cabeçalho - O exame médico das doenças agudas

O exame médico das doenças agudas

É próximo do precedente, mas, claro, mais orientado para a doença a que diz respeito. Neste tipo de consulta, o doente procura um alivio rápido que a terapêutica homeopática pode proporcionar-lhe. As investigações são sumárias mas precisas conduzidas habilmente, encurtam nitidamente a consulta.

O exame médico repete, se necessário, as mesmas etapas que para o estudo do doente crónico. O seu objetivo é idêntico: a confirmação do diagnóstico da doença e da escolha do medicamento. A procura deste último, embora mais rápida, necessita pelo menos de um bom conhecimento da homeopatia, porque o fracasso é flagrante se o tratamento for errado.

A consulta é mais curta, porque os sinais são mais marcados, mais recentes e mais facilmente reconhecidos pelo médico e pelo doente.

Exemplo de um tratamento de crise num sujeito que sofre de rinite alérgica ou “febre-dos-fenos”

Doutor Renaud Bornymche
18, Boulevard de Paris 27 de Dezembro de 1877,
93600 Aulnay-sous-Bois Raphael C.

Tomar cinco vezes por dia durante dois dias, depois três vezes por dia durante seis dias;

Allium cepa 5CH; 2 grânulos
Sanguinária 5CH; 2 grânulos
Nux vomica 5CH; 2 grânulos

Como compreender esta receita: Allium cepa, Sanguinária e Nux vomica são medicamentos das crises de febre-dos-fenos nas quais os espirros são intensos, e a irritação nasal importante.

A estes sintomas acrescentam-se para:

  •  Allium cepa, uma lacrimação doce, e uma agravação das crises com o calor ou quando entramos numa sala quente, e com as correntes de ar.
  • Sanguinária. uma hipersensibilidade aos odores e às flores; Nux vomica, um nariz seco e entupido durante a noite.

Um tratamento de fundo será iniciado em concomitância para evitar que as crises reapareçam durante este período polínico por exemplo.

Originally posted 2014-03-26 10:16:15.

medicina - A formação dos médicos

A formação dos médicos

Em França, a homeopatia só pode ser exercida por doutores em medicina. Os médicos homeopatas, generalistas ou especialistas, seguem portanto o mesmo curso universitário que os seus colegas alopatas, ao qual é acrescentada uma formação em homeopatia de três anos suplementares. Um individuo não médico que pratique a homeopatia será perseguido por exercício ilegal de medicina.

No princípio do século, o ensino fazia-se principalmente de professor para aluno, depois estruturou-se com a criação, a partir de 1952, de escolas privadas. Em 1977, a faculdade de medicina de Besançon, sob a influência do Professor Grandmottet e do Dr. Belot, criou o primeiro diploma universitário de terapêutica homeopática.

Contrariamente aos diplomas de especialidades, os diplomas universitários não conferem um titulo. Qualquer médico, tendo ou não uma formação, pode por isso mesmo pretender-se homeopata. A partir de 1974, o Conselho nacional da ordem dos médicos autorizou a menção “Orientação homeopática” aos médicos que lhe fazem o pedido, sob reserva de informar o Conselho departamental da ordem dos médicos e de ter recebido uma formação apropriada.

As regras dos médicos homeopatas franceses:

1 A prática da homeopatia é efetuada por um médico homeopata.

2. O médico homeopata exerce a mediana após a obtenção do diploma de doutor em medicina, que confirma os seus estudos, feitos na faculdade.

3. Para além dos seus estudos, o médico homeopata é obrigado a seguir um ciclo de três anos de estudos especializados em homeopatia. Qualquer paciente tem o direito de exigir ao seu médico homeopata um diploma de fim de estudos.

4. A consulta do médico homeopata comporta uma conversa com o paciente, um exame geral, um diagnostico médico, depois uma investigação precisa das reações pessoais próprias ao doente.

5. Apenas o médico homeopata está habilitado a avaliar a terapia homeopática a aplicar, ou, se o caso o exigir, uma prescrição alopática.

6. O médico homeopata pode ser obrigado a pedir análises clínicas, uma consulta a um colega especialista, uma hospitalização…

7 Os medicamentos homeopáticos são fabricados por laboratórios farmacêuticos especializados, conforme normas muito estritas, fixadas pelo Ministério da Saúde.

8. Os medicamentos homeopáticos são vendidos nas farmácias, sob a responsabilidade do farmacêutico.

9. Os medicamentos homeopáticos são reembolsados pela Segurança Social.

10. O Sindicato nacional dos módicos homeopatas franceses reserva-se o direito de denunciar quaisquer práticas, quaisquer formas de vulgarização, de informação e de publicidade da homeopatia que possam constituir um atentado à saúde individual ou colectiva.

Originally posted 2014-03-24 16:14:34.

medicomenu - O custo de uma receita

O custo de uma receita

O custo de uma receita

Segundo o ultimo estudo realizado pela Caixa Nacional de Segurança Social em 1983, o custo médio de uma receita, ou seja, o montante ao encargo do paciente (consulta mais medicamento não reembolsado pela Segurança Social), era de 44,83 francos ou seja, 2,9 vezes menos do que o custo médio de uma receita alopática (130,37 francos).

A notar que o custo da receita homeopática é certamente inferior ao custo indicado, porque as estatísticas foram feitas sobre receitas que associavam especialidades homeopáticas e alopáticas.

Ora, estas últimas englobam 77.8% dos casos, apenas 22.2 % das receitas são exclusivamente homeopáticas. Para atem doso, este estudo não toma em consideração as preparações magistrais e os medicamentos homeopáticos não reembolsados.

Em 1993, o montante médio das despesas farmacêuticas por ato prescritor para os médicos com exercício particular – representados maioritariamente pelos médicos homeopatas – era de 147,8 francos ao passo que o custo para um médico generalista era de 259,6 francos.

A parte dos medicamentos homeopáticos representa 0.17% das despesas da Segurança Social em doenças e 1,2% dos reembolsos de farmácia.

Quais doenças?

As doença para as quais se recorre mais à homeopatia são:

  • As doenças do aparelho respiratório (18,6% contra 17,1% para a alopatia).
  • As perturbações mentais (15,3% contra 9,9% para a alopatia).
  • As doenças reumatismais (7,1% contra 8,4%).

Os pediatras e os dermatologistas são aqueles que, por entres os especialistas, utilizam mais a homeopatia.

Originally posted 2014-03-24 15:57:10.

url - Quais sao os inconvenientes da Alopatia?

Quais sao os inconvenientes da Alopatia?

Infelizmente, a terapêutica alopática associa a sua atividade um cortejo de efeitos secundários; “isto cura num certo sítio, mas estraga um outro”, ouvimos nós muitas vezes. É inegável, mas atualmente dado a maneira como são orientadas as investigações, é a única via explorada, porque é a única considerada como cientifica

Na minha opinião, a homeopatia deveria ser a mediana de primeira intenção na cidade, a alopatia deveria ser reservada para os casos que resistem à homeopatia.

Os doentes aceitariam então muito bem, se necessário, tomar pontualmente, a longo prazo ou de uma maneira repetida, um medicamento a topa tico, mesmo se aparecessem eleitos secundários. Enquanto esta mesma população recusa estas perturbações iatrogénicas (perturbações indesejáveis, mais ou menos oravas, provocadas pelo próprio medicamento) nas patologias benignas mais vulgares

Se a doença o exigir, os médicos homeopatas não deveriam hesitar em utilizar a alopatia, sozinha ou em associação. É a utilização sistemática de medicamentos alopáticos nas afeções pouco graves, tais como os antibióticos nas doenças ORL – rinofaringites principalmente -. a utilização dos anti-inflamatórios ou da cortisona para o mais pequeno reumatismo, por exemplo, que acaba por incitar numerosos pacientes a procurarem uma terapêutica pouco agressiva e com a mesma eficácia.

Nas nossas consultas, encontramos muitas mães de família na maioria exaspera- das pela receita sistemática de antibióticos aos seus filhos, à mais pequena construção, á mais pequena dor de ouvidos ou à mais insignificante subida de temperatura.

As páginas do caderno de saúde – não chegam para anotar todas as infeções da criança desde o seu nascimento – existem para o testemunhar. Ora, na maioria dos casos, os antibióticos não só são inúteis, como também ineficazes. Portanto, são muitas vezes os abusos da alopatia que fazem o sucesso da homeopatia.

Originally posted 2014-03-21 15:55:07.

Homeopatia para adelgazar 2 - Por que razao tomamos as mesmas doses em todas as idades?

Por que razao tomamos as mesmas doses em todas as idades?

Tal como já vimos, a homeopatia é uma terapêutica reacional, cuja actividade depende, entre outras, das capacidades de reacção do organismo. Ao passo que em alopatia a posologia é determinada em função da idade, do peso e da doença do individuo. As regras de prescrição e a posologia variam conforme a reactividade do doente, o grau de similitude, a natureza aguda ou cronica da doença.

A frequência com a qual os medicamentos são tomados e a escolha da diluição são submetidas a estes elementos, é por isso que a posologia não muda com a idade.

“Os medicamentos homeopáticos serão tóxicos?”

Substancias muito perigosas para o organismo em doses ponderais, tais como o arsénico, a beladona, ou o veneno de víbora, perdem a sua toxicidade quando são diluídas e dinamizadas tal como o exige a preparação dos medicamentos homeopáticos.

“Que fazer em caso de ingestão acidental?

Geralmente, a ingestão acidenta de um frasco de grânulos não provoca quase nenhumas, ou até mesmo nenhumas perturbações num sujeito que não é sensível a este medicamento.

Em contrapartida, pode desencadear, num sujeito são e sensível, fenómenos clínicos equivalentes a um patogenesia, ou seja, sinais iguais aos da doença que esse mesmo medicamento poderia curar.

Sendo a resposta individual, o mais sensato é contactar, sem entrar em pânico, o seu medico homeopata para que este ultimo lhe indique o que deve fazer.

Em caso algum, de nada vomitar ou fazer vomitar; isso só provocaria um incomodo suplementar supérfluo.

Originally posted 2014-03-24 12:49:16.