medicomenu - Doenças das vias respiratórias

Doenças das vias respiratórias

A asma e a bronquite crónica são os terrenos de predileção da homeopatia em pneumologia. Esta ultima permite um melhor conforto do doente e evite principalmente as sobreinfecções invernais a repetição.

Asma

A asma da pessoa de idade é uma asma crónica cujas consequências mais ou menos a longo prazo são a insuficiência respiratória crónica.

A homeopatia tem uma dupla atividade: melhora o conforto do doente diminuindo a frequência das crises de asma e ajuda-o do ponto de vista respiratório, tal como provam os testes (explorações funcionais respiratórias) que permitem a medida da capacidade respiratória.

Conforme o estado do doente e a gravidade da doença, a homeopatia atua sozinha ou em complemento da alopatia.

Os principais medicamentos da asma crónica são: Ammonium carbonicum, Antimonium tartaricum, Arsenicum album, Blatta orientalis, Carbo vegetabilis, Hepar sulfur, Kalium carbonicum, Naja tripudians, Natrum sulfuricum, Psorinum, Quebracho, Sulfur.

Bronquite crónica

A bronquite crónica apresenta, a curto ou a longo prazo, os mesmos riscos que a asma. Ou seja, as sobreinfecções pulmonares e a insuficiência respiratória crónica

Os medicamentos mais correntes da bronquite crónica são Ammonium carbonicum, Antimonium sulfuratum aureum, Antimonium tartaricum, Blatta orientalis, Carbo vegetabilis, Natrum sulfuricum, Psorinum, Sonega, Sulfur.

Para evitar e prevenir as sobreinfecções dos brônquios e dos pulmões, os medicamentos úteis nesta fase são: Hepar sulfur, Mercurius solubilis, Silicea.

O interesse destes medicamentos consiste em espaçar as afeções e também encurtar uma eventual acamação muitas vezes na origem da perda de autonomia do sujeito de idade. Esta última pode aparecer num prazo muito curto durante uma doença aguda, após dez dias de acamação por exemplo.

Originally posted 2014-03-28 12:09:38.

MERCURIUS SOLUBILIS - Isoterápico

Isoterápico

Isoterápico: bioterápico preparado a partir de substâncias provenientes do próprio doente (sangue, fezes, urinas, escarros) ou trazidas pelo doente (substâncias alérgicas por exemplo).

Originally posted 2014-04-17 09:40:36.

medicina pediatria 13 - Tratamento da Escarlatina

Tratamento da Escarlatina

Ao repouso na cama e à antibioterapia pode associar:

Medicamentos da angina

  • Belladonna 5CH. se a dor de garganta for intensa, a garganta vermelho vivo, a deglutição muito dolorosa, e se a febre for acompanhada por transpiração e sede.
  • Apis mellifica 5 CH. se a mucosa laríngea estiver vermelha, luzidia, com um edema na úvula, uma febre sem sede e uma pele seca entrecortada de transpiração.
  • Arum triphyllum 5 CH é o medicamento das anginas graves e muito dolorosas da escarlatina. A febre é muito alta, a salivação abundante, os gangliões do pescoço são dolorosos, a língua tem a cor da framboesa e está despapilada. O doente coça-se e por vezes arranha os lábios e a borda das narinas até fazer sangue

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3vezes por dia durante 6 dias.

Medicamento da febre

Ver o artigo sobre as febres da criança.

Medicamentos da erupção

  • Belladonna 5CH.
  • Apis mellifica 5CH.

Para estes dois medicamentos, a erupção é típica da escarlatina. Serão distinguidos nesta indicação a partir das características da febre e da angina

Posologia (para todos estes medicamentos): 2 grânulos 5 vezes por dia durante 2 dias, depois 3 vezes por dia durante 6 dias.

Se a noção de contágio for nítida

  • e a erupção tardar a sair: tome uma dose de Gelsemium sempervirens 15CH;
  • se a erupção não sair: uma dose de Sulfur 30CH.

Para o ajudar a recuperar da doença

No fim da doença, vários medicamentos ajudam o doente a recuperar rapidamente a energia:

  • sistematicamente: uma dose de Sulfur iodatum 15CH;
  • se a erupção tardou a sair uma dose de Gelsemium sempervirens 15CH

Para prevenir as complicações

  • As nefrites (crises renais): uma dose de Apis mellifica 9CH.

Originally posted 2014-04-02 08:26:13.

homeopatia fitoterapia farmacia ana rubio - Causticum

Causticum

Origem, composição

Causticum é um composto próprio á homeopatia, definido pelo seu modo de preparação. Foi criado por Hahnemann a partir de uma mistura líquida de pó de cal calcinada, de sulfato monopotássico e de água a ferver.

Indicações

Rigidez dolorosa e reumatismos

Têm como características raras:

  • melhorarem com a humidade e a chuva:
  • e piorarem com o trio seco e a noite.

Perturbações cutâneas

  • Comichão sine matéria das pessoas de idade, que melhoram com as arranhadelas.
  • Verrugas largas, que sangram facilmente, nos dedos, nas unhas, no nariz.
  • Cicatrizes queloides (relego duro da pele que pode constituir-se durante uma má cicatrização) dolorosas.

Incontinência urinária

A seguir a um parto, a tosse, a um esforço.

Nas crianças que respondem bem

  • Enuresia Infantil (chichi na cama) do primeiro sono.
  • Adormecimento difícil com medo do escuro: a criança só adormece com a luz acesa.

Cãibras dos escritores

Com tremores e fraqueza muscular, com tendência para largar o lápis.

Medo

Manifesta-se – principalmente nos sujeitos que respondem bem – através de um receio e de uma grande ansiedade Aparece muito antes da chegada de um acontecimento importante, tal como uma entrevista profissional ou um exame no estudante.

Paralisias

  • Faciais, das cordas vocais.
  • Sequelas de hemiplegia.

Causticum convém se

As modalidades forem:

  • Uma agravação com o vento seco e frio, tempo seco, à noite, no momento do crepúsculo.
  • Melhoras com o calor, tempo húmido e chuvoso.

Os sujeitos que respondem bem a Causticum

Este medicamento convém sobretudo às pessoas de idade, rígidas, com dificuldades para andar. Estes sujeitos, com a pele amarelada, são friorentos, desidratados e portanto com prisão de ventre. Muito sensíveis, muito emotivos, ficam muito afetados com a infelicidade dos outros.

As crianças são magras, desajeitadas, medrosas, e temem o escuro. A aquisição da marcha e da palavra faz-se com atraso. Fazem chichi na cama por vezes até à adolescência.

Posologia

  • Enuresia: Causticum 15CH, 2 grânulos ao deitar.
  • Medo: Causticum 15CH, uma dose logo a seguir ao aparecimento das perturbações, depois com uma semana de intervalo até ao dia do acontecimento.

Originally posted 2014-04-09 10:53:41.

stress1 - Stress

Stress

O Petit Robert define o stress como uma “resposta do organismo aos fatores de agressão fisiológicos e psicológicos assim como às emoções (agradáveis ou desagradáveis) que necessitam de uma adaptação”.

Clinicamente, o stress é definido como uma reação fisiológica normal do individuo a um estimulo interior ou exterior. Qualquer estimulo, qualquer emoção desencadeia um stress: a tristeza, a alegria, uma tensão, uma atenção continua, uma esperança, um desespero, um êxito, um luto, nascimento, uma doença, um esforço excessivo.

Uma reação normal ao stress retém a atenção mobiliza a energia e provoca a ação. Esta reação comum é no entanto individual, e variável tempo para um mesmo sujeito.

A estimulação excessiva em duração ou em intensidade ou pelo seu modo de repetição e na origem de um stress dito patológico, porque esta sobrestimulação ultrapassa as capacidades de adaptação do indivíduo e provoca uma doença mais ou menos prolongada.

A reação ao stress é especifica: depende em primeiro lugar do sujeito e das suas capacidades em adaptar-se mas também da natureza e da intensidade do acontecimento, assim como contexto social que pode ser um fator de proteção ou de risco.

Os medicamentos homeopáticos de terreno mais próximos são: Lycopodium clavatum, Nux vomica, Sepia e Sulfur, se forem equilibrados.

Pacientes do tipo C tem um perfil comportamental oposto no qual o papel do ambiente social é primordial visto que foi constatado nestes sujeitos, muitas vezes hipertensos, que a gravidade do seu enfarte dependia, claro, a intensidade do stress, mas também do grau de isolamento social e da qualidade de apoio das pessoas do seu meio.

São sujeitos submissos, conciliantes. que evitam os conflitos e recusam qualquer manifestação agressiva: é a empregada de escritório ou a criança “amiga” de toda a gente. São pacientes, perseverantes, prontos a esperar.

De facto, têm uma fraca estima por si próprios, são pessimistas isentem dificuldades para suportarem, embora estejam independentes, qualquer afastamento ou abandono. Não conformistas, procuram experiências sexuais variadas, abusam dos tóxicos (álcool, droga, tabaco, medicamentos), correm riscos de carro, praticam desportos perigosos dos quais do muitas vezes vitimas.

Os medicamentos homeopáticos de terreno mais próximos são: Arsenicum álbum, Calcarea carbonica, Natrum muriaticum, Pulsatilla, Sepia, Staphysagria, Thuya occidentalis.

Originally posted 2014-04-01 10:48:57.