Artigos

vacuna1 - Tratamento da varicela

Tratamento da varicela

No princípio

Em caso de febre:

Se a criança tiver sede

  • e não transpirar: Aconitum napellus 5CH;
  • depois transpira com abundância: Belladonna 5CH, Mercurius solubilis 5CH.

Se a criança não tiver sede

  • e não transpirar, e se estiver muito abatida: Gelsemium sempervirens 5CH;
  • e se tiver a pele seca entrecortada de transpiração: Apis mellifica 5CH

Posologia: 2 grânulos 5 vezes por dia enquanto a febre durar.

Na fase da erupção

  • Rhus toxicodendron 5CH, sistematicamente, porque reproduz tipicamente as lesões; com ardores e picadas, da varicela, que melhoram com aplicações de água muito qu mas não com as arranhadelas.
  • Mezereum 5CH. indicado logo que as vesículas se cobrem de crostas.

Posologia: 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

No caso de sobreinfeção

Continue os dois medicamentos precedentes e acrescente:

  • Mercurius solubilis 5CH, sobretudo se a varicela for acompanhada por uma feto importante com uma sede intensa, suores nocturnos abundantes.
  • Graphites 5CH, se as vesículas então transudantes melhorarem com aplicações fresca e piorarem com as arranhadelas, o calor da cama. Se os fenómenos parecerem piorai tome Graphites em 15CH.

Posologia: 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Para recuperar da doença

  • Sulfur iodatum 15CH: dar sistematicamente uma dose para acelerar o desaparecimento dos elementos cutâneos restantes.

Se as cicatrizes persistirem

  • Tomar sistematicamente Graphites 7CH, durante 2 ou 3 meses, 2 vezes por dia

Originally posted 2014-04-02 09:19:28.

894326 54591782 - Gripe

Gripe

A gripe é uma doença respiratória virai provocada pelo Myxovirus influenzae que, na maioria das vezes, aparece sob a forma de epidemia invernal.

Existem três tipos de vírus. A, B, C aos quais correspondem três formas de gripe: a gripe de vírus A, a gripe de vírus B, a gripe de vírus C. A gravidade da gripe é muito variável e depende principalmente do terreno, as pessoas com mais de setenta e cinco anos são os pacientes que pagam o maior tributo.

Não existe tratamento especifico da gripe. Durante a última epidemia de 1995-1996. o número de gripes foi avaliado em 4,2 milhões.

Diagnóstico

A gripe manifesta-se sempre ruidosa e brutalmente através de arrepios, uma febre que pode atingir 39°-39º5 em vinte e quatro horas, dores musculares com dores no corpo (pernas e sobretudo costas), um esgotamento, até mesmo um estado de prostração

Os outros sinais que encontramos com mais frequência são as dores de cabeça, o nariz a pingar um liquido claro, dores na garganta e uma tosse seca que pode tomar-se grossa (com uma expetoração muco purulenta).

Os sinais menos frequentes são a conjuntivite, os vómitos, a diarreia, a otite.

De facto, diante da multiplicidade destes sintomas, o diagnóstico baseia-se principalmente na noção de epidemia de gripe e no aparecimento invernal dos sintomas descritos.

Principais complicações

São raras nos sujeitos de boa saúde, a mais frequente é a bronquite ou a pneumonia.

São mais frequentes nos sujeitos a risco, ou seja, naqueles que têm doenças crónicas, cardíacas ou pulmonares (asma, bronquite), assim como nas pessoas de idade e nas mulheres grávidas no terceiro trimestre de gravidez. Se isto lhe diz respeito, deve ir consultar um médico logo que apareçam estes sintomas, sobretudo durante uma epidemia ou no Inverno.

Prevenção

A vacinação é recomendada nas pessoas a risco supracitadas.
Para os outros, a vacinação é mais discutível, não pela sua má tolerância ou pelos efeitos secundários de pouca importância desta última, mas sobretudo porque se acrescenta às outras múltiplas vacinações e solicita mais o sistema imunitário.

Seja qual for o seu caso, será o seu médico quem decidirá com discernimento do interesse ou não de se vacinar.
Finalmente, saiba que a vacinação não preserva completamente da gripe visto que apenas 70% a 80 % dos casos ficam realmente protegidos da doença.

Originally posted 2014-03-27 13:09:13.

febre resfriado crianca - Tratamento das Febres de Criança

Tratamento das Febres de Criança

  • Se a criança não transpira, tem sede de grandes quantidades de água: Aconitum napellus.
  • Se a criança não transpira, tem sede de pequenas quantidades de água: Arsenicum album.
  • Se a criança não transpira, não tem sede e tem a pela seca com transpiração: Apis mellifica.
  • Se a criança não transpira, não tem sede e tem prostração e tremores: Gelsemium sempervirens.
  • Se a criança transpira, tem uma sede intensa e febre com arrepios e dores no corpo: Arnica montana.
  • Se a criança transpira, tem uma sede intensa e febre alta, com um início brutal: Belladonna.
  • Se a criança transpira, tem uma sede intensa e febre com início progressivo: Bryonia alba.
  • Se a criança transpira, tem uma sede intensa e febre com arrepios e suores viscosos: Mercurius solubilis.
  • Se a criança transpira, tem uma sede intensa e febre com terrores nocturnos e suores que não acalmam: Stramonium.
  • Se a criança transpira, tem uma sede moderada e quando há dentes a romper: Chamomilla vulgaris.
  • Se a criança transpira, tem uma sede moderada e uma febre moderada com palidez e vermelhidão no rosto: Ferrum phosphoricum.
  • Se a criança transpira, não tem sede mas tem febre com arrepios: Pulsatilla.

Originally posted 2014-04-02 13:39:34.

curare bambini omeopatia - Tratamento da Diarreia Parte I

Tratamento da Diarreia Parte I

Gastroenterites agudas

Manifestam-se através de diarreia, vómitos, febre e dores abdominais.

Diarreias por intoxicação

Distinguimos principalmente:

  • A “turista”

Aparece nos primeiros dias de uma viagem num pais exótico, a seguir a ingestão de agua não fervida ou cubos de gelo, legumes crus, frutos com a casca.. Aparece brutalmente, acompanhada por uma perda de apetite, dores abdominais, náuseas e por vezes febre moderada.

  • A intoxicação alimentar às salmonelas

A contaminação é provocada por alimentos estragados (charcutaria, carne, gelados, bolos), muitas vezes no enquadramento de uma restauração coletiva. O diagnóstico é evidente: a gastroenterite aparece nas oito a doze horas após a ingestão da refeição, uma febre a 40ºC, uma diarreia fétida, dores abdominais, por vezes vómitos assinam o diagnóstico.

Os medicamentos principais destas diarreias são:

  • Arsenicum álbum 5CH, medicamento das intoxicações alimentares — carnes ou conquilhas — acompanhadas por fezes irritantes nauseabundas, dores abdominais ardentes que melhoram com bebidas quentes, náuseas e vómitos. A febre faz beber regularmente pequenas quantidades de água e ocasiona uma sensibilidade ao frio importante e uma necessidade de se aquecer.
  • Carbo vegetabilis 5CH, nas diarreias fétidas acompanhadas por inchaços situados logo por cima do umbigo, e cãibras abdominais que obrigam o doente a dobrar-se ao meio. Este último tem necessidade de ar, fica aliviado com as eructações e os gases, mas sente-se pior deitado.
  • Ipeca 5 CH, na presença de uma diarreia de fezes esverdeadas, cãibras abdominais e sobretudo náuseas intensas e persistentes que não melhoram com os vómitos. A língua está limpa, ou seja, cor-de-rosa.
  • Mercurius solubilis 5CH é indicado nas diarreias com fezes esverdeadas, uma vontade urgente de ir à casa-de-banho e a sensação de nunca mais acabar. O hálito é fétido, a língua branca, a febre é acompanhada por uma sede intensa e suores que não aliviam o doente.
  • Podophyllum 5CH, nas diarreias aquosas, abundantes, amareladas, fétidas, em jatos, acompanhadas por gases, dores parecidas com cãibras que melhoram quando nos deitamos de barriga par baixo, e vontade frequente de ir à casa-de-banho. O doente fica esgotado depois de ir à casa-de-banho.
  • Pyrogenium 9 CH não é um medicamento de diarreia, mas, sim, de alteração do estado geral e de febre a seguir a uma intoxicação alimentar com produtos estragados.
  • Paratyphóidinum B 15CH, uma dose potencializa a ação dos medicamentos precedentes.
  • Um pouco à parte: Dulcamara 5 CH, diarreia de fezes esverdeadas no regresso de uma viagem a um país quente, sem noção de infeção.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia sistematicamente e depois de ir à casa-de-banho durante 2 dias, depois 3 vezes por dia nos 2 dias seguintes. Pare o tratamento um dia depois do desaparecimento dos problemas.

Originally posted 2014-03-28 09:22:02.

Eupatorium perfoliatum 0003 - eupatorium perfoliatum

eupatorium perfoliatum

Origem

«A erva da febre», a Eupatorium perfoliatum, erva alta, lenhosa, com caules avermelhados e flores paniculadas, é uma planta vivaz da família das asteráceas, originária das pradarias húmidas dos Estados Unidos, onde goza há muito tempo de uma grande reputação como tónico, purgativo, diurético, sudorífico.

Composição

A tintura-mãe é preparada através de maceração em álcool da parte aérea da planta fresca florida. Contém fitosteróis que explicam a sua atividade ocular:

Indicações

Gripe

Com:

  • febre e sede intensa de água fria;
  • dores no corpo e nos ossos que pioram com o movimento;
  • dores nos globos oculares que pioram com a pressão nos olhos;
  • rinofaringite com tosse seca e dolorosa.

Eupatorium perfoliatum convém se

As modalidades forem:

  • Uma agravação com a pressão dos globos oculares, com o movimento, ao acordar.
  • Melhoras com o repouso.

Originally posted 2014-04-09 14:48:43.