Artigos

url - Tratamento das Rinites alérgicas

Tratamento das Rinites alérgicas

Quando o corrimento nasal é irritante e a lacrimação doce

O que significa que o nariz, ao pingar, irrita as narinas e a parte situada por cima dos lábios, e que as lágrimas provocadas pela alergia não são corrosivas para o contorno dos olhos.

  • Allium cepa 5CH, se os espirros frequentes, em descarga, começarem ao levantar, e se as perturbações forem desencadeadas pelos alérgenos sazonais (pólenes, feno e ervas cortadas), pioram num quarto quente, e melhoram ao grande ar. Estão por vezes presentes dores supra-orbitais (por cima dos olhos).
  • Ammonium muriaticum 5CH: os espirros são também muito frequentes, mas o doente não apresenta as mesmas modalidades que Allium cepa (agravação num quarto quente e melhoras ao grande ar). A sensação de nariz entupido é intensa e é acompanhada por perda do olfato.
  • Sanguinária 5CH: espirros em descarga, rinorreia irritante, nariz seco e entupido predominam. Estes sintomas pioram com os pólenes e com os cheiros de qualquer natureza, sobretudo de flores.
  • Aralia racemosa 5 CH: os espirros frequentes e o corrimento nasal, claro e muito irritante, aumentam com a mais pequena corrente de ar. A rinite alérgica complica-se frequentemente com a asma que provoca dificuldades respiratórias que pioram quando o doente se estende ao comprido, sobretudo ao deitar e no primeiro sono.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos todas as horas no primeiro dia em período de crise, depois espace os medicamentos à medida que as perturbações diminuem. Continue 3 vezes por dia e consulte o seu medico homeopata.

Quando o corrimento nasal é doce e a lacrimação irritante

  • Euphrasia 5CH convém quando o corrimento nasal é doce, a lacrimação muito abundar e muito irritante, e as pálpebras estão inchadas e ardentes (o contrário de Allium cepa). As perturbações pioram com o vento, a luz do sol e num quarto quente, e melhoram ao grande ar.
  • Ambrósia 5CH, se o corrimento nasal, embora nasal, for acompanhado por urra lacrimação irritante e muita comichão nas pálpebras. É um medicamento muito utilizado no Outono no vale do Rhône onde a ambrósia predomina nesta estação.
  • Sabadilla 5CH: este medicamento é individualizado por espirros frequentes, violara paroxísticos, em descarga, seguidos por uma rinorreia fluida, apesar da sensação intensa de nariz entupido e uma lacrimação irritante. Os espirros, provocados por uma forte comichão no nariz e no palato, acalmam com a aplicação e a fricção da língua neste último. A lacrimação e os espirros pioram com o cheiro das flores, os perfumes, e ao grande ar; melhoram com o calor.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos todas as horas no primeiro dia em período de crise, depois espace os medicamentos à medida que as perturbações diminuem. Continue 3 vezes por dia e consulte o seu médico homeopata.

Quando o corrimento nasal e a lacrimação são irritantes

  • Kalium iodatum 5 CH: os espirros acompanham um corrimento nasal e ocular aquoso, abundante e ardente. Os olhos e o nariz estão vermelhos e inflamados. As crises acalmam com o calor e pioram com o ar fresco.
  • Naphtalinum 5 CH: o corrimento nasal e ocular – principalmente a lacrimação – são muito abundantes e irritantes. Os espirros em descarga são incessantes. Os sintomas melhoram em pleno ar.
  • Arsenicum álbum 5 CH, se a rinorreia e a lacrimação muito irritantes e abundantes piorarem durante a noite e melhorarem com o calor.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos todas as horas no primeiro dia em período de crise, depois espace os medicamentos à medica que as perturbações diminuem. Continue 3 vezes por dia e consulte o seu médico homeopata.

Tratamento de terreno

Os tratamentos de terreno têm o interesse de prevenirem as crises de rinites alérgicas espasmódicas ou febres-dos-fenos.

Devem ser começados pelo menos um mês antes do período pressuposto da crise. e devem continuar durante esta última. A sua grande eficácia constitui uma alternativa certa aos tratamentos alopáticos.

As rinites alérgicas peranuais, para as quais as crises são mais ou menos permanentes durante o ano, também necessitam de um tratamento de terreno. São mais difíceis de tratar, mas os resultados são muito bons a longo prazo.

Originally posted 2014-03-27 15:16:02.

820413181 - Conjuntivite

Conjuntivite

As conjuntivites não provocam uma baixa da visão. São caracterizadas por dificuldades para suportar a luz, um edema, eventuais secreções que colam os olhos de manhã. É uma afeção que atinge na maioria das vezes os dois olhos.

Distinguimos várias origens:

  • as conjuntivites bacterianas ou virais que se reconhecem atraves de uma espécie de areia nos olhos que estão colados ao acordar.
  • as conjuntivites alérgicas, caracterizadas por comichão nos olhos, uma lacrimação e um edema nas pálpebras mais ou menos importante. Manifestam-se de maneira sazonal – principalmente nos sujeitos alérgicos (asma, eczema) – e são acompanhadas muitas vezes por uma febre-dos-fenos.

Tratamentos

Conjuntivites não alérgicas

  • Euphrasia 5CH. quando as conjuntivites são acompanhadas por uma lacrimação irritante e uma sensação de ardor nas pálpebras que pioram com a luz do sol, o ar, e vento e melhoram com a escuridão.
  • Belladonna 5CH. nos sujeitos com olhos vermelhos e dolorosos, que ficam muito incomodados com a luz viva.
  • Hepar sulfur 5CH. nas conjuntivites muito inflamadas e purulentas.
  • Mercurius solubilis 5CH, nas conjuntivites que são acompanhadas por secreções muco purulentas que envisgam os olhos ao acordar.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

  • Localmente, pode instilar em cada olho 1 gota de colírio Biocidan durante 6 dias.

Conjuntivites alérgicas

  • Apis mitifica 5CH. para as conjuntivites alérgicas nas quais predomina o edema das pálpebras assim como picadas e ardor nos olhos.
  • Arsenicum album 5CH, indicado nas rinites e nas conjuntivites que são acompanhadas por corrimentos nasal e ocular ardentes e irritantes. No geral, as crises pioram durante a noite e melhoram com o calor.
  • Belladonna 5CH.
  • Euphrasia 5CH.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias
Os colmos são inúteis na maioria das vezes.

Tratamento de terreno

Um tratamento de terreno preventivo evita o aparecimento das conjuntivites ou atenua sensivelmente os sintomas.

Originally posted 2014-04-01 11:37:48.

Mycobacterium tuberculosis 14313982 1 - Aviaire

Aviaire

Origem

O bioterápico Aviaire é preparado a partir de uma tuberculina bruta obtida a partir de culturas puras de Myobacterium tuberculosis de origem aviar.

Indicações

Perturbações ORL a repetição

Infeciosas:

Rinofaringites, traqueítes, bronquites, anginas, otites, com a presença de gangliões cervicais nas crianças que se constipam quando apanham a mais pequena ponta de frio húmido.

Alérgicas: asma destas mesmas crianças.

Aviaire convém se

Os fatores desencadeantes forem:

O tempo frio e húmido.

As modalidades forem:

Uma agravação com o tempo frio e húmido.

Posologia

Perturbações ORL a repetição: Aviaire 15CH, uma dose por semana em complemento de um tratamento de fundo clássico.

Originally posted 2014-04-09 08:26:06.

curare bambini omeopatia - Rinites alérgicas

Rinites alérgicas

As rinites alérgicas incluem duas entidades distintas: a rinite alérgica espasmódica, ou febre-dos-fenos, que aparece todos os anos na mesma estação, e a rinite alérgica “peranual”, ou seja, mais ou menos permanente, muitas vezes associada à asma.

As rinites alérgicas, segundo os dados, atacariam 10 a 20% da população mundial.

Tal corno para a asma, as crises são desencadeadas pela presença de alérgenos (substâncias que provocam a alergia).

Na rinite alérgica espasmódica, ou polinosa, encontramos todos os anos, na mesma estação, a tríade característica seguinte;

  • espirros em descargas,
  • nariz a pingar um liquido claro, fluido, muitas vezes abundante,
  • obstrução nasal constante.

Na rinite peranual, estes sintomas, no geral menos nítidos, são associados à asma.

Nestas duas entidades, encontramos em 50 a 90% dos casos antecedentes alérgicos pessoais ou familiares e antecedentes de sinusites em 50 % das rinites peranuais.

Os alérgenos na origem de rinites alérgicas são:

  • a maioria das vezes pólenes. O momento do aparecimento das crises informa sobra o seu tipo
  • na Primavera, é o pólen das árvores (carvalho, olmo, ácer, bétula, zimbro, oliveira, plátano)
  • no Verão, é o pólen das pastagens cultivadas (fléolo dos prados, flora odorante, dáctilo enovelado, tufo de Alep), e ervas selvagens (cardo russo)
  • no Outono, o pólen das ervas selvagens (ambrósia, ou erva dos piolhos, na região de Lião);
  • os bolores e os fungos estão bastante presentes durante as estações húmidas e no interior das casas.
  • o pó de casa, no qual o ácaro mais vezes responsável é o Dermatophagoides pteronyssinus. Adora as escamas humanas e as películas, prolifera nas casas frescas e húmidas e detesta o sol. As almofadas, os colchões de penas, os edredões de penas são reservatórios de ácaros,
  • os animais: as aves, os gatos, os cães, os cavalos.

Regras de Higiene

As regras de higiene das rinites peranuais são idênticas às da asma, porque os alérgenos em causa são os mesmos na maioria das vezes.

Devemos desconfiar sobretudo do ar condicionado, do aquecimento pelo chão demasiado seco e, claro, dos tapetes e das carpetes.

Tratamento

Só abordaremos o tratamento da febre-dos-fenos. Este último será bastante eficaz visto que um tratamento de terreno será instituído.

Deixaremos de lado a terapêutica das rinites alérgicas peranuais, porque esta última é complexa e necessita de uma consulta ao médico a fim de também instaurar um tratamento de fundo.

Originally posted 2014-03-27 14:54:03.