herbs larger pic - Os Pluralistas

Os Pluralistas

Os médicos homeopatas opõem-se principalmente sobre dois conceitos que correspondem a praticas de prescrição diferentes. Os “pluralistas”, largamente maioritários em França, prescrevem alguns medicamentos homeopatias para cobrirem o mais completamente possível o modo reacional do paciente os “unicistas” utilizam um só medicamento com o mesmo objetivo; um pouco à parte, os “complexistas” utilizam misturas de numerosos medicamentos homeopáticos ou fisioterapêuticos em fracas diluições.

Os pluralistas

O pluralismo é a técnica de prescrição melhor adaptada à prática quotidiana, porque os doentes apresentam patologias múltiplas sobre um terreno reacional complexo. O seu procedimento, lógico e racional, permite a prescrição de um ou de deus medicamentos de terreno, e de um número similar de medicamentos de sintomas, é um método de estratégia terapêutica flexível e evolutiva que permite adaptar o medicamento em função das variações do estado clínico do doente.

O médico que utiliza esta técnica pode sempre justificar a sua prescrição e explicar ao paciente a que corresponde cada medicamento. A sua receita é clara, precisa, simples de aplicar para o paciente (melhor observância).

Compõe-se de. nos casos crônicos, cinco ou seis medicamentos, à razão de dois de manhã e a note aos quais se acrescenta uma dose hebdomadária; nas doenças agudas para as quais os sintomas são raramente individualizados mas nítidos, permite mudar rapidamente os medicamentos em função da evolução da doença.

Originally posted 2014-03-26 10:29:21.

mesoterapia 1 -

A partir de 1993, o método de preparação em frasco único, criado pelo conde Korsakov em 1832, ficou novamente disponível em Franca. Este modo de fabricação – embora utilizado vulgarmente no estrangeiro – foi durante muito tempo proibido em França porque era considerado demasiado impreciso pelo legislador.

Esta técnica permite obter o conjunto das diluições a partir da utilização de um frasco único que despejamos depois de cada diluição e dinamização.

Explicação: deitamos 1 gota da tintura-mãe da substância em 99 gotas de álcool, abanamos (dinamização) e obtemos assim a primeira korsakoviana ou 1K. Despejamos o conteúdo do frasco: fica nas paredes uma dose avaliada em 1% da 1K. Acrescentamos 99% de álcool, dinamizamos, obtemos a segunda korsakoviana, que já contém a 1K. Repetimos as operações até à obtenção da diluição desejada.

0 interesse desta técnica reside na presença do conjunto de diluições precedentes em cada tubo o que assegura uma eficácia optimal do medicamento. Assim. Belladonna 30K, Belladonna à 30ª korsakoviana, contém o conjunto das diluições anteriores, ou seja, aquelas que vão da 1K à 29K, contrariamente à Belladonna 4CH que só contém a 4 H e não a 1, a 2, a 3CH.

Seja qual for o método escolhido, é obtida uma solução depois de cada diluição e dinamização. A solução, pulverizada, vai impregnar pequenas esferas feitas de uma substância inerte89 de lactose e sacarose: os grânulos de 50mg ou os glóbulos de 5mg. Assim nasce o medicamento homeopático.

Correspondência teórica entre estes dois métodos

Diluições hahnemanianas

Diluições korsakovianas

5CH

30K

7CH

200K

9CH

5.000K

10CH

10.000K

 

De uma maneira geral, a posologia é definida, para os medicamentos homeopáticos, pela altura de diluições. Chamamos:

  • Baixas diluições, 4CH, 5CH, 7CH;
  • Medias diluições, 9 a 12CH
  • Altas diluições, 15CH a 30CH.

Quando toma Belladonna 4CH, utiliza uma baixa diluição, o que é frequente nas anginas por exemplo.

Originally posted 2014-03-25 10:11:03.

fundo02 - Os limite de compromisso da homeopatia

Os limite de compromisso da homeopatia

Nos doentes que sofrem de doenças graves

De uma maneira geral, nestas doenças, os pacientes têm um tratamento pesado, ou seja, relativamente tóxico e portanto dotado com efeitos secundários. Estes últimos levam muitos doentes a consultar o médico, a fim de, no melhor dos casos, limitarem os efeitos secundários, no pior, para pararem o tratamento.

A posição mais sensata consisto em convence-los a consolidarem este ultimo associando-lhe a homeopatia, mesmo quando esta atitude do “meio termo” é combatida por vezes por pacientes que estão convencidos de que a homeopatia pode fazer tudo sozinha, e querem abandonar definitivamente o seu tratamento clássico.

Nas pessoas sãs que sofrem de futuras doenças graves

A mediana atual permite, graças aos exames biológicos, descobrir doenças antes de o paciente sentir o mais pequeno sintoma. Esta benéfica medicina de prevenção deteta as doenças precocemente. Tem, no entanto, o “inconveniente” de “tomar” doentes pessoas que no entanto se sentiam bem de saúde, viste que não apresentavam qualquer sinal de sofrimento.

Este fenómeno toma-se ainda mais verdadeiro devido às terapêuticas utilizadas atualmente para tratar essas pessoas porque têm numerosos efeitos secundários que acentuam esta impressão fazendo-as entrar na doença.

Por vezes, em alguns desses futuros doentes, há um outro motivo de reticência que emana da sua incerteza quanto à eficácia do tratamento que lhe propõem, da sua convicção de nocividade, mas sobretudo da dificuldade para apreenderem os prazos longínquos das complicações da sua doença.

Por isso, naturalmente, têm tendência para pararem essas terapêuticas das quais não obtêm a eficácia imediata. É por isso que muitas vezes é necessária uma verdadeira negociação para os tomar lúcidos, responsáveis, e incitá-los a continuar o seu tratamento.

Originally posted 2014-03-24 13:11:20.

curare bambini omeopatia - Evoluçao da Sicose

Evoluçao da Sicose

Evolução

O modo reacional sicótico evolue em duas fases:

A sicose gorda

É caracterizada pela sua retenção hídrica e pela sua sensibilidade à humidade.
Os principais medicamentos de terreno são: Thuya occidentalis, Medorrhinum, e Natrum sulfuricum.

A sicose

É antes de mais:

  • uma tendência para as rinofaringites ou para as infecções genitais a repetição;
  •  uma propensão para “fazer” verrugas;
  • uma agravação geral com o tempo húmido.

É por exemplo:

  •  uma mulher forte, com celulite nas ancas, que transpira facilmente, e tem reumatismos que pioram com a humidade.
  • uma criança sobrevacinada que faz rinofaringites a repetição.

Corresponde a dois grandes medicamentos;

Thuya occidentalis e Medorrhinum.

A sicose esclerosa

É individualizada por uma esclerose progressiva dos tecidos e melhoras paradoxais com a humidade.
Os medicamentos de terreno desta fase são: Causticum, Tuberculinum residuum, Medorrhinum, Silicea. Plumbum.

Originally posted 2014-03-25 12:24:47.

banner2 - O que é o tuberculinismo?

O que é o tuberculinismo?

O tuberculinismo, ou modo reacional tuberculínico, define a terceira diátese. Ainda utilizado no “mundo homeopático”, este termo “tuberculínico” é impróprio e obsoleto e corresponde provavelmente a um subgrupo do modo psórico.

Não há qualquer relação a procurar com a tuberculose; este termo inadequado é conservado erradamente por razões históricas.

Os sujeitos predispostos

Este modo reacional encontra-se sobretudo na criança ou no adulto jovem.
Estes sujeitos predispostos são longilíneos, altos e magros nervosos, hipersensíveis e depressa cansados. Friorentos, não suportam a falta de ar.

São propensos a infecções a repetição (que traduzem um modo de eliminação especial):

  • ORL, na criança: otites sinusites, rinofaringites, bronquites, traqueites.
  • genitais, no adolescente: perturbações da menstruação (dolorosa e/ou espaçada) e leucorreias (corrimento)

Têm tendência para picos febris inexplicados (muitas vezes apresentados como crises de crescimento), perturbações venosas (pernas com marcas finas e longas na pele, veias aparentes), epistaxes (hemorragia no nariz).

Normalmente, o estado geral destes sujeitos piora com as eliminações e com as estadias
à beira do mar. e melhora na montanha.

Fatores desencadeantes

Este modo é desencadeado por:

  • fatores infecciosos a contaminação tuberculosa viragem de cutirreacao, BCG, IDR repetidas, vacinações repetidas ou as antibioterapias a repetição,
  • as doenças ditas “anergizantes”: sarampo, coqueluche, hepatite viral, mononucleose infecciosa:
  •  as infecções a repetição ORL, principalmente uro-genitais;
  • fatores da congestão venosa (aquecimento através do chão), fatia de ar
  • as dietas “dietéticas”; com medicações à base de extratos tiroidanos, de anfetaminas, de anfetaminas, de diuréticos: ou dietas vegetarianas ou vegetalianas.
  • fatores psíquicos os choques afetivos, esgotamento cerebral.

Originally posted 2014-03-25 12:42:35.