Artigos

1371627748 cartaz consultas oftalmologia - Oftalmologia

Oftalmologia

As possibilidades da homeopatia nesta área são muitas vezes desconhecidas do grande público e dos profissionais de saúde não homeopatas.

Numerosos medicamentos alopáticos que intervêm nas afeções dos olhos, ou nas doenças mais gerais, comportam efeitos secundários e causam consequências nefastas sobre os olhos. Por exemplo, alguns colírios, ou os corticóides ou outros, atuando sobre a angina de peito ou sobre a pão arterial, podem provocar glaucomas.

A homeopatia associada no tratamento destas doenças tem a vantagem de minimizar os efeitos deletérios destes medicamentos,mesmo modo, atua nas manifestações oftalmológicas rebeldes à terapêutica alopática.

A idade também é interessante nas doenças dos olhos que aparecem nas pessoas de idade. A homeopatia é eficaz tanto nas manifestações infecciosas como nas alérgicas. As afeções febras também podem ser tratadas com esta terapêutica.

Com as diferentes indicações descritas neste capítulo, aconselho o leitor a não deixar persistir as leões mais de quarenta e oito horas e a consultar imediatamente um médico principalmente se os seus olhos estiverem vermelhos, dolorosos e/ou acusarem uma má visão.

Originally posted 2014-04-01 11:15:12.

iStock 000008995103Medium - Complexista

Complexista

Complexista: médico homeopata que prescreve numerosos medicamentos sob a forma de preparação magistral.

Originally posted 2014-04-17 09:17:38.

placebo - O efeito placebo ou a relação médico-doente

O efeito placebo ou a relação médico-doente

Recentemente ainda, uma consulta mais longa no medico homeopata, um auscultação melhor deste ultimo, um seguimento global o individuo foram muitas vezes elemento invocados pelo detratores e pelos partidários da homeopatia para explicar a sua suposta ou real atividade.

Os primeiros atribuindo a sua real atividade ao próprio medicamento cuja receito receita toma também em consideração destes elementos.

De facto, o problema não esta ai, porque não pensamos que estes elementos seja específicos a um tipo especial de medicina ou de médico. Os efeitos placebo são globalmente idênticos em relação ao que existe entre um medico e o seu paciente, seja qual foi a terapêutica utilizada.

Se a eficácia da homeopatia só estivesse ligada a uma consulta mais longa, e a maneira de receitar do medico poderíamos objetar seguramente o argumento seguinte: então por que razão os médicos alopatas não otimizam, com tão poucos custos, o seu próprio efeito placebo?

Para além disso, os médicos que praticam a alopatia estão tão convencidos da eficácia de todos os seus tratamentos como os médicos homeopatas.

Um único estudo suficientemente falante prova-o. Por ocasião da chegada de um “medicamento milagroso” contra a asma. um medico alopata submeteu uma das suas pacientes a um teste rigoroso.

Sempre que tinha um crise de asma, dava à sua paciente, com conhecimento da causa, umas vezes o medicamento, outras vezes o placebo. Obteve êxitos sempre que administrava o medicamento, e fracassos quando dava o placebo.

Quando levou os seus resultados ao laboratório farmacêutico, disseram-lhe, com grande
surpresa sua, que lhe tinham sempre enviado o placebo.

A sugestão inconsciente do médico, a tua convicção na eficácia do tratamento tinham sido o suficiente para aliviar as crises de asma da sua paciente.

É inegável que o efeito placebo tem uma importância considerável na relação entre o médico e o doente. 0 medicamento representa a ligação entre o doente e o médico. Seja qual for a sua atividade, tem um efeito placebo ligado ao ato médico.

O doente vai ver um médico para se curar, o medicamento simboliza a senha que permite passar da doença para a cura.

O próprio ato médico representa a esperança de cura para o doente é por isso que medicamentar não é indispensável para curar ou para acalmar fortemente um doente.

Quando uma dor intensa perto do peito o perseguiu durante várias noites, obrigando-o a marcar uma consulta para finalmente, revelar-se como uma banal dor intercostal, o alívio que resulta daí é imediato e diminui pelo menos para metade a dor que sentia. E isto. quer vá consultar um médico generalista homeopata ou não, a sensação de bem-estar é a mesma.

Através destes poucos factos e reflexões, entendemos que o efeito placebo é inerente a qualquer ato médico, e que não e dissociável deste ultimo, seja qual for a terapêutica utilizada.

Não podemos atacar a homeopatia sobre o terreno para argumentar contra a sua ineficácia, porque o efeito placebo é o mesmo em alopatia. Se nos responderem o contrário, isso subentende que os homeopatas são melhores médicos do que os seus colegas alopatas, o que é lisonjeador mas sem fundamento.

Se neste capitulo falámos, várias vezes, da alopatia. foi antes de mais para provar que o efeito placebo é inerente a qualquer terapêutica, incluindo alopatia e homeopatia.

A propósito disso é característica a atitude da indústria farmacêutica alopática que dá cores aos comprimidos desde que verificou que as suas atividades terapêuticas eram bastante melhores com este artificio.

As cápsulas verdes seriam mais eficazes do que as vermelhas ou amarelas os ansiosos, por exemplo Mas devemos censura-los por isso? Seja como for, é uma critica que não pode ser feita aos medicamentos homeopáticos!

Originally posted 2014-03-24 11:23:22.

various expressions of cigarettes photography - Tratamento para deixar de fumar

Tratamento para deixar de fumar

Tratamento

Quanto mais elevada for a dependência, mais um esforço de vontade importante e uma grande motivação serão necessários para deixar de fumar.
Decida com o seu médico o uso ou não de selos de nicotina; saiba que estes últimos são formalmente contraindicados durante a gravidez.

Tratamento homeopático

  • Os medicamentos habitualmente utilizados quando deixamos de fumar, mais ou menos sistematicamente, em homeopatia são: Nux vomica 5CH, Tabacum 9CH e Caladium 5CH.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 8 dias.

  • Plantago 1DH, algumas gotas numa colher de sopa de água, regularmente na boca, retiraria o sabor do tabaco.
  • Um tratamento de terreno permite lutar contra a síndroma da falta de tabaco que se manifesta, entre outros, através de ansiedade, irritabilidade e impaciência; restabelece a mais pequena concentração intelectual e corrige a sonolência diurna e a insónia que aparecem quando deixamos de fumar. Também limita o aumento de peso (normalmente 3 quilos nos homens e 4 quilos nas mulheres).

Acupunctura

A acupunctura ajuda eficazmente a deixar de fumar. Uma sessão é suficiente quando a dependência é fraca, varias se a dependência for elevada.

Originally posted 2014-04-07 11:49:45.

1dandelion3 - Geriatria

Geriatria

O envelhecimento da população constitui, com toda a evidência, uma formidável parada de saúde pública visto que aproximadamente 20% dos franceses têm mais de sessenta anos (cerca de 11,5 milhões), 13% mais de sessenta e cinco anos e 10% de setenta e cinco a orientamos.

Os últimos números publicados mostram que a esperança de vida ao nascer vai até aos oitenta e dois anos nas mulheres francesas e aos setenta e quatro anos nos homens

Só estes números bastam para explicar a importância socioeconómica das pessoas de idade na área da saúde, as quais consomem em media duas vezes mais de tratamentos do que o resto da população.

No decorrer dos anos, a pessoa de idade vê muitas vezes aumentar o números dos sintomas dos quais sofre. Assim à hipertensão arterial podem acrescentar-se a diabetes, os reumatismos, depois uma diminuição da visão, do ouvido, perdas de memória.

Estas diferentes perturbações estão por vezes na origem de uma redução progressiva das suas atividades em sociedade, de um isolamento, e finalmente de uma dependência difícil de aceitar.

Assim, a prevenção tem sobretudo por objetivo, para além dos tratamentos das doenças propriamente ditas, evitar a dependência dos sujeitos de idade A prevenção da dependência situa-se em três níveis:

  •  evitar as grandes doenças responsáveis por mortes prematuras: doenças cardiovasculares, diabetes, cancros;
  •  tratar as perturbações que podem incomodar a vida social; perturbações urinárias, perturbações dos órgãos dos sentidos, dores nas costas e nas articulações;
  • preservar a vida de relação perda de memória. depressões demências

Os doentes com muita idade necessitam da intervenção de uma equipa pluridisciplinar coordenada pelo médico generalista. Esta colaboração engloba as especialidades e os profissionais paramédicos tais como as enfermeiras, os fisioterapeutas, os ergo-terapeutas.

A ajuda social, a tonta, os amigos, os vizinhos também fazem parte desta intervenção. Todo este ambiente ajuda o doente a sair do seu isolamento, retarda ao máximo a dependência e dá-lhe uma vida social indispensável para o seu equilíbrio mental e físico.

No entanto, o tratamento das diversas afeções também implica um crescimento em número e “em intensidade” dos medicamentos, com o seu lote inevitável de efeitos secundários. Ainda é mais surpreendente quando sabemos que é o sujeito mais sensível ás medicações e aos seus efeitos que consome mais.

A propósito disso, é interessante constatar que mais de 10% das pessoas com mais de oitenta anos são hospitalizados devido a um acidente iatrogénico, ou seja, provocado por medicamentos.

Prevenção

Começa cedo e não diz respeito só ao campo da homeopatia. Quase que não ousamos falar da menopausa e da osteoporose ao abordarmos este tema, porque estas últimas dizem respeito às mulheres jovens que ainda estão longe da terceira idade.

Mas é necessário saber que o capital ósseo (quantidade de ossos) é em parte determinado geneticamente e em parte adquirido através do consumo de cálcio na adolescência. Compreendemos então por que razão a prevenção deve ser precoce.

Concebemos assim o papel de educação das nossas avós numa época em que, à merenda, o copo de Coca-Cola é dado mais vezes aos nossos filhos do que o copo de leite.

Originally posted 2014-03-28 11:40:36.