Artigos

medicamentos - Exemplos de Casos Parte I

Exemplos de Casos Parte I

Exemplo 1: se tiver febre

Primeiro caso

Suponhamos que encontrou todos os sinais de Belladonna que estão indicados na terceira parte deste guia no capítulo) sobre a febre. O medicamento corresponde então a todos os sintomas que sente tomará Belladonna em 15CH

Do mesmo modo se conhecer a causa exata dessa febre, uma insolação por exemplo, utiliza esta diluição
Nesse caso, uma dose de Belladonna 15 CH pode ser o suficiente.

Para lembrar:

  • um inicio brutal da doença;
  • uma subida súbita e rápida da febre a 39°/ 40°.
  • com uma sede intensa;
  • afrontamentos no rosto:
  • uma transpiração abundante;
  • um desalento importante acompanhado por agitação e exataçâo cerebral, e cefaleias.
  • fica muito incomodado com a luz.

Segundo caso
Se agora encontrar “apenas” os sinais principais, se ignorar a origem dessa febre, tomará Belladonna em 5CH.

Para lembrar:

  • um início brutal da doença;
  • uma febre alta;
  • uma sede intensa
  • uma transpiração abundante;
  • um desalento importante.

Terceiro caso
Agora, se constatar os sinais seguintes, não tome Belladonna, de nada serviria porque não há qualquer sintoma que lhe corresponda.

Para lembrar:

  • início brutal da doença;
  • uma ausência de sede, expecto quando tem arrepios;
  • uma alternância de transpiração e de suores;
  • um estado físico mais ou menos igual.

Nestas duas últimas situações, deve tomar os medicamentos com frequência: todas as horas, ao princípio, até a febre baixar; depois vá espaçando à medida que a temperatura vai baixando.

Por exemplo, tomará 3 grânulos todas as oras ou de duas em duas horas, conforme a intensidade, depois , logo que constatar que a temperatura diminui, deve começar a espaçar.

Não se esqueça:
Tome os medicamentos espaçados à medida que os sintomas se vão atenuando: é um grande principio que nunca deve ignorar senão reativa os sintomas ou perpetua a doença.

Originally posted 2014-03-26 11:28:09.

medicina pediatria 3 - Papeira

Papeira

A papeira é provocada por um vírus ao ARN (ácido ribonucleico) do subgrupo dos paramixovírus.

Esta doença infantil benigna diz sobretudo respeito a criança a partir de oito anos. Aparece através de epidemias invernais e primaveris. A contaminação faz-se provavelmente através da saliva. A doença é contagiosa oito dias antes dos primeiros sinais e quatro dias depois do início da parotidite. A incubação é de vinte e um dias.

Diagnóstico

A doença começa por febre, dores nos ouvidos, dificuldades para mastigar, depois continua rapidamente com o aparecimento de uma parotidite unilateral e a segui bilateral. A região parotidiana situada diante do canal auditivo externo fica dolorosa e tumeficada.

Principais complicações

As complicações, principalmente glandulares e nervosas, são excecionais. Dado a benignidade da doença até à puberdade, a vacinação não se justifica. Em contrapartida, os homens – sem as vacinas em dia que não tiveram papeira – contaminados têm mais rico de complicações do que se tivessem desenvolvido esta doença durante a infância.

Originally posted 2014-04-02 08:37:56.

Conheca a terapia floral2 - Laringites

Laringites

As laringites do adulto são, regra geral, benignas. Não têm os caracteres de gravidade que podem ter algumas laringites da criança. São ou de origem viral, ou devidas a uma utilização excessiva da voz.

Laringites virais

Diagnóstico
No geral anódina no adulto, a inflamação da laringe caracteriza-se pelo aparecimento de uma modificação da voz acompanhada por uma tosse seca. Surge num contexto virai e pode ser acompanhada por febre.

Tratamento

As laringites virais são tratadas com as tosses da criança, porque os medicamentos utilizados são os mesmos. Para obter todas as informações que desejar, consulte os parágrafos que se referem às laringites, a tosse seca, e às tosses violentas.

Se a sua temperatura estiver alta, consulte também o capitulo sobre as febres da criança.

Laringites dos cantores ou oradores

Diagnóstico

São provocadas por uma utilização excessiva da voz. Aparecem nas pessoas que, ocasionalmente ou devido à sua profissão, falam muito ou forçam a sua voz.

Portanto, estes medicamentos são úteis para os cantores, professores, conferencistas, e para aqueles que. Num ataque de fúria, perderam a voz

Tratamento

  • Argentum metallicum 5CH: modificação da voz com aparecimento de uma tosse seca que piora ao cantar e ao falar.
  • Argentum nitricum 5CH: idem, com a presença de uma dor em lasca característica do medicamento.
  • Arnica montana 5CH. nas pessoas que forçaram anormal ou excecionalmente a voz.
  • Arum triphyllum 5CH, quando a rouquidão é dolorosa e sobretudo quando a voz muda de tom.
  • Phytolacca 5 CH: rouquidão com dores nas amígdalas.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Originally posted 2014-03-27 14:38:21.

Fotolia 14888626 XL - Chamomilla vulgaris

Chamomilla vulgaris

Origem

A camomila alemã, ou matricária, da família das asteráceas, é a variedade utilizada em homeopatia. Esta planta selvagem vivaz com 10 a 30cm de altura, com caules deitados depois erguidos, apresenta flores amarelas no centro das inflorescências, e flores brancas na periferia.

Composição

É cultivada para uma utilização fitoterápica devido às poderosas virtudes anti-inflamatórias (chamazuleno, bisabolol), assim como pelas suas propriedades antiespasmódicas (polifenol, sobretudo o ácido cafeico) e aperitivas (nobilina).

A tintura-mãe homeopática preparada a partir da planta inteira florida confirma estas diferentes utilizações.

Indicações

Perturbações caracteriais da criança

Nos sujeitos que respondem bem, as perturbações (ver o quadro a seguir) são crónicas; senão aparecem ocasionalmente quando há dentes a romper ou quando há uma dor que a criança não suporta

Dentes a romper

Chamomilla vulgaris é o medicamento utilizado no bebé ou na criança pequena que tem dentes a romper, que acalma notavelmente.

É muitas vezes utilizada a título sistemático nesta indicação.

No entanto, a sua eficácia é ainda maior quando é acompanhada por:

  • sinais caracteriais já descritos;
  • sinais gerais: febre com suores quentes no rosto;
  • e/ou os sinais locais seguintes:
  1. ou uma bochecha vermelha e quente do lado em que o dente está a romper, e pálida e fria no lado oposto, com dor no ouvido;
  2. ou uma diarreia amarelo-verde com um cheiro fétido de ovos podres, e uma colite reconhecível pela agitação e pelos gritos da criança, ou um eritema nadegueiro;
  3. ou uma rinofaringite com tosse noturna que não acorda a criança.

Colite espasmódica

Cujas dores melhoram com o calor, ou seja, quando se aquece o abdómen. Este tipo de coito predomina nos sujeitos intolerantes a dor que se tomam, sob o seu efeito, desagradáveis, nervosos, agitados, irritáveis e coléricos

Menstruação dolorosa

Aparece nas mulheres com menstruação abundante (de sangue negro com coágulos), que não suportam a dor e acalmam com a aplicação de calor na parte inferior do ventre.

Chamomilla vulgaris convém se

Os fatores desencadeantes forem:

  • A fúria, as contrariedades.
  • Dentes a romper.
  • O abuso de café, de chá.

As modalidades forem:

  • Uma agravação com a fúria, a contrariedade, durante a noite até por volta da meia-noite.
  • Melhoras quando está ao colo, embalado, transportado de carro, com o calor (exceto para as dores dentárias).

Os sujeitos que respondem bem a Chamomilla vulgaris

O tipo exato é a criança caprichosa, má, insuportável Tenaz, reclama um brinquedo com grandes gritos e atira-o fora logo que o obtém Tem fúrias violentas, rebola-se no chão, grita, parte tudo e só acalma quando conseguimos pegar-lhe ao colo ou quando a levamos a passear de carro.

O adulto fica furioso facilmente. Não suporta nem a contradição nem a dor que o tornam ainda mais irritável.

Posologia

Dentes a romper:

  • Chamomilla vulgaris 5CH, de quarto em quarto de hora no momento da sua utilização sistemática a partir da simples noção de dentes a romper.
  • Chamomilla vulgaris 15CH, de quarto em quarto de hora, faz ceder rapidamente a dor, se a prescrição se basear nos sinais de acompanhamento supracitados.

Nos dois casos, espaçar as doses logo que haja melhoras:

  • Menstruação dolorosa: Chamomilla vulgaris 15CH, 2 grânulos todas as horas ou de 2 em 2 horas. Espaçar as doses logo que haja melhoras.

Originally posted 2014-04-09 11:11:51.

1280px Bieluń dziędzierzawa Datura stramonium Seed 01 - Stramonium

Stramonium

Origem

O estramónio, a Datura stramonium ou erva do diabo, da família das solanáceas, é uma planta da Europa principalmente tóxica cujas folhas podem ser confundidas com as dos espinafres ou das azedas.

Possui um poder alucinogénio que antigamente era apreciado pelos bruxos que a utilizavam nas suas beberagens dos sabás e «faziam ver o diabo»; o estramónio também foi um soporífico utilizado por uma quadrilha de bandidos parisienses, ditos «os adormecedores» que ofereciam às suas vítimas, antes de as roubarem, uma dose de tabaco misturado com um pó desta planta.

Composição

A sua toxicidade ó devida aos alcaloides – entre os quais a escopolamina, a atropina e a hiosciamina – que entram na sua composição. A tintura-mãe ó preparada a partir da parte aérea da planta em floração.

Indicações

Febre

  • Súbita e intensa, tão alta de manhã como à noite, 39º C – 40º C. acompanhada por:
  1. uma sede viva, uma vermelhidão intensa do rosto, suores que não aliviam o doente e uma sensação de frio no corpo todo principalmente nos membros;
  2. uma quebra importante, e/ou agitação psíquica, até mesmo delírios e convulsões;
  3. terrores noturnos, com necessidade de uma luz indireta e medo da luz forte;
  4. uma ausência de dor apesar da intensidade da febre.
  • Que se manifesta:
  1. Nas anginas com a garganta muito vermelha mas indolor, secura na boca e febre característica.
  2. Nas laringites com tosse indolor, espasmódica, sufocante.
  3. Nos golpes de calor, insolações.
  4. Na escarlatina.

Note o contraste entre a intensidade dos sintomas e a ausência de dores.
Este medicamento deve ser dado enquanto o médico não chega.

Terrores noturnos

Das crianças com medo do escuro que reclamam uma luz e a presença de uma pessoa para adormecerem.

Tiques

Violentos e indolores no rosto, que aparecem nos sujeitos com espasmofilia ou tetania.

Delírios e alucinações

Necessitam de uma consulta médica.

Stramonium convém se

Os fatores desencadeantes forem:

  • A escuridão.

As modalidades forem:

  • Uma agravação com a escuridão, com os reflexos brilhantes, a luz viva.
  • Melhoras com a luz difusa.

Posologia

Febres: Stramonium 15CH, de 10 em 10 minutos que deverá espaçar conforme as melhoras.

Originally posted 2014-04-14 11:10:06.