mozg - Neurologia, psiquiatria

Neurologia, psiquiatria

Expecto nas doenças neurológicas ou psiquiátricas graves, a maioria de entre nós tem perturbações “nervosas”, sentidas mais enquanto incómodo ou desconforto do que como doença. Não dormimos bem, temos dores de cabeça, sentimo-nos ansiosos, angustiados, com stress, somos pentes do nosso tempo.

Por vezes, recorremos, em mais ou menos tempo, mais ou menos intensivamente, a soníferos, antálgicos, calmantes, que criam uma dependência e fazem-nos entrar na doença nervosa. Para o professor E. Zarifian, pagamos o preço do bem-estar e a medicação da mais pequena ponta de tristeza, porque, em França, consumimos entre duas e quatro vezes mais de medicamentos psicótropos (ansiolíticos ou tranquilizantes, anti depressores. hipnóticos ou soníferos, neurolépticos) do que nos países vizinhos.

A indústria farmacêutica não é alheia a este fenómeno, porque cria noções falsas que culpabilizam o médico, como: 50 a 70% dos suicídios seriam provocados por depressões não
tratadas, 50% no mínimo dos depressivos não são tratados com anti depressores, há uma recaída na “doença depressiva”, então são necessários tratamentos prolongados ou preventivos, etc.

Procura eliminar qualquer terapêutica que não dependa da sua prescrição medicamentosa fustigando subtilmente a psicanálise.
É o reino do pensamento único no qual o discurso académico universitários, científicos segue o discurso promocional dos laboratórios em vez de o perceber. É o reflexo da nossa sociedade, a predominância do poder (marketing, lucro) sobre o saber (atos intelectuais, investigação).

E Zarifian observa — sem fazer juízos — que em França, contrariamente aos outros países da Europa tudo o que não é medicina oficial não é ensinado aos futuros médicos, porque é considerado não cientifico, portanto sem qualquer valor.

Ao passo que na Alemanha, por exemplo, a familiarização com as medicinas não convencionais é obrigatória, e as perturbações psíquicas menores são principalmente tratadas com a fitoterapia, sem que isso altere de maneira alguma a saúde psíquica das respetivas populações.

Esta relação permite recentrar o debate e encarar com serenidade a terapêutica homeopática, numa época em que a indústria farmacêutica tentará provavelmente, num futuro próximo, transformar a timidez em doença.

Originally posted 2014-03-31 15:46:44.

Dor de cabeça - Cefaleias

Cefaleias

A cefaleia, ou dor de cabeça, é um sintoma banal que emotiva muitas vezes uma consulta médica. A homeopatia, sozinha ou em associação com tratamento clássicos, permite espaçar a frequência das dores, diminuir a sua intensidade encarregando-se globalmente do paciente que sofre destas ores com frequência.

Diagnóstico

O diagnóstico das cefaleias nunca é evidente para o médico durante a primeira consulta de intensidade da dor, o seu carácter habitual, o seu aparecimento brutal, são sinais de alarme que devem alertá-lo e levá-lo a consultar um médio imediatamente.

De facto, estes sinais podem conduzir a uma urgência neurológica (tumor, infeção meníngea) ou vascular (hemorragia meníngea ou hipertensão arterial) ou a uma banal dor de cabeça. Apenas o médico poderá concluir da urgência e da gravidade dos sintomas. Vá consulta-lo à mais pequena inquietude de apreensão.

  • A cefaleia banal é a mais frequente: é uma dor de cabeça surda, difusa, que aparece espontaneamente ou é desencadeada por um acontecimento que não é habitual.
  • A cefaleia quotidiana crónica — cefaleia de tensão crónica, segundo a nomenclatura internacional — é uma forma de dor de cabeça que persegue o doente à anos. A dor lancinante, quase permanente, manifesta-se através de sensações de incómodo, de peso na cabeça, de torno, de capacete, de faixa, de aperto. Embora o mecanismo destas cefaleias seja mal conhecido, pensamos que combina fatores psicológicos (stress, cansaço, contrariedade, nostalgia, ou depressão) e musculares. De fator, as tensões psicológicas criariam tensões musculares na origem de does nos pontos de inserção dos tendões e dos músculos do rosto e da nuca.
  • A cefaleia de tensão episódica, também ligada ao stress da vida, é uma dor de cabeça menos frequente, menos contínua do que a cefaleia quotidiana crónica. As dores assemelham-se às precedentes, visto que atacam a cabeça inteira, e manifestam-se através de sensações de pressão, aperto, peso na cabeça. Por vezes, atribuímos ao stress psicológico uma origem física. Assim, uma má posição no trabalho pode criar tensões musculares nas costas e na nuca. Estas cefaleias devem ser rapidamente tratadas para não se tornarem crónicas. Não têm o carácter de dor pulsátil que encontramos nas enxaquecas, ver o artigo sobre as enxaquecas. Segundo um estudo de grande envergadura realizado na população dinamarquesa (Rasmussen, 1995), 66% das cefaleias primárias (sem causa conhecida) seriam provocadas pelas cefaleias de tensão episódicas.

Tratamento

Cefaleia Banal

Não há mais simples e mais anódino do que um comprimido de aspirina ou de paracetamol se a dor de cabeça aparecer raramente e sem qualquer razão aparente. Em contrapartida, pode ficar mais aliviado com um tratamento homeopático se foi desencadeada por circunstancias anteriormente identificadas.

Aparece a seguir a excessos alimentares

Os medicamentos indicados a seguir a excessos alimentares são:

  • habitualmente: Antimonium crudum, Nux vomica. Ipeca;
  • nas pessoas que comem muito: Aloe, Antimonium crudum, Sulfur;
  • nos hepáticos: Juglans regia. Lycopodium clavatum, Taraxacum;
  • a seguir a abuso de excitantes: Nux vomica, Selenium, Sulfur, Zincum metallicum.

Originally posted 2014-04-01 08:46:21.

sono - Tratamento das insónias pontuais

Tratamento das insónias pontuais

No caso de perturbações pontuais, os medicamentos podem ser tomados durante dois ou três dias em doses. Se persistirem, poderá prologar o tratamento durante alguns dias, à razão de 2 grânulos, ao deitar, em 15CH do medicamento mais apropriado.

Insónias secundárias

Se as insónias aparecerem a seguir a:

  • um esgotamento físico, um esforço físico importante e longo: Arnica montana.
  • um esgotamento intelectual: Coffea cruda, Kalium Phosphoricum, Nux vomica, Phosphoricum acidum (se ainda por cima fizer noitadas);
  • um abuso de excitantes: Chamomilla vulgaris, Ignatia amara, Nux vomica;
  • uma discussão animada: Ambra grisea, Nux vomica, Lycopodium clavatum;
  • um desgosto, uma deceção sentimental: Ignatia amara, Natrum muriaticum;
  • um acordar ao mais pequeno barulho: Opium, Sulfur;
  • vexames, humilhações: Staphysagria;
  • excessos sexuais Kalium Phosphoricum, Phosphoricum acidum;
  • uma morte: Arnica montana, Arsenicum álbum. Ignatia amara, Lachesis mutus;
  • uma grande alegria viva: Coffea cruda;
  • ciúmes: Hyoscyamus niger, Lachesis mutus;
  • receios: Gelsemium sempervirens, Ignatia amara;
  • à menopausa: Lachesis mutus, Sepia;
  • à altitude (na montanha): Coca.

Insónias da criança

Se a criança:

  • tiver terrores nocturnos: Hyoscyamus. Kalium bromatum, Stramonium;
  • medo do escuro: Hyoscyamus, Stramonium;
  • dormir mal e ranger os dentes durante o sono: Cina, Kalium bromatum;
  • falar a dormir: Borax, Cina.

Originally posted 2014-04-01 10:32:37.

headache 1l - Enxaquecas

Enxaquecas

Calculamos que 12% da população francesa sofre de enxaquecas. É uma doença precose, visto que em 90% dos casos aparece antes dos quarenta anos.

Está presente três vezes mais na mulher do que no homem. Calculamos que aos quarenta anos um em cada quatro mulheres tem enxaquecas. O custo dos tratamentos está avaliado em um e meio a três biliões e meio de franco por ano.

Diagnóstico

As maioria das pessoas assimila a dor de cabeça (ou cefaleia) à enxaqueca; até mesmo para o médico, o diagnóstico da enxaqueca foi durante muito tempo impreciso. De facto, a enxaqueca causa uma dor de cabeça especial, da qual existem dois tipos principais:

  • a enxaqueca comum, dita “sem aura”:
  • a enxaqueca acompanhada, dita “com aura”, que é precedida por sinais neurológicos.

Enxaquecas sem aura

A enxaqueca sem aura representa 85% das enxaquecas. Evolui atraves de crises de quatro a setenta de duas horas (sem tratamento) for das quais – esta noção é muito importante – o doente leva uma vida perfeitamente normal. Não há sinais neurológicos prenunciadores (aura). As crises apresentam pelo menos dois dos caracteres seguintes:

  • a dor de cabeça é unilateral, ou seja, está situada num só lado da cabeça;
  • as dores são pulsáteis, ou seja, batem ou latejam;
  • a cefaleia é moderada ou severa;
  • e agrava com o movimento; a atividade física normal ou o mais pequeno esforço aumentam as dores.

Deve também ser encontrado um dos critérios seguintes:

  • Náuseas e/ou vómitos;
  • Um receio da luz que provoca uma sensação penosa e/ou dolorosa (fotofobia);
  • Um receio de falar em voz alta (fonofobia).

Originally posted 2014-04-01 09:30:15.

hires45531 - Tratamento de Cefaleias Parte II

Tratamento de Cefaleias Parte II

Outros tipos de cefaleias

Existem numerosos outros tipos de cefaleias que necessitam de uma consulta consulta médica. No entanto, algumas dores de cabeça, que aparecem em circunstancias especiais ou no seguimento de fatores desencadeantes, têm o interesse de orientarem logo para medicamentos precisos.

Cefaleias ritmadas pela menstruação

Quando a menstruação está na origem das dores de cabeça ou quando as agrava:

  • Antes da menstruação: Cyclamen, Lachesis mutus, Sanguinaria, Sepia;
  • Durante a menstruação: Actea racemosa, Sepia;
  • Depois da menstruação: Sepia;
  • Por supressão da menstruação (se saltar um ciclo): Bryonia alba, Cyclamen, Melilotus.

Cefaleias por esgotamento ocular

O trabalho ocular minucioso (costura, bordados, trabalho finos) ou o esgotamento ocular (leitura de trabalho em ecrãs excessivos, má iluminação) indicam os medicamentos seguintes:

  • Lac caninum, Onosmodium, Pais quadrifolia, Physostigma, Ruta graveolens, Spigelia.

Cefaleias que aparecem durante uma sinusite aguda ou crónica

  • Hepar sulfur, Kalium bichromicum, Kalium iodatum, Lachesis mutus, Sticta pulmonaria.

Originally posted 2014-04-01 09:16:03.