Artigos

Fisioterapia para gestante - Gravidez

Gravidez

Etapa fisiológica especial da vida da mulher, a gravidez, embora na maioria das vezes se desenrole normalmente, está vulgarmente na origem de perturbações benignas francamente desagradáveis.

A mulher grávida encontra-se por vezes sem meios, porque nem sempre é possível recorrera tratamentos clássicos, devido aos seus efeitos secundários.

A homeopatia proporciona soluções para as diversas situações que encontramos sucessivamente na mulher gravida. Permite, nos três primeiros meses, aliviá-la dos sinais “simpáticos” de gravidez.

A seguir, atua sobre as pequenas misérias que vão aparecendo. Pela sua ação preventiva e curativa, facilita o parto e toma-o mais suportável àquelas que recusam a anestesia epidurial Depois da gravidez, a fadiga legitima, os estados depressivos do pós-parto desaparecerão rapidamente graças a esta terapêutica.

A vigilância atual obrigatória da gravidez, a frequência das consultas permitem ao médico intervir logo que suspeita de uma patologia subjacente. No intervalo destas consultas, a mulher deve reconhecer os sinais que devem alarmá-la e levá-la a consultar imediatamente o seu médico.

Originally posted 2014-03-28 15:05:26.

Anamirta cocculus 001 - Cocculus indicus

Cocculus indicus

Origem, composição

A tontura-mãe de Cocculus indicus é preparada a partir do fruto carnudo com semente (drupa) de um arbusto, a coca, da família das menispermáceas originário do Medio Oriente ou da Ásia tropical. O fruto contém a picrotoxina na origem de perturbações motoras e do equilíbrio.

Os autóctones utilizam os frutos na pesca selvagem para entorpecer os peixes e apanhá-los facilmente a seguir, mas o risco de intoxicação é grande quando os peixes não são amanhados imediatamente.

Indicações

Enjoo dos transportes

Com náuseas e/ou vómitos.
Os sujeitos recusam o ar fresco, preterem que os vidros do veículo ou do comboio fiquem fechados

Indicado:

  • nas crianças ou nos adultos que enjoam de carro, de comboio ou de avião.
  • no enjoo de barco;

Vertigens com náuseas

Em altura, de avião, por cima de uma ponte, num carrocel.

Insónia de adormecimento

Tem por origem vigílias prolongadas e diferenças horárias. Resulta daí uma impossibilidade de dormir ao deitar e, durante o sono, despertares frequentes, sonhos, pesadelos, sobressaltos, gritos. O sono não é reparador, o dia é acompanhado por uma sonolência.

O sujeito fica esgotado física e intelectualmente. Convém às pessoas – enfermeiros estudantes, aviadores, hospedeiras, homens de negócios – que sofrem de vigílias prolongadas ou de esgotamento a seguir a grandes viagens com diferenças horárias frequentes.

Náuseas e vómitos da gravidez

Pioram à vista e com o cheiro de alimentos, e nos transportes.
Nas mulheres com um inchaço muito doloroso de todo o abdómen.

Menstruação dolorosa

Espasmódica, abundante de sangue negro. Também é acompanhada por náuseas, até mesmo por má disposição, e inchaço. As mulheres ficam esgotadas no fim da menstruação.

Colites espasmódicas

Muito dolorosas, acompanhadas por um inchaço muito importante de todo o abdómen e náuseas.

Cocculus indicus convém se

Os fatores desencadeantes forem:

  • O transporte (movimento passivo) de carro, de avião ou de comboio.
  • As vigílias prolongadas dos estudantes esgotados, dos enfermeiros, dos trabalhadores que fazem três turnos de oito horas.
  • As diferenças horárias frequentes dos grandes viajantes (pessoal navegante da aviação, homens de negócios).

As modalidades forem:

  • Uma agravação com o movimento passivo, as vigílias prolongadas.
  • Melhoras com o calor.

Posologia

  • Enjoo dos transportes: Cocculus indicus 9 CH, 2 grânulos na véspera, no dia, e no momento da partida. Renovar as doses durante a viagem conforme a necessidade.
  • Insónia de adormecimento; se a vigília for previsível. Cocculus indicus 15CH, 2 grânulos ao levantar e ao deitar, se for inesperada, tomar o medicamento com a mesma posologia no dia seguinte. Se as vigílias forem habituais, tome Cocculus indicus 9CH, 2 Grânulos ao deitar.

Originally posted 2014-04-09 13:09:20.

gravidez1 - Incontinência urinária

Incontinência urinária

As fugas involuntária de urina atacam 2.5 milhões de pessoas em França. A incontinência urinaria ataca 60% dos homens e da mulheres que vivem no hospital em longa estadia.

Este tema mantém-se tabu, visto que , segundo um estudo americano, 72% das mulheres que tiveram uma incontinência não falaram com o seu medico.

37% de entre elas terias falado se tivessem ouvido falar de um tratamento eficaz. Em 80% dos casos, a incontinência urinaria aparece a seguir a uma esforço.

Diagnostico

Perda involuntária e intermitente de urina entre as micções é um fenómeno extremamente frequente que ataca mais a mulher do que o homem.

A incontinências aparece na maioria das vezes a seguir a um esforço físico que necessita a força do abdómen, por exemplo a seguir a um esforça para levanta algo; e é mais frequente nas pessoas de idade.

Pode ser desencadeada a seguir à gravidez ou durante a menopausa. Manifesta-se noutras circunstancias, como uma tosse, um riso ou uma mudança de posição. Na maioria das vezes, a mulher só perde algumas gotas de urina.

Tratamento homeopático

Quase sistematicamente

Causticum 7CH é o medicamento das incontinências urinárias, seja qual for a origem.

A seguir a um esforço abdominal

Provocada pela tosse, o riso, um esforço para levantar algo.

  • Alumina 7CH é complementar de Causticum quando a incontinência urinária ataca nestas circunstancias.
  • Kalium carbonicum 5CH, por ocasião de esforços ou tosse, sobretudo nas pessoas de idade.
  • Rumex crispus 5CH, nas tosses que pioram com a mais pequena inalação de ar. O doente deve colocar um cachecol diante da boca para evitar respirar este ar.
  • Squilla maritima 5CH, nas tosses acompanhadas por espirros e lacrimejar irritante.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias e 3 vezes por dia durante 6 dias.

Nas pessoas de idade

  • Causticum 9CH, nos sujeitos que respondem bem.
  • Kalium carbonicum 9CH, nos sujeitos que respondem bem
  • Equisetum hiemale 7CH, nas pessoas idosas incontinentes dia e noite.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos ao levantar e ao deitar durante pelo menos 2 meses.

Durante a gravidez ou a seguir ao parto

  • Causticum 15CH: tome uma dose deste medicamento logo a seguir ao aparecimento das perturbações. Se estas ultimas não pararem rapidamente, continue a tomar os grânulos ao levantar e ao deitar durante 15 dias. Na ausência de melhoras rapidamente marque uma consulta.
  • Arnica montana 15CH pode ser acrescentado se o parto foi especialmente longo. Uma dose, a renovar 3 dias de seguida.
  • Aletris farinosa 9CH é indicado quando a incontinência aparece a seguir a tosse nas mulheres esgotadas pelo parto.
  • Sepia 9CH, nas mulheres que respondem bem.

Posologia (para todos os medicamentos): 2 grânulos por dia durante 1 mês.

Menopausa

  • Causticum 9CH, sistematicamente.
  • Kalium carbonicum 9CH, nas mulheres que respondem bem.
  • Sepia 9CH, nas mulheres que rescindem bem e naquelas que têm quebraduras.

Posologia: 2 grânulos por dia durante 1 mês.

Em caso de febre

  • Ferrum phophoricum 5CH, na criança que perda as suas urinas quando tem febre e quando tosse.

Posologia: 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Reeducação perineal

O seu interesse é maior nas incontinências urinárias de esforço, da gravidez e do parto. Nestas ultimas indicações, o seu papel tanto é preventivo como curativo. Necessita de uma participação e de uma grande motivação da sua parte; deve ser começada, sob o controlo de um urologista, e de um fisioterapeuta especializado.

Originally posted 2014-03-31 11:28:18.