Artigos

banner2 - Argentum nitricum

Argentum nitricum

Origem

Argentam nitricum, o nitrato de prata, apresenta-se sob a forma de cristais transparentes, inodoros, obtidos diretamente da indústria da química.

Indicações

Receio

Que precede uma data importante pouco habitual, manifesta-se através de:

  • Uma diarreia emotiva;
  • Ardores de estômago;
  • Aerofagia.

Este medicamento dá resultados notavelmente eficazes nos estudantes que vão fazer um exame ou um concurso.

Perturbações digestivas

  • Aerofagia com arrotos ruidosos, em descarga, mais ou menos dolorosos.
  • Ardores de estômago, acompanhados por arrotos característicos, agravados ou provocados pela absorção de doces muito desejados pelo sujeito.
  • Gastrites, úlcera gástrica (consulte o seu médico).

Faringite

Infeciosa, muito dolorosa com uma sensação de lasca na faringe.

Laringite

Com rouquidão dolorosa dos oradores ou dos cantores que forçaram a voz.

Argentam nitricum convém se

Os fatores desencadeantes forem:

  • Uma data pouco habituai e importam (exame, entrevista)

As modalidades forem:

  • Uma agravação com o calor, com os doces, durante a menstruação
  • Melhoras com o frio, com o tempo fresco, durante a noite, com uma pressão Ione.

Os sujeitos que respondem bem a Argentum nitricum

Este medicamento convém aos sujeitos ansiosos, agitados, precipitados, com tendência para fazerem tudo muito rapidamente.

Andam depressa, comem depressa São muito gulosos de doces apesar dos ardores digestivos que lhes provocam.

Medrosos, tem falta de confiança em si próprios, receiam chegar atrasados, medo do futuro próximo, medo do fracasso que os bloqueia no seu empreendimento e que os faz muitas vezes falhar.

Posologia

Para o receio: Argentam nitricum 15CH 3 vezes por dia, nos dias que precedem o e no próprio dia do exame.

Originally posted 2014-04-08 15:02:24.

herbs larger pic - O Método dos frascos separados

O Método dos frascos separados

A diluição

O principio é simples: consiste em diluir num frasco uma unidade da substância do inicio em partes de álcool para obter a 1 CH. Depois diluir de novo, num outro frasco, uma unidade da 1 CH em 99 partes de álcool para obter a 2 CH, etc. Por outras palavras, há 1 por 100 da substância de inicio na 1 CH, 1 por 10.000 na 2CH, 1 por 1.000.000 na 3 CH. etc.
Se a diluição de uma unidade da substância de inicio se fizer em 9 partes de álcool, obtemos a primeira diluição decimal ou 1 DH.

A dinamização

Para que os produtos finais sejam ativos, cada diluição obtida deve ser abanada manual mecanicamente cem vezes: é a sucessão ou dinamização Insistimos sobre esta noção de dinamização, porque é uma etapa capital e obrigatória que condiciona e explica provavelmente a atividade do medicamento homeopático apesar da quase ausência de moléculas.

Era de notoriedade “homeopática” – quando a sua fabricação era artesanal – que os medicamentos insuficientemente e/ou molemente agitados tinham uma eficácia nitidamente inferior à dos medicamento vigorosa e suficiente abanados.

Diluiçao

Substancias

1 por 100

Corresponde a 1CH

1 por 10.000

Corresponde a 2CH

1 por 1.000.000

Corresponde a 3CH

1 por 10^18

Corresponde a 9CH

1 por 10^30

Corresponde a 15CH

1 por 10^50

Corresponde a 30CH

Este procedimento permite obter diluições sucessivas. É, por exemplo, Belladonna 4CH, Belladonna 5CH, Arnica montana 9CH

Originally posted 2014-03-25 09:45:44.

Samuel Hahnemann 3 - O Procedimento de Hanhemann

O Procedimento de Hanhemann

Estudos e reflexões

A seguir aos estudos de medicina efectuados em Leipzig. Hahnemann apresenta a sua tese de medicina em 1779 e instala-se em Hettstedt como medico, paralelamente às suas actividades de tradutor.

 

Poliglota, conhece o grego, o latim, o hebreu, o inglês, o francês, o húngaro, o romano, o russo: traduz numerosas obras médicas, científicas e literárias. Em 1777, com vinte a um anos, Hahnemann traduz uma obra de Nugent, Ensaio sobre hidrofobia descrevendo um método terapêutico contra-irritante que consiste em provocar espasmos violentos mas benignos com substâncias, a fim de curar os espasmos do doente.

 

Na sua tese de medicina intitulada Exame das causas e do tratamento das afecções espasmódicas ia começa a aparecer uma reflexão que conduzira Hahnemann, dezassete anos mais tarde, à terapêutica homeopática. Começa por mencionar o conceito de irritabilidade e de sensibilidade defendido por Haller.

 

Este último, vitalista, aluno de Boerhaave, coloca o problema da transmissão nervosa: distingue os nervos “irritáveis”, que se contraem sob a influência de um estímulo exterior, a os nervos sensíveis, não contrácteis, que transmitem as impressões da alma, as forças vitais.

Na sua tese, cita Whytt que sustém que a energia da arma e os nervos comandam todos os movimentos, voluntários e involuntários. Hahnemann ordena as afecções espasmódicas segundo a classificação de referência das doenças de Boissier de Sauvages que tenta ligar os sintomas a uma doença específica. Hahnemann propõe para além disso uma classificação nosológica de referência das doenças. Menciona Storck que experimenta substâncias tóxicas com um objectivo terapêutico.

 

Um médico diferente dos outros.

A seguir, Hahnemann assinala-se rapidamente no mundo médico pelo seu espírito contestatário, porque denuncia, no Método para tratar cuidadosamente as fendas antigas e as úlceras pútridas, a falta de rigor no procedimento de diagnóstico, a incoerência e o perigo dos tratamentos que são propostos.

Contrariamente à prática da sua época em que os tratamentos eram muito numerosos, apenas elogia a utilização de alguns medicamentos. Propõe este procedimento para tentar tomar a terapêutica mais coerente a evitar interacções medicamentosas desconhecidas.

Evidencia, sob a influência provável de Franck – fundador da higiene moderna -, a higiene de vida, o modo alimentar, o exercício físico e o ar puro. Também propõe a utilização de banhos frios com o objectivo terapêutico.

Este método é vivamente contestado pela corporação médica, porque Hahnemann recusa os tratamentos tóxicos da sua época. Avança ideias revolucionárias que são naquela altura a higiene, a hidroterapia da vis medicatrix naturae, a acção médica da natureza. Hahnemann já é um adepta da medicina experimental; ele; “A medicina não deve afastar-se de um passo da esfera das experiencias e das observações puras, se quiser evitar cair no nada e no charlatanismo.”

Originally posted 2014-03-20 16:53:38.

baby2 - Tratamento do coqueluche

Tratamento do coqueluche

Quando a doença está bem instalada

Drosera rotundifolia 30CH é o medicamento característico da coqueluche, dos ataques de tosse, com cianose da face, desencadeada por uma comichão laríngea ou logo que|deitamos a criança. Esta tosse piora depois da meia-noite.

A sua violência e a sua intensidade são tais que provoca dores nas costas e no abdómen que só são aliviadas com a pressão das mãos do doente nos sítios doridas. O medicamento não deve ser renovado enquanto o estado do doente estiver a melhorar.

Posologia: uma dose única proporciona melhoras nítidas, depois, por vezes, uma exacerbação passageira dos sintomas.

  • Coccus cacti 5CH: medicamento típico da coqueluche que é acompanhada por ataques de tosse muito dolorosos que coram o rosto e terminam com a expulsão de mucosidades que pendem em longos fios fora da boca. Os ataques de tosse são mais frequentes ao acordar e antes da meia noite, contrariamente a Drosera rotundifolia, e melhoram com bebidas frias.
  • Corallium rubrum 5CH: tosse coqueluchóide com ataques de tosse, muito violentos, muito dolorosos, com vermelhidão no rosto e esgotamento a seguir ao ataque.
  • Cuprum metallicum 5CH: coqueluche misturada com ataques violentos de tosse, espasmódica, das mais violentas, esgotante, com cianose da face Acalma com um goto de água fria.
  • Ipeca 5CH.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois durante 10 dias, e a seguir a cada ataque de tosse se necessário.

No final a doença

Indicaremos:

  • Pertussinum 7CH: tomar uma dosa deste medicamento no caso de ataques de tosse mínimos que persistem a seguir à doença.
  • Pulsatilla 15CH, se no fim da coqueluche aparecer muitas vezes uma tosse que corresponde a este medicamento. É grossa e indolor de dia, seca de norte, obrigando o doente a sentar-se.

Posologia: 2 grânulos 3 vezes por dia durante alguns dias

Durante a convalescença

  • Sulfur iodatum 15CH é um medicamento eficaz de convalescença das doenças infecciosas, principalmente infantis, porque as crianças normalmente respondem bem.
  • Natrum muriaticum 15 CH, indicado nas crianças muito cansadas pela doença.

Posotogia: uma dose por semana durante 1 mês.

Originally posted 2014-04-01 15:45:44.

Fisioterapia para gestante - Parto

Parto

O parto é um momento difícil porque, após ove meses de vida intra-uterina, o feto vai separar-se do organismo materno. Este fenómeno fisiológico que termina no nascimento da criança é delicado para esta última e para a mãe.

Há aproximadamente 800.000 nascimentos por ano.

Definição

O parto põe um termo à gravidez e termina-se pelo nascimento da criança. Alguns dias antes as contrações tornam-se mais frequentes mas são irregulares.

O parto propriamente dito é precedido pelo trabalho. Este último consiste numa série de contrações do útero ritmadas e progressivamente dolorosas até à saída da criança. O trabalho dura em média doze a quinze horas para a primeira gravidez e seis a oito horas pau seguintes.

Principais complicações

São da competência do obstetra.

Interesse da homeopatia

Antes do Parto

  • Actea racemosa 9CH acalma a inquietude, a agitação e a ansiedade das mulheres no mês que precede o parto.

Posologia: 2 grânulos ao levantar e ao deitar.

  • Arnica montana 15CH limita o traumatismo físico ligado ao parto.

Posologia: uma dose por semana no mês que precede o parto.

  • Caulophyllum 5CH, se sentir, nos últimos dias da gravidez, falsas dores de trabalho, cãibras, espasmos.

Posologia: 2 grânulos 3 vezes por dia se necessário.

Durante o parto

Conheça as contrações

Se estas últimas são irregulares, dolorosas e quando o trabalho se prolonga deve tomar:

  • Actea racemosa 9CH, se a sua excitação metal se manifestar atraves de uma tagarelice incessante.
  • Caulophyllum 5CH, se o trabalho for lento e as contrações muito fortes, curtas, irregulares, incessantes. Acelera a dilatação do colo.
  • Gelsemium sempervirens 5CH deve ser associado aos dois medicamentos precedentes.

Posologia: nestes casos, dado as circunstancias, utilizamos alternada ou concomitantemente Actea racemosa 5CH, Caulophyllum 5CH e Gelsemium sempervirens 5CH. As doses são ritmadas e são muito frequentes.

Acalme-se

Podem ser úteis:

  • Aconitum napellus 9CH, quando a ansiedade e o medo da morte predominam durante o parto: pede aos gritos para que a aliem.
  • Actea racemosa 9CH, se fizer parte daquelas que não param de falar durante o parto.

Posologia: 2 grânulos conforme a necessidade para se acalmar.

Depois do parto

Para ajudar a expulsão da placenta

A “libertação”, ou seja, a expulsão da placenta durante a última parte do trabalho, produz-se graças às contrações que vêm a seguir à saída da criança. A expulsão faz-se naturalmente na maioria das vezes logo a seguir ao parto. Se não for esse o caso. acelere as contrações tornando em conjunto os três medicamentos seguintes:

  • Actea racemosa 5CH.
  • Caulophyllum 5 CH.
  • Gelsemium sempervirens 5CH.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos de 3 em 3 minutos 5 vezes de seguida.

Se a expulsão não tiver lugar nos três quartos de hora que se seguem, o obstetra deve intervir manualmente para descolar a placenta e retirá-la do útero.

Depois de uma episiotomia ou uma cesariana

Tome em conjunto os três medicamentos seguintes:

  • Arnica montana 5CH.
  • Staphysagria 5CH é um medicamento das feridas lancinantes, nítidas, cirúrgica associar sistematicamente a Arnica montana nesta indicação.
  • Pyrogenium 5 CH previne uma eventual infeção.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 3 vezes por dia sistematicamente depois de uma episiotomia até à cicatrização.

No caso de cefaleias depois de uma epidural

  • Natrum sulfuricum 15CH: uma dose a seguir ao parto até mesmo preventivamente permite evitar as dores de cabeça que aparecem depois de uma epidural. Volte a torna uma dose duas horas mais tarde se o resultado for insuficiente.
  • Hypericum perforatum 15CH é indicado quando as cefaleias estão associadas a dores lombares à volta da picada.

Posologia: uma dose do medicamento mais indicado logo no começo das perturbações, 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias.

Originally posted 2014-03-31 14:31:42.