466023_13355464

Correspondem a perturbações muitas vezes lábeis que seria inútil, até mesmo desastroso “psiquiatrizar”. Em contrapartida, a persistência destas perturbações deve levá-lo a uma consulta ao seu médico homeopata que decidirá da necessidade de ir ao psiquiatra ou não.

Angústia

A angústia na criança tem diversas formas que os pais devem aprender a reconhecer. Pode manifestar-se através de ataques de fúria, de uma instabilidade psicomotriz, de perturbações do sono, de atitudes de recusa ou de oposição, de queixas diversas: cefaleias, dores digestivas, perturbações alimentares ou esfincterianas.

Diagnóstico

A angústia — ou medo sem objeto — está presente fisiologicamente durante todo o desenvolvimento da criança. Só toma um carácter doentio quando se torna permanente ou muito intensa, ou quando os sujeitos são incapazes de lhe fazerem face.

Aparece a seguir a mudanças importantes na vida da criança: divórcio ou quando um dos pais se vai embora, intervenção cirúrgica, exame escolar, etc.

Os sinais facilmente reconhecíveis no adulto — nó na garganta, palpitações, diarreias, cefaleias — são mais difíceis de identificar na criança. Muitas vezes, a angústia manifesta-se na criança através de ataques de fúria, de uma instabilidade psicomotriz, de perturbações do sono, de atitudes de recusa ou de oposição, de queixas diversas, de cefaleias, de dores digestivas, de perturbações alimentares ou esfincterianas.

Originally posted 2014-04-03 15:08:39.

Comments

comments