mesoterapia_1

A partir de 1993, o método de preparação em frasco único, criado pelo conde Korsakov em 1832, ficou novamente disponível em Franca. Este modo de fabricação – embora utilizado vulgarmente no estrangeiro – foi durante muito tempo proibido em França porque era considerado demasiado impreciso pelo legislador.

Esta técnica permite obter o conjunto das diluições a partir da utilização de um frasco único que despejamos depois de cada diluição e dinamização.

Explicação: deitamos 1 gota da tintura-mãe da substância em 99 gotas de álcool, abanamos (dinamização) e obtemos assim a primeira korsakoviana ou 1K. Despejamos o conteúdo do frasco: fica nas paredes uma dose avaliada em 1% da 1K. Acrescentamos 99% de álcool, dinamizamos, obtemos a segunda korsakoviana, que já contém a 1K. Repetimos as operações até à obtenção da diluição desejada.

0 interesse desta técnica reside na presença do conjunto de diluições precedentes em cada tubo o que assegura uma eficácia optimal do medicamento. Assim. Belladonna 30K, Belladonna à 30ª korsakoviana, contém o conjunto das diluições anteriores, ou seja, aquelas que vão da 1K à 29K, contrariamente à Belladonna 4CH que só contém a 4 H e não a 1, a 2, a 3CH.

Seja qual for o método escolhido, é obtida uma solução depois de cada diluição e dinamização. A solução, pulverizada, vai impregnar pequenas esferas feitas de uma substância inerte89 de lactose e sacarose: os grânulos de 50mg ou os glóbulos de 5mg. Assim nasce o medicamento homeopático.

Correspondência teórica entre estes dois métodos

Diluições hahnemanianas

Diluições korsakovianas

5CH

30K

7CH

200K

9CH

5.000K

10CH

10.000K

 

De uma maneira geral, a posologia é definida, para os medicamentos homeopáticos, pela altura de diluições. Chamamos:

  • Baixas diluições, 4CH, 5CH, 7CH;
  • Medias diluições, 9 a 12CH
  • Altas diluições, 15CH a 30CH.

Quando toma Belladonna 4CH, utiliza uma baixa diluição, o que é frequente nas anginas por exemplo.

Originally posted 2014-03-25 10:11:03.

Comments

comments