lirio3 - Tratamento de Hemorróides Parte II

Tratamento de Hemorróides Parte II

No caso de fissuras anais sobre-acrescentadas

Enquanto não vai a uma consulta:

  • Nitricum acidum 7CH: hemorroidas com dores violentas e persistentes desencadeadas quando vamos à casa-de-banho e acompanhadas por corrimento e comichões.
  • Ratanhia 7CH pode ser associado ao medicamento precedente, porque as suas características são muito próximas.
  • Graphites 7CH.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 3 vezes por dia durante 8 dias.

No caso de tromboses
Enquanto não vai a uma consulta:

  • Muriaticum acidum 7 CH.
  • Lachesis mutus 7 CH.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Tratamento local
— Banhos de assento quentes ou frios conforme se sentir melhor, porque as opiniões são divididas.

  • Pomada Ratanhia 4 % tintura-mãe 3 aplicações por dia.
  • Pomada Poeonia 4 % tintura-mãe: 3 aplicações por dia.

Tratamento de terreno

O objetivo destes tratamentos de terreno consiste em prevenir as recaídas nos sujeitos predispostos
Ver:

  • Graphites.
  • Lachesis mutus.
  • Lycopodium clavatum, para as hemorroidas dos sujeitos que respondem bem.
  • Nux vomica 9CH. quando as hemorroidas aparecem nas pessoas com tendência para a prisão de ventre e a seguir a refeições de negócios bem condimentadas e alcoolizadas.
  • Sepia 9CH durante a gravidez as hemorroidas dos sujeitos que responderem bem pioram. Durante este período, poderá aparecer um prolapso.
  • Sulfur 9CH hemorroides dos sujeitos que respondem bem, que comem muito e que apreciam a comida picante e o álcool.

Originally posted 2014-03-28 10:21:00.

Homeopatia para adelgazar 2 - Tratamento da Diarreia Parte II

Tratamento da Diarreia Parte II

Diarreia de pessoa constipada

É de origem viral e cura-se depressa. No entanto, se o tratamento não for rapidamente eficaz, deve ir consultar um médico porque estes sinais podem ser anunciadores, entre outros, de uma hepatite virai.

  • China rubra 5CH é indicado para as diarreias líquidas indolores que contêm restos alimentares. São acompanhadas por um inchaço de todo o abdómen, uma febre sem sede, arrepios, tremores, e são seguidas por um esgotamento geral num sujeito pálido.
  • Gelsemium sempervirens 5CH: medicamento de diarreia pouco característica que aparece num sujeito congestionado, extenuado, febril, trémulo, esgotado.
  • Nux vomica 5 CH: nas diarreias formadas por pequenas fezes num doente com dores no corpo que aumentam à norte.
  • Soro de Yersin 15 CH: uma dose pode melhorar a situação.

Posologia 2 grânulos 5 vezes por dia sistematicamente e depois de ir à casa-de-banho durante as, depois 3 vezes por dia. Pare o tratamento um dia após o desaparecimento dos problemas.

Diarreias de origem medicamentosa

“Doença dos laxativos”

O paciente que toma laxativos de uma maneira incontrolada, abusiva ou excessiva, que sofre ou que pensa que sofre de prisão de ventre origina falsas diarreias.

Diarreia pós-antibiótica

Declara-se três a cinco dias depois de termos começado a tomar antibióticos. Na maioria das vezes é isolada, sem dores, sem febre, sem tocar no estado geral. Existem formas mais graves que necessitam de uma consulta.

  • China rubra 5CH, diarreia liquida indolor esgotante com inchaço global do abdómen
  • Nux vomica 5CH tem um papel de desintoxicante medicamentoso do organismo.

Posologia: 2 grânulos 5 vezes por dia sistematicamente e depois de ir à casa-de-banho durante os dias depois 3 vezes por dia. Pare o tratamento um dia depois do desaparecimento dos problemas.

Originally posted 2014-03-28 09:32:05.

1dandelion3 - Diarreia aguda do adulto

Diarreia aguda do adulto

Só abordaremos as diarreias agudas, ou seja, aquelas que aparecem de uma maneira brutal. Se as diarreias forem crónica, deve ir consultar um médico.

Diagnóstico

A diarreia define-se pela emissão quotidiana de fezes demasiado frequentes (mais de três por dia) e/ou demasiado liquidas e/ou demasiado abundantes.

As circunstâncias principais durante as quais a diarreia aparece são:

  • a diarreia do viajante ou turista”, no regresso de um pais estrangeiro;
  • a diarreia provocada pelas salmonelas durante uma intoxicação alimentar;
  •  a diarreia depois de um tratamento antibiótico. Há numerosos medicamentos que podem provocar as diarreias; informe-se junto do seu médico se estas últimas aparecerem durante um novo tratamento.
  •  a diarreia de origem viral, que aparece num sujeito com gripe;
  •  a falsa diarreia daqueles que sofrem de prisão de ventre, que abusam de laxativos;
  •  a diarreia provocada pela má digestão de um alimento ou a seguir a excesso alimentaras
  • a diarreia de stress.

Existem, claro, múltiplas outras causas de diarreia que necessitam de uma opinião médica autorizada. Deve ir a uma consulta se tiver:

  • mais de seis fezes por dia ou sangue nestas últimas;
  • dores abdominais violentas;
  •  uma febre persistente;
  • um estado geral alterado.

A diarreia aguda, no geral, cura-se muito rapidamente no adulto são e raramente se complica com desidratação

Regras dietéticas

Seja qual for a causa da diarreia, as regras que se seguem fazem parte integrante do tratamento:

  1. o repouso ao quente;
  2. uma alimentação principalmente à base de líquido durante vinte e quatro a quarenta e oito horas, ou seja:
  • pelo menos um litro e meio de água;
  •  caldos de legumes cozidos durante muito tempo (para dissociar bem as fibras) e ligeiramente salgados (para reter a água), excluindo legumes irritantes para o intestino tais como os alhos franceses, as cebolas, as couves, os nabos, o cercefi;
  •  água de arroz no primeiro dia, uma sopa de cenouras, maçãs cruas finamente raladas, polpa de alfarroba no segundo dia;
  • nos dias seguintes: sêmola, sopa de massa, arroz bem cozido, peixe magro muito fresco cozido, bife picado depois de cozido, manteiga crua. puro de legumes e um iogurte.

A seguir, recomece progressivamente uma alimentação normal.

Originally posted 2014-03-27 16:53:49.

medicamentos - Prisão de ventre e Tratamento Parte II

Prisão de ventre e Tratamento Parte II

Doença do laxativos

De facto, diz respeito às mulheres — muitas vezes de vinte a quarenta anos, nas profissões paramédicas — que têm ou pensam ter prisão de ventre e abusam de laxativos para irem à casa-de-banho. Por esta razão, imitam os intestinos, provocam dores abdominais violentas, e abundantes e inúteis perdas de minerais preciosos.

Criam assim um círculo vicioso onde alternam diarreia e prisão de ventre. Estas pacientes sofrem por vezes de perturbações psiquiátricas associadas que necessitam de uma consulta especializada.

Devemos desconfiar de algumas plantas ou tisanas taxativas irritantes tais como o sene, o aloés, o amieiro preto e o ruibarbo, infelizmente em venda livre. Alguns médicos utilizam estas plantas por ocasião de dietas para emagrecer nefastas, sobretudo se forem tomadas durante muito tempo.

Para esperar obter um resultado qualquer, é necessário persuadir estas pessoas do carácter nocivo da continuação intempestiva destes tratamentos, e da necessidade absoluta de os parar, mesmo à custa de um desconforto passageiro.
Enquanto não vai a uma consulta.

  • Hydrastis 6DH, se as fezes forem pequenas, duras, ligadas entre elas por muco. Num fase mais avançada, existe uma repercussão sobre o estado geral com perda de apetite e emagrecimento

Posologia: 20 gotas 2 vezes por dia deste medicamento permite uma readaptação e um reeducação progressiva do cólon.

  • Nux vomica 15CH é classicamente utilizado para permitir ao organismo eliminar as substâncias tóxicas ingeridas.

Posologia: tomar uma dose de Nux vomica 1 CH, 3 dias de seguida ao levantar, depois 2 grânulos ao levantar.

Tratamentos termais

Podem ser úteis a prisão de ventre entrar no enquadramento de uma colopatia funcional.

Originally posted 2014-03-28 11:27:13.

116639 Papel de Parede Dia de sol 1400x1050 1 - O que são Colopatias funcionais?

O que são Colopatias funcionais?

Os sinónimos desta síndroma são numerosos: tanto utilizamos o termo de colite como colite espasmódica, ou perturbações funcionais intestinais. É uma afeção crónica tão frequente como benigna, mas incomoda consideravelmente os pacientes que sofrem desta doença.

Consideramos que mais de 5 milhões de franceses sofrem em graus diversos desta doença tem causa orgânica reconhecida. Os contributos da alopatia nesta área são limitados Se estas perturbações aparecerem subitamente depois dos quarenta anos, impõe-se uma consulta ao médico.

Diagnostico

Os sintomas desta doença são extremamente variáveis na sua intensidade e no seu modo de expressão. Associam no geral dores abdominais, inchaço com diarreia e/ou prisão de ventre, ou as duas em alternância.

Há outros sinais que encontramos com menos frequência: náuseas, regurgitações, perda de apetite ou uma saciedade precoce, digestões lentas, fadiga física e intelectual, palpitações cefaleias, etc.

A colopatia funcional observa-se primeiro nas pessoas ansiosas, meticulosas, escrupulosas. Pouco seguras, vêem as suas perturbações agravadas com a mais pequena situação conflitual. Por vezes, estas pessoas preparam dietas alimentares que excluem certos alimentos (legumes crus por exemplo) expondo-as a carências (em vitamina A neste caso).

Regras de higiene

As regras dietéticas são no geral as da prisão de ventre. No entanto, se esta última alternar com a diarreia ou se as dores abdominais predominarem, a dieta alimentar pode diferir ligeiramente.

De facto, num primeiro tempo, a dieta deverá ser pobre em legumes crus. rica em legumes verdes cozidos e em frutos maduros não ácidos. A seguir, após a atenuação das dores, deve voltara introduzir progressivamente os alimentos que suprimiu, limite os alimentos irritantes e vigia a influência do leite.

Não vou detalhar mais esta parte porque, conhecendo o carácter ansioso e meticuloso deste pacientes, sei que há o risco de aplicarem estas instruções à letra. Ora esta “dieta” deve fazer-si de acordo e sob o controlo do seu médico.

Originally posted 2014-03-27 16:29:42.