1dandelion3

O envelhecimento da população constitui, com toda a evidência, uma formidável parada de saúde pública visto que aproximadamente 20% dos franceses têm mais de sessenta anos (cerca de 11,5 milhões), 13% mais de sessenta e cinco anos e 10% de setenta e cinco a orientamos.

Os últimos números publicados mostram que a esperança de vida ao nascer vai até aos oitenta e dois anos nas mulheres francesas e aos setenta e quatro anos nos homens

Só estes números bastam para explicar a importância socioeconómica das pessoas de idade na área da saúde, as quais consomem em media duas vezes mais de tratamentos do que o resto da população.

No decorrer dos anos, a pessoa de idade vê muitas vezes aumentar o números dos sintomas dos quais sofre. Assim à hipertensão arterial podem acrescentar-se a diabetes, os reumatismos, depois uma diminuição da visão, do ouvido, perdas de memória.

Estas diferentes perturbações estão por vezes na origem de uma redução progressiva das suas atividades em sociedade, de um isolamento, e finalmente de uma dependência difícil de aceitar.

Assim, a prevenção tem sobretudo por objetivo, para além dos tratamentos das doenças propriamente ditas, evitar a dependência dos sujeitos de idade A prevenção da dependência situa-se em três níveis:

  •  evitar as grandes doenças responsáveis por mortes prematuras: doenças cardiovasculares, diabetes, cancros;
  •  tratar as perturbações que podem incomodar a vida social; perturbações urinárias, perturbações dos órgãos dos sentidos, dores nas costas e nas articulações;
  • preservar a vida de relação perda de memória. depressões demências

Os doentes com muita idade necessitam da intervenção de uma equipa pluridisciplinar coordenada pelo médico generalista. Esta colaboração engloba as especialidades e os profissionais paramédicos tais como as enfermeiras, os fisioterapeutas, os ergo-terapeutas.

A ajuda social, a tonta, os amigos, os vizinhos também fazem parte desta intervenção. Todo este ambiente ajuda o doente a sair do seu isolamento, retarda ao máximo a dependência e dá-lhe uma vida social indispensável para o seu equilíbrio mental e físico.

No entanto, o tratamento das diversas afeções também implica um crescimento em número e “em intensidade” dos medicamentos, com o seu lote inevitável de efeitos secundários. Ainda é mais surpreendente quando sabemos que é o sujeito mais sensível ás medicações e aos seus efeitos que consome mais.

A propósito disso, é interessante constatar que mais de 10% das pessoas com mais de oitenta anos são hospitalizados devido a um acidente iatrogénico, ou seja, provocado por medicamentos.

Prevenção

Começa cedo e não diz respeito só ao campo da homeopatia. Quase que não ousamos falar da menopausa e da osteoporose ao abordarmos este tema, porque estas últimas dizem respeito às mulheres jovens que ainda estão longe da terceira idade.

Mas é necessário saber que o capital ósseo (quantidade de ossos) é em parte determinado geneticamente e em parte adquirido através do consumo de cálcio na adolescência. Compreendemos então por que razão a prevenção deve ser precoce.

Concebemos assim o papel de educação das nossas avós numa época em que, à merenda, o copo de Coca-Cola é dado mais vezes aos nossos filhos do que o copo de leite.

Originally posted 2014-03-28 11:40:36.

Comments

comments