Tendinite arquivo - Tendinites

Tendinites

A tendinite e uma inflamação do tendão. Por vezes associa-se a uma inflamação da capa que envolve a articulação (o sinovial); o termo de tenossinovite e então utilizado. Embora qualquer tendinite possa ser o modo de expressão do início de uma doença articular é, na maioria das vezes, provocada por um esgotamento da articulação.

Este último está ligado ou à repetição do mesmo gesto, normal ou não, ou ao envelhecimento dos tendões

Diagnóstico

Seja qual for a localização, a dor aparece quando pomos em movimento ou apalpamos a articulação. As principais articulações atingidas são o cotovelo, o ombro, a anca, o joelho e o tornozelo.

Tratamento homeopático

É Indispensável repousar a articulação, porque permite diminuir a inflamação do tendão. Deve ser respeitado um período de pelo menos uma semana.

Tome sistematicamente os três medicamentos seguintes

  • Arnica montana 5CH melhora a vascularização naturalmente traça dos vasos.
  • Rhus toxicodendron 5CH.
  • Ruta graveolens 5CH.

Posologia (para todos estes medicamentos) 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 15 dias.
Acrescentará Apis mellifica se um edema articular rosado estivar presente, se as dores piorarem localmente com o calor, e melhorarem com o frio ou Bryonia alba – que substituíra Rhus toxicodendron e Ruta graveolens – se as dores piorarem com o mais pequeno movimento.

Conforme a localização

Acrescentara, se a localização for

  • o ombro. É a tendinite da capa dos rotadores (músculos que envolvem o ombro): Ferrum metallicum se o ombro esquerdo for atacado, Sanguinária para o ombro direito, Solanum malacoxylon no caso de calcificações articulares;
  • o cotovelo. É a epicondilite ou “tennis elbow”: Kalium bichromicum e Symphytum.
  • a anca: Allium sativum;
  • o joelho: Apis mellifica se a dor piorar com o calor, melhorar com o frio, e Bryonia alba se, para atem disso, a dor piorar com o mais pequeno movimento.
  • o tornozelo. É a tendinite aquileana: Actea racemosa no caso de rigidez e de caibras associadas. Hedeoma a seguir a um esforço:
  • o calcanhar A presença de uma espinha calcaneana pode ser dolorosa Hekla lava associado a Calcarea fluorica.

Posologia (para todos estes medicamentos) cada medicamento em 5CH. 2 Grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 15 dias.

Localmente

Pode fazer três massagens a articulação dorida com:

  • Linimento de Rhus toxicodendron, se a dor piorar no início do movimento e melhorar a seguir.
  • Linimento de Bryonia alba, se, ao contrário, a dor piorar com o mar pequeno movimento.
  • Symphytum tintura-mãe em massagem atua eficazmente sobre o sinovial.

Tratamentos complementares

A acupunctura e a mesoterapia dão excelentes resultados nestas indicações. A fisioterapia praticada por um cinesiterapeuta é também um tratamento de complemento muito eficaz.

Originally posted 2014-04-08 10:53:46.

Tratamento das Artroses

Apenas serão dados aqui elementos que permitam uma aproximação sintomática da artrose. É necessário recorrer ao médico, porque um tratamento homeopático de terreno é indispensável para a estabilização das lesões.

A homeopatia é apenas um elemento da terapêutica da artrose que deve ser multidisciplinar e tomar em consideração, entre outros, o ambiente no qual evolui e as eventuais doenças associadas. No entanto, o conhecimento de algumas modalidades gerais, com a localização da dor por exemplo, pode aliviá-lo temporariamente.

Conforme a localização da dor

É um elemento de orientação interessante, primeiro porque é evidente, a seguir porque o tropismo preferencial de alguns medicamentos guia-nos diretamente para eles. No entanto, nunca deve esquecer que estes últimos só serão indicados e portanto eficazes se apresentarem os outros sinais do medicamento.

  • A raque cervical: Actea racemosa. Lachnantes.
  • A raque dorsal: Actea racemosa.
  • A raque lombar: Bryonia alba. Kalium carbonicum, Radium bromatum. Rhus toxicodendron, Ruta graveolens.
  • As articulações sacroilíacas: Ammonium muriaticum, Calcarea phosphorica, Ruta graveolens
  • As ancas: Causticum. Natrum sulfuricum, Thuya occidentalis.
  • Os joelhos Angustara, Bryonia alba, Kalium carbonicum, Kalium iodatum, Nata sulfuricum.
  • Os tornozelos: Caulophyllum, Natrum sulfuricum, Ruta graveolens.
  • Os calcanhares: Ammonium muriaticum, Kalium bichromicum, Kalium iodatum, Phytolacca.
  • Espinha calcaneana: Hekla lava, Medorrhinum.
  • Hallux valgus (calo com desvio do dedo grande para a borda externa do pé): Hekla Ian.
  • Os ombros: Phytolacca, direito Sanguinária, esquerdo Ferrum metallicum, Ledum palustre.
  • Os pulsos Harpagophytum. Ruta graveolens, Viola odorata.
  • As falanges: Actea racemosa, Actea spicata Caulophyllum, Harpagophytum, Polygonum.
  • No polegar: Hedeoma.

Posologia (para todos estes medicamentos) em 5CH, 2 grânulos 3 vezes por dia enquanto não vai a uma consulta.

Conforme o tempo que faz

Os medicamentos citados são, na sua maioria, não só medicamentos de sintomas, como também, e sobretudo, medicamentos que entram no enquadramento de um tratamento de terreno.

Dores que pioram com a humidade

  • Rhus toxicodendron 7CH: é o medicamento de artrose mais corrente sob os nossos climas. O despertar é penoso, porque as articulações estão rígidas e o arranque é doloroso, mas felizmente que este último acalma-se com a continuação dos movimentos. As dores — que podem atingir todas as articulações — pioram com o repouso, o início do movimento e a humidade, e melhoram com o calor, o movimento contínuo e a mudança de posição.
  • Natrum sulfuricum 7CH é próximo de Rhus toxicodendron, mas as articulações atingidas — na maioria das vezes raque lombar, joelhos, tornozelos e anca direita — estão infiltradas, inchadas, e mais grossas.
  • Dulcamara 7CH, se as dores articulares aparecerem brutalmente quando o tempo passa do calor para o frio húmido, ou piorarem constantemente com a humidade e desaparecerem com o tempo seco, com o movimento contínuo e com a mudança de posição.
  • Rhododendron 7CH é indicado quando as dores pioram com a humidade ou aumentam com a trovoada e diminuem quando esta última acaba.
  • Thuya occidentalis 7CH convém aos sujeitos que respondem bem com as articulações deformadas, rígidas, anquilosadas, infiltradas e bastante longas a desentorpecer. Nestes indivíduos, as articulações mais vezes atingidas são a anca e as pequenas articulações dos pés e das mãos.
  • Tuberculinum 7CH, quando as dores, que começam e acabam brutalmente, mudam de lugar com frequência. Um dia, a dor está presente numa articulação, e numa outra no dia seguinte.
  • Calcarea fluorica 7CH.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 3 vezes por dia enquanto não vai a uma consulta.

Originally posted 2014-04-08 09:22:38.

dores nas costas - Lombalgias Parte II

Lombalgias Parte II

Modalidades de melhoras

Tome, se as suas dores melhorarem:

  • sentado: Natrum muriaticum;
  • sobre um plano, um assento duro: Bryonia alba. Kalium carbonicum. Natrum muriaticum;
  • com um movimento lento continuo, mas piorarem no início do movimento: Calcarea fluorica,
  • Radium bromatum. Rhus toxicodendron, Ruta graveolens;
  • com a marcha: Ammonium muriaticum, Rhus toxicodendron, Ruta graveolens;
  • com o repouso: Bryonia alba;
  • deitado: Ammonium muriaticum;
  • com uma pressão forte: Bryonia alba:
  • com o calor: Rhus toxicodendron. Ruta graveolens;

Posologia (para todos estes medicamentos) cada medicamento em 9CH, à razão de 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 10 dias.

Modalidades de agravação

Tome, se as lombalgias piorarem

  • sentado: Ammonium muriaticum, Cobaltum;
  • depois de uma longa viagem de carro: Bellis perennis;
  • quando se levanta de uma cadeira: Sulfur;
  • de pé: Sulfur, Valeriana.
  • com o mais pequeno movimento: Bryonia alba;
  • com o repouso: Calcarea fluorica. Rhus toxicodendron. Ruta graveolens;
  • com o calor: Bryonia alba;
  • com a humidade: Rhus toxicodendron, Ruta graveolens.
  • Para os lumbagos a repetição: Calcarea fluorica.

Posologia (para todos estes medicamentos): cada medicamento em 9 CH, à razão de 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 10 dias.

Tratamento de terreno

Um primeiro e único episódio de lumbago agudo não justifica um tratamento de terreno homeopático. Este último é benéfico se os lumbagos se repetirem com frequência ou se as dores lombares tiverem tendência para se tornarem crónicas.

Medicamentos das lombalgias crónicas

Estas últimas necessitam de uma consulta médica, porque as causas destas dores são múltiplas, e as indicações terapêuticas são várias.
A homeopatia (de terreno} e a oligoterapia são tratamentos complementares benéficos que retardam ou reduzem as doses de anti-inflamatórios.

Tratamentos complementares

Para além dos tratamentos clássicos (anti-inflamatórios, antálgicos, infiltrações) e do uso eventual de um lombostato, a acupunctura, a reeducação e os tratamentos termais são terapêuticas essenciais para a cura e para a consolidação das lombalgias e das ciáticas.

Acupunctura

A acupunctura tem uma ação antálgica preponderante. Deveria ser utilizada sistematicamente nesta indicação devido a sua grande eficácia e à sua inocuidade. É recomendada para os doentes que sofrem das costas e não podem tomar anti inflamatórios.

Reeducação

A reeducação deve ser feita fora e longe dos episódios dolorosos. Permite evitar o aparecimento de lumbagos ou de ciáticas a repetição ensinando o paciente a fazer gestos da vida corrente, poupando ao máximo a sua raque lombar na posição sentada, de pé e deitada.

Originally posted 2014-04-08 10:38:42.

IMG 3100 - Tratamento das Ciáticas

Tratamento das Ciáticas

Medicamentos das ciáticas

A localização evidente da ciática facilita a procura do medicamento. No entanto, as circunstâncias de melhoras ou de agravação (as modalidades) predominam na lateralidade, ou seja, na predominância de um dos dois lados do corpo.

A lateralidade não exclui que o medicamento possa ser prescrito do lado oposto àquele que está indicado se as outras modalidades do medicamento estiverem presentes. Assim, por exemplo, Gnaphalium, medicamento habitual das ciáticas direitas, pode ser eficaz nas ciáticas esquerdas se a modalidade principal, melhora sentado, for encontrada.

Ciáticas direitas

  • Gnaphalium 4CH, se as dores e os entorpecimentos melhorarem sentado, com o membro fletido: e piorarem deitado e em repouso.
  • Phytolacca 9 CH é um medicamento de ciáticas que apresentam dores fulgurantes, com o início e o fim bruscos, na face externa da coxa (L4-L5). Pioram durante a noite e com o tempo frio e húmido, e são acompanhadas por uma agitação e uma necessidade de movimento que não aliviam o doente.
  • Magnesia phosphorica 9CH, nas ciáticas com dores fulgurantes tipo cãibras, que pioram com o frio e melhoram em contacto com o calor, a pressão forte e a flexão da coxa sobre a bacia.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, até mesmo mais vezes no primeiro dia, depois 3 vezes por dia durante 10 dias.

Ciáticas esquerdas

  • Colocynthis 9CH, a dor ciática melhora com a coxa fletida sobre a bacia e a perna dobrada, com o calor, com a pressão forte, com o movimento. Piora quando o membro inferior está esticado, assim como com o frio e o repouso. Formigueiro e cãibras acentuam ainda mais a dor.
  • Iris versicolor 9CH, pequeno medicamento de ciática esquerda que piora com movimento.
  • Kalium bichromicum 9CH, a dor não é linear, mas é sentida pelo doente como pontos dolorosos situados no trajeto do nervo. Esta última piora com o frio e melhora com o calor, o movimento, a flexão.
  • Medorrhinum 9CH, quando as dores melhoram deitado de barriga para baixo e com o movimento contínuo.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, até mesmo mais vezes no primeiro dia, depois 3 vezes por dia durante 10 dias

Ciáticas de lateralidade indiferente

Para todos estes medicamentos, a ciática aparece indistintamente de um lado ou do outro. Em contrapartida, se as modalidades dos medicamentos citados mais atrás estiverem presentes mas o lado não corresponder, o medicamento é indicado. Esta localização preferencial não exclui a indicação do lado oposto.

  • Aconitum napellus 15CH é um medicamento de ciática que aparece brutalmente durante o tempo frio e seco. As dores pioram por volta da meia-noite e são acompanhadas por formigueiro e entorpecimento do membro, e por vezes por agitação e ansiedade.
  • Ammonium muriaticum 9CH, quando o estado do doente piora na posição sentada ou quando se endireita depois de se ter inclinado para a frente, e melhora de pé ou a caminhar, e sempre na posição deitada. Contracturas musculares concomitantes dão-lhe a sensação de membros demasiado curtos.
  • Arsenicum álbum 9CH, se as dores ardentes melhorarem com o calor e o movimento, piorarem com o frio e entre 1 e 3 horas da manhã. O sujeito anda às voltas no quarto às 2 horas da manhã para acalmar a sua ansiedade e tentar aliviar as dores.
  • Rhus toxicodendron 9CH, nas ciáticas muito dolorosas acompanhadas por uma sensação de fratura. São desencadeadas pelo tempo húmido, pioram com o repouso, melhoram com o movimento contínuo e com o calor.
  • Ruta graveolens 9CH e um medicamento de lombosciáticas cujas dores pioram sentado ou deitado e com o repouso, e melhoram deitado de costas, com o movimento e o calor.
  • Magnesia carbónica 9CH e adaptado às ciáticas com dores fulgurantes que pioram durante a noite e com o repouso, e melhoram com o movimento e a pressão. O doente levanta-se e caminha para tentar aliviar as dores.

Posologia (para lodos estes medicamentos): 2 grânulos todas as horas do ou dos medicamentos mais indicados, depois espace as doses à medida que as melhoras se fazem sentir. Depois, 3 vezes por dia durante 10 dias

Originally posted 2014-04-08 10:08:33.

istock 000024897874medium lower back pain - Lombalgias

Lombalgias

Tal como a artrose, as lombalgias, ou dores na parte de baixo das costas, causam um problema de saúde pública. Têm um custo socioeconómico importante, visto que cerca de 70% da população sofreu pelo menos uma vez de um episódio de lombalgia. Representam 13% dos acidentes de trabalho, 7% das baixas e 30% dos atos de cinesiterapia.

Diagnóstico

As lombalgias crónicas são dores de baixo das costas impropriamente chamadas “dores de rins”. Reconhecem-se pela sua duração superior a três meses e pelo seu carácter mecânico, ou seja, aparecem com o início do movimento e cedem com o repouso.
Atacam na maioria das vezes as pessoas de idade, nas quais, quando há compressões vertebrais podem produzir-se lombalgias agudas.

Mas o lumbago agudo típico produz-se na maioria das vezes no sujeito jovem de tempos em tempos depois de ter feito um esforço para levantar um peso, durante um ataque de tosse ou um movimento de torção da raque (a sair do carro por exemplo), e muito mais raro espontaneamente.

No momento deste esforço, sente-se uma impressão de estalido na parte de baixo das costas. A violência da dor paralisa o doente e impede-o de se erguer Do mesmo modo, a rigidez da raque obriga-o a destocar-se “de um bloco”. A dor aumenta com a tosse, os espirros e quando vamos à casa de banho.

O lumbago pode ser acompanhado ou não por ciática; regride na maior parte das vezes sem sequelas, exceto se os esforços se reproduzirem; é então mais frequente até se tornar crónico. Uma consulta médica impõe-se sempre no momento de um primeiro episódio de lumbago.

Regras de higiene

  • Perda de peso no caso de obesidade.
  • Reeducação e exercícios adaptados às crises vertebrais.

Tratamento homeopático

O repouso na cama sobre um plano duro (tábua sob o colchão) faz parte integrante do tratamento. Deve ser de pelo menos dez dias. Se não respeitar este prazo as dores prolongam-se e originará lumbagos a repetição ou crónicos.

Medicamentos dos lumbagos agudos

Logo ao princípio

Tome sistematicamente os três medicamentos seguintes

  • Arnica montaria 15CH
  • Rhus toxicodendron 15CH.
  • Ruta graveolens 15CH.

Posologia (para todos estes medicamentos) tome ao princípio 2 grânulos todas as horas de cada um destes medicamentos, depois espace as doses quando as dores começarem a acalmar.

Acrescente Dulcamara 9CH, com a mesma posologia, se o lumbago aparecer sobretudo no tempo húmido. Mantenha Rhus toxicodendron e Ruta graveolens se as dores acalmarem com o movimento piorarem com o repouso.

Se as modalidades forem inversas, ou seja, se as dores acalmarem com o repouso e piorarei com o movimento, abandone Rhus toxicodendron e Ruta graveolens. e acrescente Bryonia abas 5CH à Arnica montara.

Algumas modalidades características
Na maior parte das vezes, só poderá descobri-las quando começar a movimentar-se.

Originally posted 2014-04-08 10:33:34.