Artigos

mujer bebe varicela - Dentes a romper

Dentes a romper

Os dentes a romper são um problema benigno que pode estragar a vida da criança e a dos pais. Os tratamentos homeopáticos são muito eficazes neste indicação.

Tratamento

  • Chamomilla vulgaris: as mães que conhecem o “truque” dão, muitas vezes com êxito e eficácia, de uma maneira quase sistemática, Chamomilla vulgaris quando a criança tem dor de dentes. Saiba que este medicamento é ainda mais indicado e portanto ativo quando as crises aparecem:
  1. numa criança normalmente — ou que se tornou devido à dor que não tolera insuportável, colérica, caprichosa.
  2. e/ou são acompanhadas por sinais gerais: febre com suores quentes no rosto.

A bochecha do lado do dente a romper está vermelha e quente, ao passo que a outra está fria. As dores pioram quando o biberão está quente (gritos); e melhoram quando andamos de criança ao colo ou a embalamos.

  • Chamomilla vulgaris também é indicado quando a crise provoca:
  • uma otite média aguda;
  • e/ou uma diarreia esverdeada com um cheiro fétido de ovos podres, e uma colite reconhecida pela agitação (“se se torcer como uma cobra”) e os gritos da criança;
  • e/ou uma rinofaringite com uma tosse noturna que não acorda a criança.

Posologia:

  • Se utilizar Chamomilla vulgaris a titulo sistemático sem a presença dos sinais supracitados, dará: Chamomilla vulgaris 5CH, 2 grânulos de quarto em quarto de hora, depois espace a dose logo que começam a aparecer melhoras.
  • Se encontrar os sinais precedentes, a criança deve tomar Chamomilla vulgaris 15CH; 2 grânulos de quarto em quarto de hora fazem ceder rapidamente a dor.

Acrescentará

  • Coffea cru da 7CH, se, para além disso, a criança tiver dificuldades para dormir, porque, tal como para Chamomilla vulgaris, as dores pioram com as bebidas quentes, mas melhoram com água fria (o molho de chaves dos pais está muitas vezes na boca).
  • Ferrum phosphoricum 7CH, no caso de otite associada.
  • Mercurius solubilis 7CH, se a criança babar na almofada e tiver a língua branca e febre.
  • Rheum 5CH. quando a diarreia torna a criança caprichosa e agitada, quando grita antes de ir à casa-de-banho e o cheiro azedo das fezes se espalha pelo corpo apesar aos cuidados de limpeza.
  • Staphysagria 9CH, se ficar com muito mau humor.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia se necessário.

Originally posted 2014-04-02 14:16:52.

875113852 - Tratamento de Otites

Tratamento de Otites

No bebé com menos de três meses

A paracentese (pequena incisão no tímpano) é praticada quase sistematicamente.

Na criança mais crescida

De uma maneira sistemática, logo que suspeita uma otite, pode dar:

  • Capsicum 5CH e Pyrogenium 5CH, associados a:
  • Belladonna 5CH, no caso de febre alta de face vermelha.
  • Ferrum phosphoricum 5CH, no caso de febre moderada e face pálida.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos todas as horas no primeiro dia, depois 5 vezes por dia nos 2 dias seguintes e a seguir 3 vezes por dia durante 3 dias.
Na ausência de melhoras nos dois dias que se seguem, vá a uma consulta com a criança.

Tratar a rinofaringite

Trate a rinofaringite habitualmente associada e sobretudo desentupa o nariz da criança, fazendo instilações nasais de soro fisiológico acondicionado em fraco unidose.

Originally posted 2014-04-02 10:07:39.

894326 54591782 - Gripe

Gripe

A gripe é uma doença respiratória virai provocada pelo Myxovirus influenzae que, na maioria das vezes, aparece sob a forma de epidemia invernal.

Existem três tipos de vírus. A, B, C aos quais correspondem três formas de gripe: a gripe de vírus A, a gripe de vírus B, a gripe de vírus C. A gravidade da gripe é muito variável e depende principalmente do terreno, as pessoas com mais de setenta e cinco anos são os pacientes que pagam o maior tributo.

Não existe tratamento especifico da gripe. Durante a última epidemia de 1995-1996. o número de gripes foi avaliado em 4,2 milhões.

Diagnóstico

A gripe manifesta-se sempre ruidosa e brutalmente através de arrepios, uma febre que pode atingir 39°-39º5 em vinte e quatro horas, dores musculares com dores no corpo (pernas e sobretudo costas), um esgotamento, até mesmo um estado de prostração

Os outros sinais que encontramos com mais frequência são as dores de cabeça, o nariz a pingar um liquido claro, dores na garganta e uma tosse seca que pode tomar-se grossa (com uma expetoração muco purulenta).

Os sinais menos frequentes são a conjuntivite, os vómitos, a diarreia, a otite.

De facto, diante da multiplicidade destes sintomas, o diagnóstico baseia-se principalmente na noção de epidemia de gripe e no aparecimento invernal dos sintomas descritos.

Principais complicações

São raras nos sujeitos de boa saúde, a mais frequente é a bronquite ou a pneumonia.

São mais frequentes nos sujeitos a risco, ou seja, naqueles que têm doenças crónicas, cardíacas ou pulmonares (asma, bronquite), assim como nas pessoas de idade e nas mulheres grávidas no terceiro trimestre de gravidez. Se isto lhe diz respeito, deve ir consultar um médico logo que apareçam estes sintomas, sobretudo durante uma epidemia ou no Inverno.

Prevenção

A vacinação é recomendada nas pessoas a risco supracitadas.
Para os outros, a vacinação é mais discutível, não pela sua má tolerância ou pelos efeitos secundários de pouca importância desta última, mas sobretudo porque se acrescenta às outras múltiplas vacinações e solicita mais o sistema imunitário.

Seja qual for o seu caso, será o seu médico quem decidirá com discernimento do interesse ou não de se vacinar.
Finalmente, saiba que a vacinação não preserva completamente da gripe visto que apenas 70% a 80 % dos casos ficam realmente protegidos da doença.

Originally posted 2014-03-27 13:09:13.

baby - Dores abdominais da criança

Dores abdominais da criança

As causas das dores abdominais são na maioria das vezes banais. Por vezes, revelam uma otite, uma infeção urinária ou uma pneumonia. Se forem antigas, são muitas vezes de origem psicogénica.

Diagnóstico

A dor abdominal é um sintoma do qual é necessário determinar a causa: revela na maioria das vezes um prisão de ventre crónica, ma gastroenterite ou a presença de lombrigas.

Se as dores persistirem, aconselho o leitor a consultar o seu médico. Se forem antigas também, porque podem traduzir um carácter ansioso ou um conflito com um dos membros da família (pais, irmão, ou irmã) ou com alguém próximo (professora por exemplo).

Saiba também que as dores abdominais podem ter uma causa extra-digestiva e comprovarem uma otite, uma infeção urinária ou uma pneumonia.
Vá a uma consulta se a causa não lhe parecer evidente.

Principais complicações

Atenção!

Devem ser consideradas duas urgências cirúrgicas em função da idade:

  • na criança com menos de dois anos (entre seis e dezoito meses), a invaginação intestinal aguda (penetração de uma porção do intestino numa outra, com risco de necrose) manifesta-se através de uma recusa brutal do biberão, uma palidez, gritos súbitos, acompanhados por um arremesso do corpo para trás. Depois, em alguns instantes, o bebé acalma-se e retoma as suas cores.
  • na criança mais crescida, a principal urgência cirúrgica ó a apendicite, que se reconhece pelos vómitos, a febre, a prisão de ventre inopinada e as dores na fossa ilíaca direita (parte do abdómen situada por baixo e à direita do umbigo).

Se a criança tiver sangue nas fezes ou se digerir mal o leite, também se impõe uma consulta médica.

Originally posted 2014-04-02 15:43:09.