Conheca a terapia floral2 - Laringites

Laringites

As laringites do adulto são, regra geral, benignas. Não têm os caracteres de gravidade que podem ter algumas laringites da criança. São ou de origem viral, ou devidas a uma utilização excessiva da voz.

Laringites virais

Diagnóstico
No geral anódina no adulto, a inflamação da laringe caracteriza-se pelo aparecimento de uma modificação da voz acompanhada por uma tosse seca. Surge num contexto virai e pode ser acompanhada por febre.

Tratamento

As laringites virais são tratadas com as tosses da criança, porque os medicamentos utilizados são os mesmos. Para obter todas as informações que desejar, consulte os parágrafos que se referem às laringites, a tosse seca, e às tosses violentas.

Se a sua temperatura estiver alta, consulte também o capitulo sobre as febres da criança.

Laringites dos cantores ou oradores

Diagnóstico

São provocadas por uma utilização excessiva da voz. Aparecem nas pessoas que, ocasionalmente ou devido à sua profissão, falam muito ou forçam a sua voz.

Portanto, estes medicamentos são úteis para os cantores, professores, conferencistas, e para aqueles que. Num ataque de fúria, perderam a voz

Tratamento

  • Argentum metallicum 5CH: modificação da voz com aparecimento de uma tosse seca que piora ao cantar e ao falar.
  • Argentum nitricum 5CH: idem, com a presença de uma dor em lasca característica do medicamento.
  • Arnica montana 5CH. nas pessoas que forçaram anormal ou excecionalmente a voz.
  • Arum triphyllum 5CH, quando a rouquidão é dolorosa e sobretudo quando a voz muda de tom.
  • Phytolacca 5 CH: rouquidão com dores nas amígdalas.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Originally posted 2014-03-27 14:38:21.

wp12b6bea4 - Sinusites frontais

Sinusites frontais

Ao princípio quando o nariz está seco e entupido

  • Sticta pulmonaria 5CH é indicado nas sinusites frontais que aparecem durante uma gripe. O nariz seco e entupido torna o assoar impossível; as dores na raiz do nariz e as cefaleias frontais melhoram logo que o nariz começa a pingar. Aparece uma tosse seca, dolorosa, que piora durante a noite.

Posologia: 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

  • Lachesis mutus 5CH, quando as dores suborbitais são desencadeadas pelo cessar brutal do corrimento nasal – ou espontaneamente, ou provocado por pomadas ou instilações nasais – e melhoram quando recomeça.

Posologia: tome com 6 horas de intervalo, sucessivamente, uma dose de Lachesis mutus 7CH, depois uma dose de Lachesis mutus 9CH, e finalmente uma dose de Lachesis mutus 15CH.

  • Hepar sulfur 15CH deve ser utilizado com precaução nas sinusites frontais acompanhadas por dores pulsativas intoleráveis, que pioram com o frio.

Posologia: uma única dose de Hepar sulfur é o suficiente para retirar o bloqueio. Não utilize diluições inferiores (5CH, 7CH, 9CH) nesta indicação, porque existe o risco de agravação. Não utilize Hepar sulfur se o nariz pingar, porque corre o risco de parar o corrimento e agravar a sinusite. Não utilize Hepar sulfur no caso de dúvidas.

Quando o nariz pinga

  • Cinnabaris 5CH
  • Kalium bichromicum 5CH
  • Kalium iodatum 5CH, nas sinusites frontais, com dores intensas nos ossos da face e na raiz do nariz, que aparecem a seguir a uma constipação cujo corrimento nasal muito irritante se tornou esverdeado. As dores melhoram com o calor e pioram com o ar fresco. É também um medicamento de sinusite maxilar.
  • Mercurius solubilis 5 CH, nas sinusites acompanhadas por nevralgias, uma tosse grossa muco-purulenta, uma febre intensa, muita sede e suores noturnos que não aliviam o doente
  • Corallium rubrum 5 CH convém nas sinusites agravadas por uma tosse seca, violenta, difícil de parar, com vermelhidão intensa no rosto.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Tratamento de terreno

É indispensável nas sinusites crónicas ou a repetição.

Tratamento complementares

A acupuntura é muito eficaz nas sinusites frontais e maxilares: acalma as dores e favorece o corrimento nasal. É pena não fazer, porque acelera a cura verdadeiramente.

Originally posted 2014-03-27 15:42:45.

url - Anginas Parte II

Anginas Parte II

Se a angina for multo dolorosa

Acrescentará à Belladonna e ao Mercurius solubilis:

  • Mercurius corrosivos 5CH, quando estão associadas na angina as dores intensas ardentes das amígdalas e a impossibilidade de engolir Lachesis mutus é muitas vezes complementar a este medicamento.

Posologia (para todos estes medicamentos); 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Se a dor se espalhar até aos ouvidos

Acrescentará à Belladonna e ao Mercurius solubilis:

  • Phytolacca 5 CH.

Posologia: 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Se a dor nas amígdalas passar da direita para a esquerda

Tomará:

  • Lycopodium clavatum 5 CH. que é indicado nas anginas cuja dor começa à direita, de atacar os dois lados, e melhora quando bebe bebidas quentes
  • Mercurius proto-iodatus 5 CH é a associar sistematicamente a Lycopodium clavatum nesta indicação.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias. Depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Se a dor nas amígdalas passar da esquerda para a direita

Tomará:

  • Lachesis mutus 5 CH, se a dor nas amígdalas passar da esquerda para a direita, e piorar quando bebe quente O doente sente grandes dificuldades para engolir.
  • Mercurius bi-iodatus 5 CH é a associar sistematicamente a Lachesis mutus nesta indicação.

Posologia (para todos estes medicamentos); 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Se a dor mudar regularmente de lado

Quando a dor muda regularmente de lado. ou seja. quando começa por sofrer, por exemplo, do lado direito, depois do lado esquerdo, depois a dor volta para a direita e assim de seguida:

  • Lac caninum 5 CH convém nas anginas muito dolorosas, sobretudo durante a deglutição ou ao engolir alimentos sólidos, nos sujeitos que tem, nestas circunstâncias, a língua vermelha e despapilada.

Posologia: 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias. depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Conforme a reação às bebidas quentes e frias
Tomará:

  • se, ao engolir, a dor piorar com as bebidas quentes: ou Lachesis mutus 5 CH e Mercurius proto-iodatus 5CH, ou Phytolacca 5CH.
  • se, ao engolir a dor melhorar com bebidas quentes: Lycopodium clavatum 5 CH.
  • se melhorar com bebidas frias: Apis mellifica 5 CH ou Phytolacca 5 CH.

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

No caso de febre

Para encontrar o ou os medicamentos que convém melhor, deve tomar em consideração a sede e a transpiração:

  • se não transpirar e não tiver sede: Apis mellifica: se tiver sede: Aconitum napellus
  • se transpirar e tiver sede; Belladonna, Mercurius solubilis.
  • se se sentir muito cansado: Phytolacca.

Localmente

Poderá ficar mais aliviado se fizer gargarejos de:

  • Phytolacca tintura-mãe
  • Calendula tintura-mãe

Posologia: 20 gotas da preparação em meio copo de água 4 vezes por dia.

Originally posted 2014-03-27 12:30:31.

medicomenu - Doenças das vias respiratórias

Doenças das vias respiratórias

A asma e a bronquite crónica são os terrenos de predileção da homeopatia em pneumologia. Esta ultima permite um melhor conforto do doente e evite principalmente as sobreinfecções invernais a repetição.

Asma

A asma da pessoa de idade é uma asma crónica cujas consequências mais ou menos a longo prazo são a insuficiência respiratória crónica.

A homeopatia tem uma dupla atividade: melhora o conforto do doente diminuindo a frequência das crises de asma e ajuda-o do ponto de vista respiratório, tal como provam os testes (explorações funcionais respiratórias) que permitem a medida da capacidade respiratória.

Conforme o estado do doente e a gravidade da doença, a homeopatia atua sozinha ou em complemento da alopatia.

Os principais medicamentos da asma crónica são: Ammonium carbonicum, Antimonium tartaricum, Arsenicum album, Blatta orientalis, Carbo vegetabilis, Hepar sulfur, Kalium carbonicum, Naja tripudians, Natrum sulfuricum, Psorinum, Quebracho, Sulfur.

Bronquite crónica

A bronquite crónica apresenta, a curto ou a longo prazo, os mesmos riscos que a asma. Ou seja, as sobreinfecções pulmonares e a insuficiência respiratória crónica

Os medicamentos mais correntes da bronquite crónica são Ammonium carbonicum, Antimonium sulfuratum aureum, Antimonium tartaricum, Blatta orientalis, Carbo vegetabilis, Natrum sulfuricum, Psorinum, Sonega, Sulfur.

Para evitar e prevenir as sobreinfecções dos brônquios e dos pulmões, os medicamentos úteis nesta fase são: Hepar sulfur, Mercurius solubilis, Silicea.

O interesse destes medicamentos consiste em espaçar as afeções e também encurtar uma eventual acamação muitas vezes na origem da perda de autonomia do sujeito de idade. Esta última pode aparecer num prazo muito curto durante uma doença aguda, após dez dias de acamação por exemplo.

Originally posted 2014-03-28 12:09:38.

homeopathbottles - Doenças das vias respiratórias

Doenças das vias respiratórias

As doenças das vias respiratórias tornam-se cada vez mais frequentes: tanto atacam as crianças corno os adultos.
É por isso que estas doenças também são tratadas no capítulo sobre a pediatria porque, para além de algumas especificidades especiais à criança, os medicamentos homeopáticos são os mesmos; de mais a mais, numerosas chamadas de atenção orientam-no para esse capítulo.
Estas doenças correntes são na maioria das vezes benignas e facilmente reconhecíveis. Constituem a área ideal para se iniciar e começar a exercer-se na prática da homeopatia Assim, constatara rapidamente a sua eficácia e evitará tomar intempestivamente antibióticos à mais pequena constipação ou quando tiver uma gripe.
Se a sua aprendizagem for mais difícil do que previsto, não hesite em contactar o seu médico homeopata.
No entanto, alguns sintomas pouco habituais ou que duram muito tempo devem levá-lo a consultar o seu médico imperativa e rapidamente: uma tosse persistente, (para além de quinze dias) ou o aparecimento de sangue nos escarros por exemplo.
Este capítulo também é uma encruzilhada, porque mostra o interesse e a extensão do campo de ação da homeopatia.
De facto, tanto diz respeito às doenças infecciosas, como a gripe, as bronquites agudas ou as anginas, como às afeções alérgicas, tais como a asma ou a febre-dos-fenos. Mostra a atividade da homeopatia na dor, ou seja, nas sinusites ou nas otites agudas, e nas doenças crónicas ou que se repetem com frequência, tais como as bronquites crónicas ou as rinofaringites a repetição.

Originally posted 2014-03-27 12:02:56.