980901-F-1740G-105

Os seus filhos são o objeto de todas as suas atenções. Então já não suporta que tomem antibióticos à mais pequena constipação, e está farto das rinofaringites, bronquites ou otites que se repetem de oito em oito dias.

E é muitas vezes nestas ocasiões que descobre a homeopatia. Este capítulo tem por objetivo mostrar-lhe que a esfera de ação da homeopatia não se limita só a estas patologias. Ao contrário, esta terapêutica pode proporcionar-lhe soluções em áreas tão diversas como variadas, que tanto dizem respeito às doenças agudas como crónicas.

A prática da homeopatia em pediatria necessita de um esforço de observação dos seus filhos no qual não está forçosamente habituado. Por exemplo no caso de febre, para saber se o seu bebé tem sede, apresente-lhe o biberão muitas vezes e verifique a sua reação. Para saber se tem muito calor, observe se empurra o lençol, se transpira facilmente.

Verifique as suas reações no banho; se tem arrepios facilmente, se aprecia o banho quente ou chora logo que este último arrefece, etc.

Além disso, na criança, tomar grânulos é diferente. No bebé, antes dos seis meses, os grânulos são derretidos num resto de biberão antes de serem absorvidos. Entre os seis meses e um ano os grânulos podem ser dados um a um na boca.

Uma outra maneira de proceder, se a criança recusar os grânulos, consiste em diluir uma dezena de grânulos em 100ml de água e repartir esta dose durante o dia espaçando-a à medida que os sintomas melhoram.

Seja qual for a idade, se os grânulos forem tomados com água e preparados de avanço, é indispensável abanar o pão antes de dar a dose medicamentosa a fim de recriar a dinamização.

A automedicação dos seus filhos deve ser prudente e refletida. Tenha em consideração todas as chamadas de atenção enunciadas para cada doença tratada nesta parte. Vá a uma consulta à mais pequena dúvida e ainda mais rapidamente quando os bebés têm menos de um ano.

Desconfie sobretudo das diarreias no bebé, porque o risco de desidratação é muito importante e pode aparecer durante vinte e quatro horas, e sobretudo se houver vómitos associados. Uma regra geral: nunca espere para ir a uma consulta, sejam quais forem os sintomas, se sentir a mais pequena inquietude.

Originally posted 2014-04-01 14:31:03.

Comments

comments