Stethoscope

O médico homeopata tem a sorte de poder tratar muitas vezes com êxito, graças a um procedimento terapêutico especial, as doenças que entram ou não, através da noção de globalidade, num conjunto característico.

Tal como já vimos, o médico clássico só se preocupa com os sanais interessantes para o diagnostico em vista da terapêutica. Por seu lado, uma vez feito o diagnóstico, o médico homeopata procura os sinais clínicos habitualmente deixados de lado pela semiologia clássica, e valoriza-os, porque estes últimos são a base para encontrar o medicamento homeopático.

Vamos dar um exemplo normalmente, a suspeição de úlcera gástrica baseia-se na presença de cãibras de estômago que aparecem após as refeições e que duram de trinta minutos a duas horas. As dores evoluem através de crises de uma a três semanas.

Os outros sinais apresentados pelo doente – irradiações da dor, condições de desencadeamento ou de melhoras desta última – confirmam o diagnóstico, que será afirmado pela fibroscopia.

No entanto, não têm qualquer interesse terapêutico para o médico clássico, a não ser por vezes a prescrição de ansiolíticos ou de outros medicamentos a fim de tomar em consideração a personalidade do paciente.

O médico homeopata seguirá o mesmo procedimento mas não deve negligenciar estas informações, porque são indispensáveis à sua prescrição. Procurará indicações:

Sobre a própria úlcera:

  • as modalidades (as condições) de melhoras ou de agravação da dor através de uma posição, de alimentos, quente ou frio (aplicado ou engolido);
  •  os sinais de acompanhamento náuseas, vómitos, diarreias. os sinais fibroscópicos.

E sobre o doente: procurará os sinais gerais que permitem determinar o seu reacional geral, o seu terreno.

Originally posted 2014-03-25 15:20:04.

Comments

comments