Artigos

Ledum palustre bluete - Ledum palustre

Ledum palustre

Origem

O alecrim selvagem dos pântanos, da família das ericáceas, é um arbusto com cerca de 70 cm que cresce nos locais pantanosos e nas turfeiras da Europa.

Por vezes é cultivado como planta ornamental. Foi durante muito tempo utilizado na coqueluche, na lepra e na sarna.

Composição

Esta planta tóxica contém um óleo essencial do qual o composto principal é uma cânfora: ledol. A tintura-mãe é preparada a partir de ramos jovens, secos, com as suas folhas.

Indicações

Traumatismos

  • Imediatamente se a ferida:
  1. foi feita por objetos que picam, cortantes;
  2. e/ou sangrar pouco, e com dores localizadas;
  3. e/ou atingiu um olho, “olho negro”.
  • A seguir a Arnica montana se a equimose persistir.

Picadas de insetos

Medicamento das picadas de insetos acompanhadas por edemas

Apresenta um interesse na prevenção, sobretudo nas pessoas, especialmente nas crianças que regressam “ao país”: por exemplo os naturais das Antilhas que vivem na metrópole e que vão de fenas para as suas regiões de origem.

Reumatismos

  • que pioram com o movimento, o calor, e à noite;
  • que melhoram com as aplicações frias.

Englobando sobretudo os sujeitos com gota, ou aqueles com uma taxa muito elevada de ácido único.

Acne rosácea

  • Do alcoólico.

Posologia

Em prevenção das picadas de insetos: Ledum palustre 9CH, 2 grânulos ao levantar deitar, uma semana antes de partir e durante toda a estadia.

Ledum palustre convém se

Os fatores desencadeantes forem:

  • Os traumatismos.

As modalidades forem:

  • Uma agravação com o calor, o movimento, à noite.
  • Melhoras com o frio.

Originally posted 2014-04-10 14:56:08.

RHUS TOXICODENDRON - Rhus toxicodendron

Rhus toxicodendron

Origem

Rhus toxicodendron, o sumagre venenoso, da família das anacardiáceas, é um arbusto originário dos Estados Unidos e do Japão. Contem um látex irritante na origem de infeções cutâneas provocadas por esta planta.

Composição

A tintura-mãe, preparada a partir de ramos jovens com folhas apanhados no fim do Verão, contém substâncias com propriedades anti-inflamatórias (fisetina) e vesicantes (urushiols).

Indicações

Indicações reumatológicas

Reumatismos

  • Desencadeados ou agravados pela humidade.
  • Arranque doloroso, manifestando-se através de dificuldades, dores e rigidez dos membros durante os primeiros passos, ao sair da cama ou ao levantar-se de uma cadeira, por exemplo.
  • Com melhoras, até mesmo um desaparecimento das dores com a continuação dos movimentos.

Entorses

De todas as articulações, principalmente dos membros inferiores, mas também o torcicolo, por exemplo.

Rhus toxicodendron é indicado sistematicamente no princípio das entorses; alivia os músculos e os tendões lesados.

Os lumbagos a seguir a um esforço

Ciática ou ciatalgia
Desencadeada ou agravada pelo tempo húmido ou chuvoso.

Indicações cutâneas

Infeciosas

Varicela, herpes, zona.

Atópicas

Eczema.

Rhus toxicodendron reproduz tipicamente a erupção da varicela. Esta última começa por uma mancha rosada, que é coberta em algumas horas por uma vesícula cheia de um líquido mais ou menos límpido.

Estas lesões, que provocam comichão e ardem, melhoram com aplicações de água muito quente.

Gripe

Típica:

  • pela febre, acompanhada por uma grande sede de água fria, arrepios ao mais pequeno movimento e suores abundantes;
  • pelas sensações de dores no corpo muito dolorosas, com a necessidade constante de se mexer para as aliviar;
  • pela língua branca com a ponta vermelha;
  • e por vezes pela tosse seca dolorosa, e um herpes peribucal.

Rhus toxicodendron convém se

Os fatores desencadeantes forem:

  • A humidade.

As modalidades forem:

  • Uma agravação com a humidade, sob todas as suas fornias: o tempo, o habitat, as roupas, com o repouso e o início do movimento.
  • Melhoras com o calor (o tempo seco e quente, as aplicações quentes), com o movimento continuo.

Posologia

Para o herpes bucal: Rhus toxicodendron 15CH, tomado com bastante frequência, pelo menos todos os quartos de hora logo que sentimos a impressão de queimadura que precede a erupção.

Originally posted 2014-04-11 15:26:21.

stress22 - Tratamento do Stress

Tratamento do Stress

A reação ao stress provoca doença quando as capacidades de defesa ou as possibilidade de adaptação do individuo são ultrapassadas.

Estas perturbação da adaptação são na maioria das vezes transitórias, podem durar mais se o stress foi muito intenso ou repetido.

Repercussão do stress sobre o psiquismo

Ansiedade e doença depressiva são as duas principais consequências do stress sobre o psiquismo.

Perturbações ansiosas

Manifestam-se sob diferentes formas.

  • Ansiedade reacional

Esta diretamente em relação com o stress: é a componente psíquica natural do stress, aparece e desaparece com o agente angustiante.

Perturbações ansiosas e fóbicas

A repetição ou a persistência de um stress pode fazer com que a ansiedade se prolongue. Estas situações necessitam de uma consulta médica.

Síndroma de stress pós-traumático

A ansiedade aparece muitas vezes dois a seis meses depois de um acontecimento angustiante, ou físico, tal como um traumatismo craniano num acidente muito grave, ou psíquico, consequência de um acontecimento inesperado e súbito do qual o sujeito foi testemunha, tal como um grande incêndio uma explosão, um assassinato.

A ansiedade deve ser tratada muito bem e imediatamente para evitar que se organize em “nevrose autónoma”, ou seja. em doença individualizada.

Esta síndroma reconhece-se através de de sobressalto a um estimulo qualquer e inesperado (barulho por exemplo), através da revivescência situação (ruminação, pesadelos), através de uma diminuição da vontade própria, dificuldades para pensar e uma baixa da atividade física,

A título preventivo a seguir a qualquer traumatismo físico ou psíquico:

  • Arnica montana 15CH, uma dose.

Enquanto não vai a uma consulta:

  • Arnica montana 15CH.
  • Hypericum perforatum 15CH, nas pessoas que apresentam, alguns meses depois um stress muito importante, para alem de ansiedade, de cefaleias, de vertigens, de perturbações da memória e de insónia.
  • Natrum sulfuricum 15CH. quando estes mesmos sintomas aparecem nos sujeitos que respondem bem, ou seja, quando são motes, obesos, com tendência para os reumatismos, infecções ORL (rinofaringites, asma).

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos ao levantar e ao deitar.

Originally posted 2014-04-01 11:06:59.

homeopatia1 - Luesinum

Luesinum

Origem

Bioterápico preparado a partir de lisados à base de serosidades treponémicas de cancros primitivos retiradas em doentes ainda não tratados, e esterilizadas por filtração.

Indicações

Reumatismos

  • As articulações ficam volumosas e deformadas.
  • As dores pioram durante a noite.

Insónia

O sujeito tem a impressão de não ter dormido, e receia a aproximação da noite.

Cefaleias

Que pioram durante a noite, incomodando o sono.

Alcoolismo

Em complemento dos tratamentos clássicos

Doença de Alzheimer

Em complemento de tratamentos clássicos.

Luesinum convém se

As modalidades forem:

  • Uma agravação noturna.
  • Melhoras na montanha.

Os sujeitos que respondem bem a Luesinum

A criança inapta às matemáticas.
Os sujeitos com tendência para esquecerem os nomes próprios, que se perdem no seu bairro, que estão sempre a lavar as mãos (manias).

Originally posted 2014-04-10 15:02:08.

Thuja occidentalis   cone 1 aka - Thuya occidentalis Parte II

Thuya occidentalis Parte II

Reumatismos

Dos sujeitos que respondem bem.

Que pioram com a humidade, com um arranque matinal mais ou menos longo.

  • Reumatismo crónico que deforma.
  • Artrose das articulações grossas, principalmente da anca, e das pequenas articulações dos pés e das mãos.

Depressão reacional

  • Dos sujeitos que respondem bem a seguir a stress psíquico ou físico (sobretudo medicamentoso) repetido.
  • Que se manifesta através de fobias, principalmente do cancro, medo de ser seguido ou espiado por estranhos, sensações de corpo estranho a mexer no estômago, fragilidade dos membros.
  • Acompanhada por uma insónia terminal com despertar às 4 horas da manhã.
  • Que vai por vezes até à nevrose obsessiva.

Perturbações digestivas

  • Inchaços acompanhados por borborigmos e a impressão de ter algo vivo no intestino.
  • Prisão de ventre com fezes volumosas e difíceis de expulsar dos sujeitos que respondem bem.

Nas doenças graves

  • Em complemento dos tratamentos agressivos indispensáveis e por vezes repetidos.
  • Com o objetivo de diminuir os seus efeitos secundários e prevenir as consequências nefastas a longo prazo.

Interesse antes ou durante tratamentos tais como:

  • Vacinas, soros, gamaglobinas;
  • Quimioterapias: antibióticos, corticoides, tranquilizantes, neurolépticos, anti-inflamatórios.

Indicado mais em função dos tratamentos feitos pelo doente ou das suas consequências quer o sujeito responda bem ou não.

Thuya occidentalis convém se

Os fatores desencadeantes forem:

  • Todas as medicações agressivas (vacinas, soros, hormonas, corticoides, neurolépticos, imunodepressores. antibióticos, etc.).

As modalidades forem:

  • Uma agravação com a humidade e o frio, as vacinações e alguns tratamentos crónicos agressivos.
  • Melhoras com o calor.

Os sujeitos que respondem bem a Thuya occidentalis

A criança é pequena, roliça, com os membros magros e depósitos de gordura nas ancas. Tem a pele oleosa, transpira sobretudo do rosto – lábio superior e asas do nariz -, as suas unhas são moles e quebradiças, os cabelos secos e com caspa.

É friorenta e indolente, desenvolve-se lentamente, parece calma, mas é sobretudo fechada consigo própria.
Pólipos nasais, verrugas, rinofaringites e bronquites a repetição, asma estragam-lhe a vida regularmente.

Adulto, torna-se empastado, gordo, com uma tendência marcada para a celulite. O seu rosto é gordo, oleoso, com caparrosa, as pontas das sobrancelhas são desguarnecidas. A transpiração generaliza-se e liberta um cheiro a alho ou a alho francês cozido, os fâneros mantém-se em mau estado, a pele parece suja, doentia.

É friorento e o seu estado piora sempre com a humidade. Os sujeitos têm uma tendência geral para as infeções crónicas, sobretudo genitais na mulher, e para as perturbações venosas com varicosidades, varizes e molhes varicosos.

Posologia

  • Verrugas: nos sujeitos que respondem bem, associar às doses hebdomadárias de Thuya occidentalis 9CH uma preparação em tintura-mãe de Thuya occidentalis: uma aplicação de manhã e à noite nas verrugas
  • Em complemento dos tratamentos alopáticos nas doenças graves, tomar 3 dias de seguida ao levantar, sucessivamente:
  1. no primeiro dia: uma dose de Thuya occidentalis 9CH;
  2. no segundo dia: uma dose de Thuya occidentalis 15CH;
  3. no terceiro dia: uma dose de Thuya occidentalis 30CH.

Depois, regularmente, uma dose de Thuya occidentalis 15 ou 30CH por semana durante um mês.

Originally posted 2014-04-14 14:17:34.