz.
  • Teucrium marum 7CH: a criança tem comichão nas narinas e no ânus que piora depois depois de ir à casa-de-banho e ao deitar.
  • Sabadilla 7CH, quando o apetite e perturbado e os problemas pioram na Lua Nova e na Lua Cheia.
  • Spigelia 7CH: as dores abdominais situadas a volta do umbigo e a irritabilidade dominam as perturbações.
  • Silicea 9CH, nas crianças que respondem bem, normalmente infestadas pelos oxiúros na Lua Nova.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos ao levantar durante 3 meses.

Atenção!

Estes medicamentos evitam a reinfestação. No entanto, na presença de oxiúros, é necessário fazer um tratamento clássico para tratar as crises. Saiba que os americanos não tratam esta afeção devido à sua benignidade, à sua frequência elevada e ao seu carácter reincidente.

Tratamento de terreno: Cina, Silicea.

Originally posted 2014-04-02 15:56:25.