Artigos

1dandelion3 - De que são feitos?

De que são feitos?

Os medicamentos homeopáticos soo provenientes principalmente, tal como acabamos de ver, de todos os reinos da natureza: animal, vegetal ou mineral

As substâncias vegetais

As substancias vegetais, as plantas, as mais numerosas, aproximadamente 1 500 estão na origem doe medicamentos homeopáticos.

A legislação impõe a apanha de plantas frescas {com as suas raízes), de manha cedo, no seu habitat natural. De preferência selvagens, estes vegetais devem ter crescido o máximo possível ao abrigo da poluição, ou seja, sem a utilização de adubos químicos, pesticidas, herbicidas, fungicidas, inseticidas. As plantas cujo habitat está afastado dos laboratórios homeopáticos são transporta- das secas.

Conforme os medicamentos, utilizamos tudo ou uma parte da planta, sendo a base uma tintura-mãe que provem da maceração desta última em álcool.

As substancias de origem animal

Tem por origem:

  • Um animal inteiro, tal como a abelha ou a formiga vermelha
  • Uma parte ou uma secreção intestinal de cachalote; ou Vípera, a víbora, cujo veneno é utilizado no medicamento homeopático.
  • Microrganismos derivados do bacilo tuberculoso Aviaire, Tuberculinum ou TK, Tuberculinum residuum ou TR; VAB o BCG, provenientes de bactéria patogênicas retiradas do homem ou do animal, Anthracinum, lisado de fígados de coelhos aos quais foi inoculado o carvão; Luesinum, serosidade do cancro primitivo sifilítico retirada antes de qualquer tratamento. Estes medicamentos provenientes desta área são chamados bioterápicos (antigamente nósodos). São fornecidos aos laboratórios homeopáticos pelo Instituto Pasteur ou Mérieux. Os mais conhecidos são Influenzinum, preparado a partir da vacina anti gripe e utilizado na prevenção da gripe, e colibacilinum, que é um lisado de várias bases de colibacilos, muito útil na prevenção das infecções urinárias a repetição.

Para os animais, também aqui a base é uma tintura-mãe, o veiculo é o álcool, ao passo que, no geral, os venenos ou os microrganismos são eles próprios a base e o veiculo da lactose.

As substancias de origem mineral

As bases de origem mineral provem:

  • De corpos naturais tal como o sal de mar, ou o calcário da concha de ostra, a sílica ou o petróleo.
  • De corpos compostos definidos pelo seu modo de preparação: é o caso de Causticum, mistura de cal e de bissulfato de potássio, ou de Hepar sulfur, mistura de calcário de ostra e de flor de enxofre purificado.

Classificamos nesta categoria substancias puramente químicas, tais com o enxofre, o Sulfur, o iodo, Iodum.

As substancias de outras origens

Colocamos neste grupo não só os bioterápicos que acabamos de descrever, como também uma classe especial destes últimos, os isoterápicos. São derivados de substancias:

  • que provem do próprio doente: o sangue, as fezes, as urinas, os escarros;
  • transportados pelo doente: por exemplo uma substancia alérgica, pólen ou pelos de gato, que desencadeia sistematicamente a doença neste doente.

Também aqui, são as substancias que constituem diretamente as bases dos medicamentos homeopáticos.

Originally posted 2014-03-25 10:57:28.

Homeopatia para adelgazar 2 - Por que razao tomamos as mesmas doses em todas as idades?

Por que razao tomamos as mesmas doses em todas as idades?

Tal como já vimos, a homeopatia é uma terapêutica reacional, cuja actividade depende, entre outras, das capacidades de reacção do organismo. Ao passo que em alopatia a posologia é determinada em função da idade, do peso e da doença do individuo. As regras de prescrição e a posologia variam conforme a reactividade do doente, o grau de similitude, a natureza aguda ou cronica da doença.

A frequência com a qual os medicamentos são tomados e a escolha da diluição são submetidas a estes elementos, é por isso que a posologia não muda com a idade.

“Os medicamentos homeopáticos serão tóxicos?”

Substancias muito perigosas para o organismo em doses ponderais, tais como o arsénico, a beladona, ou o veneno de víbora, perdem a sua toxicidade quando são diluídas e dinamizadas tal como o exige a preparação dos medicamentos homeopáticos.

“Que fazer em caso de ingestão acidental?

Geralmente, a ingestão acidenta de um frasco de grânulos não provoca quase nenhumas, ou até mesmo nenhumas perturbações num sujeito que não é sensível a este medicamento.

Em contrapartida, pode desencadear, num sujeito são e sensível, fenómenos clínicos equivalentes a um patogenesia, ou seja, sinais iguais aos da doença que esse mesmo medicamento poderia curar.

Sendo a resposta individual, o mais sensato é contactar, sem entrar em pânico, o seu medico homeopata para que este ultimo lhe indique o que deve fazer.

Em caso algum, de nada vomitar ou fazer vomitar; isso só provocaria um incomodo suplementar supérfluo.

Originally posted 2014-03-24 12:49:16.

placebo - Como são determinadas as indicações dos medicamentos homeopaticos

Como são determinadas as indicações dos medicamentos homeopaticos

As indicações dos medicamentos homeopáticos estão reagrupadas num dicionário chamado “matéria médica”. Existem várias matérias médicas das quais algumas foram reatualizadas recentemente.

  •  da experimentação no homem são: são os dados patogenéticos;
  • da toxicologia: diz respeito às informações fornecidas pelas intoxicações voluntárias ou involuntárias, agudas ou crónicas, de substâncias tóxicas ou medicamentosas;
  • da experiência clínica: aplica-se a verificar a atividade do medicamento sobre os sintomas que emanam das duas primeiras fontes de informações (verificação do princípio de similitude) e a constatar a cura de sinais da doença que não provêm da experimentação nem da toxicologia

Todos estes dados não são distintos no seio das matérias médicas, mas a tendência atual é diferenciá-los.
A matéria médica de cada medicamento compreende

  • a sua origem;
  •  a composição química do medicamento;
  • as modalidades:
  • os sujeitos sensíveis ou que respondem bem;
  • as principais indicações;
  • as precauções de utilização e as contra-indicações

Nesta obra, para que seja mais didática, foram acrescentadas:

  •  a posologia mais adaptada em função das indicações médicas;
  •  as comparações com os outros medicamentos nas indicações respetivas.

Originally posted 2014-03-25 11:16:54.

Petróleo - Infinitesimalidade

Infinitesimalidade

Infinitesimalidade: esta palavra designa classicamente as fracas doses dos medicamentos homeopáticos. Atualmente, parece-nos mais justo substituir este termo pelos de «altas diluições» que estão diretamente em relação com o modo de preparação do medicamento homeopático.

Originally posted 2014-04-17 09:39:11.

curare bambini omeopatia - O Progresso da Homeopatia Parte III

O Progresso da Homeopatia Parte III

No século XX

Netoel, Gallavardin, Duprat, Leon Vannier. Rouy, chefiam a homeopatia francesa no princípio deste século. Os primeiros anos são marcados por um recuo do número de médicos homeopatas e sobretudo pela guerra de 1914-1918. O Dr. Leon Vannier, uma grande personalidade, anima com autoridade o desenvolvimento da homeopatia tanto no plano médico como farmacêutico. Cria a Revista da homeopatia francesa em 1912 e dirige um curso destinado aos médicos e aos farmacêuticos.

Em 1911, estuda com um farmacêutico, René Baudry, os métodos de fabricação dos medicamentos homeopáticos e constitui em 1926 a Sociedade dos laboratórios homeopáticos de França. Em 1931, cria um local de ensino, o Centro homeopático de França. Em 1936, em Paris, o hospital Léopold-Bellan utiliza a terapêutica homeopática nos seus serviços.

São numerosos os médicos-chefes e adjuntos da época que são homeopatas. Lathoud, no intervalo de tempo entre as duas guerras, escreve uma matéria médica ainda editada hoje. Charette, Leon Vannier, Fortier- Bemoville, Lamasson, dominam a homeopatia dos anos cinquenta, apesar das lutas de influência importantes.

No princípio dos anos trinta, apenas temos em Paris vinte cinco a trinta oficinas, ditas “farmácias homeopáticas especiais”, que vendem medicamentos homeopáticos. Esses anos marcam o princípio da indústria do medicamento e, nos anos seguintes, a criação de laboratórios especializados: os Laboratórios homeopáticos de França criados por Leon Vannier em 1926, o Laboratório homeopático moderno em 1933 dirigido por René Baudry e Henri Boiron, a Farmacologia homeopática, os Laboratórios Dolisos criados em 1936 por Jean Tétau.

Em 1927, Maurice Delpech cria o Sindicato das farmácias e laboratórios homeopáticos especiais que se tomará o Sindicato da farmácia homeopática. De 1953 a 1981. Henri Boiron assumirá a presidência deste sindicato. Em 1965, sob o seu impulso – graças aos trabalhos de investigação sobre as técnicas de fabricação e de controlo dos medicamentos homeopáticos dos professores Netein, Cier e Aubry -, a França oficializa a homeopatia introduzindo-a na sua oitava edição da Farmacopeia francesa.

Paralelamente, o desenvolvimento importante da indústria farmacêutica favorece, graças a uma investigação de qualidade rapidamente iniciada, o reconhecimento oficial do medicamento homeopático Jean e Henri Boiron, Lise Wurmser para os farmacêuticos, Denis Demarque, Michel Aubin para os médicos, são os pioneiros desta investigação que dá lugar todos os anos a congressos científicos organizados pela Associação francesa para a investigação em homeopatia.

No que se refere ao ensino, a modernização dos conceitos médicos homeopáticos foi obra de médicos tais como os doutores Michel Conan Mériadec, Denis Demarque, Michel Guermonprez, Jacques Jouanny. Esta ultima favorece uma aproximação metódica, lógica e racional da terapêutica homeopática.

Hoje e amanhã

Atualmente, a evolução da homeopatia está estreitamente ligada aos progressos da investigação. Os esforços produzidos pela comunidade homeopática já não têm como único objetivo demonstrarem a atividade das altas diluições, tentam também descobrir os mecanismos de ação dos medicamentos homeopáticos; abrem, igualmente, o campo a uma farmacologia das altas diluições, área que nos reservará, podemos supô-lo, surpresas que ultrapassarão o enquadramento da homeopatia.

O outro polo de interesse dos médicos homeopatas é enriquecer e tomar fiável a matéria médica graças a uma verificação sistemática dos novos dados (clínicos, mas também biológicos) e uma correção dos elementos menos fiáveis. As matérias médicas mais recentes vão nesse sentido. A investigação clínica, auxiliada pela recolha de observações clinicas dos médicos homeopatas, contribui para isso.

Originally posted 2014-03-21 11:29:53.