Artigos

O Princípio de Similitude

O princípio de similitude

Hahnemann observou que as doenças ‘naturais’ apresentavam analogias com as
“doenças medicamentosas” provocadas por substâncias medicinais da sua época.

Adicionou-lhes a noção de similitude que consiste em dar ao doente como medicamento
uma substância susceptível de provocar num indivíduo são um: Semelhante(Homeo) = Sofrimento(Pathos).

Por isso, para que a Apis mellifica seja eficaz, é necessário que os sintomas sejam não só similares aos sintomas reproduzidos pela picada de abelha – é o princípio de similitude – mas também que a segunda parte da definição seja cumprida: é a noção de infinitesimalidade.

Originally posted 2014-03-20 12:19:49.

Hahnemann - Primeiro enunciado da similitude de Hahnemann

Primeiro enunciado da similitude de Hahnemann

Primeiro enunciado do princípio de similitude por Hahnemann

“Não é em virtude de uma opinião preconcebida nem por amor pela singularidade que me decidi em favor de doses tão fracas […]. Consegui-o depois de experiências e de observações Hahnemann.

 

“Através da combinação das substâncias mais amargas e mais adstringentes, podemos obter uma mistura que, em pequenas doses, possui qualidades muito maiores do que a casca, e no entanto nunca resultará de uma tal mistura um especifico da febre. [É uma questão á qual o autor deveria ter respondido.

Este principio faltando-nos ainda algo para explicar a acção da casca, não poderá ser encontrado muito facilmente], mas devemos reflectir no que se segue. As substâncias que provocam uma febre forte (o café muito forte, a pimenta, a arnica, a fava Santo Inácio, o arsénico) aniquilam os tipos de febres intermitentes.

Para experiência, tomei durante alguns dias, duas vezes por dia, de cada vez quatro dracmas de bom china; primeiro, os meus pés. a ponta dos meus dedos, etc. arrefeceram, sentia-me cansado e sonolento, depôs o meu coração começou a bater, o meu pulso tomou-se duro e rápido, uma ansiedade insuportável, tremores (mas não arrepios), um cansaço de lodos os membros: depois batidelas dentro da cabeça, uma vermelhidão na cara, sede, ou seja, todos os sintomas habituais que conheço da febre intermitente apareceram uns a seguir aos outros, sem, no entanto, sentir verdadeiros arrepios de febre.

Resumindo: os sintomas habituais principalmente característicos para mim por ocasião de febres intermitentes, o adormecimento dos sentidos, uma espécie de rijeza das articulações, mas também principalmente a sensação surda e desagradável que parece ter o seu centro no periósteo de todos os ossos do corpo – apareceram lodos.

Este paroxismo durava de duas a três horas de cada vez e recomeçava sempre que eu tomava a dose. senão não se passava nada Parei, e recuperei a saúde.

Originally posted 2014-03-21 09:42:35.

caderno especial homeo opt - Durante um tratamento, os sintomas podem agravar-se?

Durante um tratamento, os sintomas podem agravar-se?

No geral, não há agravamento no inicio de um tratamento homeopático. Passageiramente, em circunstancias especiais ou com certas pessoas, podem produzir-se manifestações sentidas pelo doente como agravamentos.

Na realidade, traduzem reações exacerbadas do organismo ao tratamento. Portanto, a prudência é obrigatória nas doenças com um grande poder reacional, tal como a asma, porque podem suscitar reações violentas se o tratamento for mal feito.

Do mesmo modo, a utilização imprecisa da alguns medicamentos pode provocar replicações nas infeções que aparecem nas cavidades fechadas, tal como a cavidade sinuosa.

Algumas vezes, se o doente for muito sensível ao medicamento homeopático, os sintomas são agravados temporariamente e, por vezes, outros sintomas dos quais o doente não tinha falado ao medico desaparecem.

Se for este o seu caso, é porque “responde bem” ou é um “tipo sensível”. Fale nisso ao seu médico que adaptará a posologia.

Algumas vezes, os doentes continuam irrefletidamente um tratamento homeopático porque lhe alivia as dores. É um erro que é preciso evitar, porque a continuação intempestiva de um tratamento pode provocar uma reativação dos sintomas e por vezes, nos sujeitos mais sensíveis, desenvolver uma patogenesia, ou seja, os mesmos sinais de doença que aqueles que o medicamento poderia curar.

Ora uma das grandes regras da homeopatia consiste em espaçar as doses dos medicamentos a tomar à medida que a doença regride. Não continue ou não renove o seu tratamento sem a opinião do seu médico.

Originally posted 2014-03-24 11:56:05.

Homeopatia para adelgazar 2 - A noção de globalidade

A noção de globalidade

A noção de globalidade, ou noção de doença alargada ao homem, é um conceito médico homeopático que alarga a noção de doença ao homem que sofre, e integra-a no seu procedimento terapêutico, tal como o veremos no capítulo sobre o terreno

Esta noção deriva logicamente da relação de similitude que tenta fazer coincidir os sinais que apresenta o doente com os sinais do ou dos medicamentos. 0 Estudo dos sintomas da doença e das reacções patológicas individuais é indispensável para encontrar o medicamento homeopático.

Esta investigação global tem por objectivo a receita porque a homeopatia é mais um tratamento do homem doente, do que da doença É por isso que a noção de globalidade está directamente ligada à noção do terreno e, portanto, intervém tanto nas doenças agudas como crónicas, embora, para as primeiras, a sua pesquisa seja menos desenvolvida.

A noção de globalidade junta-se paradoxalmente â noção de individualidade e de carácter único do ser humano, sujeito que faz a unanimidade dos especialistas em genética.

A homeopatia permite tomar em consideração e concretizar, pelo seu lado terapêutico, esta aproximação teórica.

A globalidade, portanto o estudo para cada doente do conjunto dos sintomas, permite, a partir de uma síntese destes últimos, determinar a escolha do medicamento.
Engloba:

  • os sinais actuais da doença e as reacções próprias da pessoa a esta última;
  • os sinais anteriores, a evolução, o ritmo, as circunstâncias de melhoras ou de agravação da doença;
  • O terreno, ou seja, o modo de reacção geral do individuo face à doença;
  • A constituição do sujeito do qual veremos o valor relativo que é necessário conceder-lhe

Tudo isto pode parecer-lhe pelo momento um pouco abstracto, mas vamos ver, nos capítulos seguintes, as consequências práticas desta noção de globalidade.

A globalidade toma em consideração a pessoa inteira. O que tem três consequências:

  • A noção de doença è diferente em homeopatia, visto que presume que qualquer doença local impeça reacções gerais do organismo. Esta terapêutica opõe-se á separação entre os sinais clássicos da doença e os sinais gerais da reacção individual. O quadro nosológico – ou seja –  o conjunto das doenças ou de formas da uma única doença, provocadas pelo mesmo agente patogénico (vírus, bactéria ou outra) – da doença é assim ultrapassado; a globalidade permite abordar globalmente “a função humana perturbada”. Portanto, o medicamento homeopático não pode ser integrado no medicamento clássico.

 

  • Daquilo que acabámos de dizer, concebemos que a globalização da doença seja um
    escolho à realização de testes clínicos clássicos, porque os protocolos utilizados, adaptados ao método alopático, não Integram o conjunto dos sintomas da doença. Mas veremos que, apesar deste desfavor, a realização de testes terapêuticos, num enquadramento que resta a definir, é indispensável ao desenvolvimento da terapêutica homeopática.
    • Finalmente, a globalidade necessita, nos casos difíceis e nos tratamentos de terreno, de uma capacidade de síntese que só um médico que pratica quotidianamente a homeopatia pode adquirir. Assim, para encontrarmos o medicamento homeopático, Hahnemann recomendava que “se desse importância aos sintomas objectivos e subjectivos característicos, aos mais espantosos, aos mais originais, aos mais desusados e aos mais pessoais”.

Originally posted 2014-03-20 13:17:55.

Conheca a terapia floral2 - O que são as diateses?

O que são as diateses?

Traduzem um modo de defesa do organismo.

Exprimem-se através de um modo reacional geral que corresponde a reações específicas do organismo a agressões diversas.
Estas agressões diversas, chamadas “fatores etiológicos” ou “circunstanciais” são as causas que desencadeiam este modo reacional geral.

Estes modos reacionais gerais “colam”, na maioria das vezes, com os relatos dos doentes. As descrições dos seus sintomas entram muito bem nestes moldes

As diáteses ou os modos reacionais gerais são “quadros de espera”, para os quais é ilusório querer procurar, no estado atual dos nossos conhecimentos, uma origem qualquer ou causa comum.

Originally posted 2014-03-25 11:39:40.