3

Os medicamentos homeopáticos mais correntes nesta indicação são os seguintes:

  • Argentum nitricum 9CH convém a uma criança que está em ação sem parar, sempre precipitada, que faz coisas rápida e superficialmente. Gulosa por doces, tem sempre medo antes de uma data importante, tal como um trabalho de casa sobre a tabuada, um exame oral ou escrito. Este medo manifesta-se através de diarreias emotivas e ardores no estômago. Junta-se aos outros medos do fracasso e do futuro que to naturalmente.
  • Chamomilla vulgaris 9CH é o medicamento tipo da criança agitada, colérica, caprichosa, insuportável, por vezes má. Tenaz, grita, chora, parte, rebola-se no chão, até obterá objeto do seu desejo. É uma criança que na maioria das vezes faz espasmos do soluço. Não suporta a mais pequena contradição e só se acalma se a passearem de carro ou a embalarem. É exatamente o tipo de criança que é necessário segurar com um mão de ferro numa luva de veludo se não quisermos que se crie uma oposição destruidora.
  • Cina 9CH esta muito próximo de Chamomilla vulgaris, mas as perturbações são acompanhadas por insónia, enuresia (chichi na cama) e uma agravação geral do doente na Lua Cheia ou na Lua Nova. Tem muitas vazas olheiras; a sua tendência natural para ter lombrigas (oxiúros) acentua o seu nervosismo.
  • Kalium bromatum 9CH convém as crianças ou aos adolescentes acneicos, facilmente inquietos, cuja instabilidade se manifesta através de uma agitação constante das mãos e dos dedos. Roem as pontas dos lápis, trituram as borrachas, manipulam os dedos e os pequenos objetos em todos os sentidos. A noite, têm dificuldades para adormecerem, são sujeitas a ter-rores noturnos, e mais raramente são sonâmbulas e fazem chichi na cama. A sua memória é fraca, o seu estado nervoso, que pica regularmente com a Lua Cheia é muitas vezes a consequência da presença de lombrigas nas fezes.
  • Nux vomica 9CH é o medicamento das crianças que se tornam nervosas devido a constrangimentos da vida dita moderna que as obriga a levantarem-se cedo, a não terem períodos de repouso ou de calma durante o dia, e a voltarem para casa muito tarde ao mesmo tempo que os pais. Este stress que seria necessário evitar-lhes é imposto e concorre para perpetuar este estado. Por isso, as suas crises de fúria, embora menos violentas do que as crises dos seus camaradas descritos nos medicamentos precedentes, são mais frequentes.
  • Staphysagria 9CH interessa as crianças irritáveis, muito nervosas, muito sensíveis à reprimenda e a tudo o que as contraria. São caprichosas mas interiorizam as suas fúrias que “tornam a sair” sob a forma de tremores, insónias, ou outras, tais como concas ou tosses persistentes.
  • Tarentula hispana 9CH convém a uma criança hiperativa, ansiosa, que agita as mãos e os pés sem parar, e que só se acalma com música. As dificuldades escolares que encontra estão em relação com a dissipação, a falta de concentração e as perturbações do sono tais corno os terrores noturnos, a oscilação da cabeça quando adormece (ritmias) e a insónia. É também um medicamento de hipercinesia da criança.
  • Theridion 9CH dá-se às crianças turbulentas, muito tagarelas, que mexem as mãos em permanência. Hipersensíveis ao barulho, ainda se mexem mais nos ambientes barulhentos que não suportam.
  • Tuberculinum 9CH é o medicamento da criança longilínea que cresce muito depressa, tem amígdalas grossas e rinofaringites a repetição. Insuportável, desinquieta, turbulenta, tem ataques de fúria por uma coisa de nada.
  • Valeriana 1DH, quando as crianças estão estafadas, tensas, agitadas com tiques e têm dificuldades para adormecerem.
  • Zincum metallicum 9CH ajuda as crianças demasiado enérgicas, facilmente reconheci-das pala agitação permanente dos pés e das pernas. Cansam-se depressa, tem perturbações da memória e não suportam o barulho.

Posologia (para todos estes medicamentos, exceto Valeriana): 2 grânulos ao levantar. Valeriana 1DH: 20 gotas 2 vezes por dia ao levantar e ao deitar.

Chuchar o polegar

É uma pequena mania do bebé – tal como chuchar na chupeta – que o tranquiliza e que dura normalmente até à idade de um ou dos anos; mas pode prolongar-se até aos quatro ou cinco anos, até mesmo mais.

Não há motivo para ir contra este hábito que desaparece normal-mente como a evolução afetiva da criança.

A utilização transitória de um objeto (urso de pelúcia, cobertor, fralda, etc.) permite passar este cabo. Nenhum tratamento homeopático é necessário, exceto quando há perturbações do comportamento.

Originally posted 2014-04-03 14:05:35.

Comments

comments